Globo 50 Anos: Vídeo Show

Programa que procura recuperar e celebrar a história da teledramaturgia da TV Globo, reunindo informação e entretenimento sob o formato jornalístico.

FORMATO

Exibido desde 1983, o Video Show passou por muitas fases, teve vários formatos e esteve a cargo de diversos núcleos de produção. Até 1987, por exemplo, mais de 60 atores e atrizes do elenco da Globo desempenharam o papel de apresentador do programa, que também ocupou diferentes espaços na programação. Miguel Falabella, Carla Camuratti, Paulo Betti, Cristina Mulins, Patrícia Pillar, Malu Mader, Miriam Rios e Kadu Moliterno, entre outros, estiveram à frente do Video Show.

O tema de abertura é baseado na música Don’t stop ‘till you get enough, de Michael Jackson.

EVOLUÇÃO

Década de 1980

Video Show estreou no dia 20 de março de 1983, apresentado pela atriz Tássia Camargo e dirigido por Ronaldo Cury, com a proposta de recuperar os principais momentos dos então 18 anos de vida da TV Globo. Não era a primeira iniciativa da emissora de resguardar a memória da sua produção: durante todo o ano de 1967, o público da Globo acompanhou o programa VT Show (1967), levado ao ar com semelhante missão.

Inicialmente apresentado aos domingos, o primeiro formato do Video Show já contava com alguns dos ingredientes que marcariam o sucesso do programa. Exemplo disso era a presença de um convidado, que respondia a perguntas enviadas à produção pelos telespectadores e escolhia as cenas que considerava mais relevantes, exibidas na sequência.

Em 27 de abril de 1987, o programa passou a ser dirigido por Cacá Silveira, com produção de Jacqueline Cantore e direção executiva de Luiz Gleiser. Na ocasião, sofreu a primeira reformulação, passando a ser exibido em novo horário: aos sábados, 14h30.

   

O diretor, escritor e roteirista Marcelo Tas foi o apresentador do programa durante o mês de julho de 1987, encarnando o personagem Cabeça Branca. Na época, o cenário era composto por televisores velhos, com fios e válvulas à mostra, e monitores novos, que exibiam imagens dos temas abordados. O programa apresentava diversos quadros, alguns deles fixos, entre os quais: Micro Especial Musical, com clipes sobre a carreira de determinado artista, e A TV no Mundo, que retratava programas das televisões asiáticas, europeias e norte-americanas.

 Miguel Falabella assumiu a apresentação do programa em agosto de 1987. Na ocasião, sob a direção executiva de Paulo Ubiratan, Cristina Prochaska fazia a narração e Marcelo Godoy era o responsável pela redação final.

Em abril de 1988, o programa passou por outra reformulação, que ampliava a parte de show, sem prejuízo da sua proposta inicial: o resgate da memória televisiva. Entre os quadros implantados, destaque para Pergunte ao Seu Astro e Tricotando com Falabella, que revelava curiosidades sobre os artistas entrevistados pelo programa. Outro destaque eram os erros ocorridos durante as gravações, que passaram a ser reunidos e levados ao ar no quadro Falha Nossa.

A partir de 1989, a narração passou a ser feita por Cissa Guimarães, cabendo a produção executiva a Evaldo Lemos e a direção executiva a Ruy Mattos.

Década de 1990

Durante todo o ano de 1990, quando a televisão brasileira completava 40 anos, o Video Show produziu matérias especiais, entrevistas e reportagens sobre a data, que ocupavam um bloco inteiro do programa. No último dia de 1990 foi exibido um especial sobre os 25 anos da TV Globo, com momentos marcantes da história da emissora.

A revista eletrônica voltou ser reformulada em abril de 1991, quando estrearam quadros como Túnel do Tempo, no qual eram retratados, semanalmente, os acontecimentos marcantes ocorridos em anos anteriores. Nesse período, a produção passou a Akbar Meirelles e a redação final, a Ricardo Xavier, o Rixa.

Em abril de 1992, o Video Show ganhou um novo cenário, criado pelo cenógrafo  Mário Monteiro. Um ano depois, quando o programa completou dez anos, houve nova alteração no cenário, recriado pelo próprio cenógrafo, que privilegiou o uso do néon. Também foram produzidas novas músicas e vinhetas, que intercalavam as matérias, sob os cuidados do editor Eduardo Aguillar. Na ocasião, a direção estava a cargo de Roberto Campos, e a direção-geral era de Cacá Silveira.

Video Show passou a ser diário a partir de 11 de abril de 1994, sob a supervisão de Maurício Sherman. Levado ao ar de segunda a sexta-feira, às 13h, tinha meia hora de duração. Além do diretor Roberto Campos, passaram a dirigir o programa Eduardo Aguillar e Ângela Sander, que ficava em São Paulo. Também da capital paulista, a jornalista Renata Ceribelli apresentava algumas atrações. Nessa fase, o conteúdo jornalístico ocupava cerca de 60% do programa, e foram criados quadros como Fora do Ar, retratando a intimidade dos astros da televisão, e Em Estúdio, que mostrava entrevistas com músicos e cantores sobre seus novos trabalhos.

Em 1991, uma matéria de Renata Ceribelli relembrou o primeiro beijo da televisão brasileira, na década de 1950, na novela Sua Vida Me Pertence, da TV Tupi. A repórter conversou com os atores Vida Alves e Walter Foster, os protagonistas da história.

Em 1995, a equipe de repórteres do Video Show era formada porCissa Guimarães, Renata Ceribelli e Virgínia Novick, que produziam as matérias externas; o apresentador Miguel Falabella passou a comandar a parte do programa gravada em estúdio. Nessa época, estreou o quadro Antes da Fama, em que artistas recordavam suas profissões anteriores. Ao longo daquele ano, o programa fez parte dos núcleos dirigidos por Maurício Sherman e J. B. de Oliveira, o Boninho, alternadamente.                                                                    

Em 1996, houve mais uma reformulação do programa, que passou a integrar o núcleo de produção Walter Lacet. Foram produzidas novas vinhetas de abertura e criados novos quadros, como Álbum de Família, em que um artista era convidado a apresentar suas fotos particulares, e Lar Doce Lar, em que a equipe de repórteres visitava a casa dos entrevistados. Foi instituído, ainda, o Troféu Video Show, que premiava as celebridades.

O programa passou a ser produzido pelo núcleo Herval Rossanoentre novembro de 1996 e março de 1998. Ao completar 15 anos, estreou nova programação e novo cenário, com um set para as entrevistas. Em São Paulo, a direção passou a Renata Netto, e o programa voltou a ser produzido pelo núcleo J. B. de Oliveira.

Video Show comemorou 1.000 apresentações em 1998. No especial, foi ao ar uma matéria com o elenco de artistas que já haviam passado pelo programa. A reportagem mostrava também os diferentes visuais de Miguel Fallabela na bancada.

Em janeiro de 1999, a jornalista Renata Ceribelli foi substituída pela repórter Letícia Nascimento, que assumiu as reportagens produzidas em São Paulo. Em novembro daquele ano, a função passaria a ser ocupada pela jornalista e atriz Chris Couto.

Década de 2000

Uma nova versão da revista eletrônica, buscando aproximar ainda mais os artistas de seu público, estreou em abril de 2000, quandoLuiz Gleiser assumiu a direção de núcleo do programa. O apresentador Miguel Falabella passou a receber os convidados e a realizar as entrevistas no estúdio, que agora incluía a presença de uma plateia. A edição de sábado teve a pauta ampliada, e Cissa Guimarães estreou o quadro Gentem, no qual passava o dia com uma celebridade. A atriz Zezeh Barbosa foi incorporada à equipe do programa, que deu nova ênfase ao humor. A direção-geral continuava a cargo de Cacá Silveira, com produção de Aluísio Augusto e redação final de Rixa e Flávio Marinho.

   

O ator André Marques passou a integrar a equipe do programa, como repórter, em agosto de 2000. Na ocasião, sob a direção de Denise Saraceni, o Video Show sofreu nova reformulação, com a estreia de novos quadros, como Correio da Fama – que, mensalmente, trazia os artistas da Globo que mais recebiam cartas – e Antenado, com “pílulas” do noticiário nacional e internacional.

Em 2001, o Video Show ganhou novo cenário. Em dezembro do mesmo ano, a apresentadora Angélica fez sua estreia no programa, comandando o quadro Video Game, um game show envolvendo celebridades e seus conhecimentos sobre a programação da Globo. Pouco depois, André Marques substituiu Miguel Fallabela no comando da atração. Falabella ficou 15 anos à frente do Video Show, tendo apresentado 2.618 edições do programa.

Em julho de 2002, sob a direção de Ângela Sander, o Video Show completou três mil apresentações, passando por outra reformulação e reunindo três novos repórteres: Ana Furtado, Bruno de Luca e Renata Simões. A exemplo de outros programas da Globo, como Domingão do Faustão (1989) e  Mais Você (1999), o Video Show também começou a participar da cobertura das versões do Big Brother Brasil (2002), realizando reportagens especiais e entrevistas com os candidatos eliminados.

A revista eletrônica completou 20 anos de exibição em março de 2003. Neste ano, a produção do programa passou a contar com o Astromóvel, um carrinho elétrico estilizado, entre os vários existentes no Projac, utilizado pelos apresentadores para conduzir os atores até os estúdios de gravação, enquanto eram feitas as entrevistas. No mesmo ano, a direção-geral do programa foi assumida por Mariozinho Vaz. A atriz Mariana Hein virou repórter do programa.

Nessa época, André Marques e Angélica começaram a reproduzir, de forma bem-humorada, cenas marcantes das novelas da emissora. Em abril de 2004, os dois imitaram o encontro de Jade (Giovanna Antonelli) e Lucas (Murílo Benício), protagonistas da novela O Clone. Outra encenação memorável foi a da imitação de Giuliana (Ana Paula Arósio) e Matteo (Thiago Lacerda), personagens da novela Terra Nostra.

O quadro Cabeção em Ação estreou em 6 de agosto de 2004, tendo à frente o ator Sergio Hondjakoff, intérprete do personagem Cabeção no seriado Malhação.

Em abril de 2006, com André Marques comemorando seis anos na apresentação diária do programa, oVideo Show ganhou novos quadros e apresentadoras: Ellen Jabour fazendo matérias no Rio de Janeiro, e Sarah Oliveira, em São Paulo.

No quadro Reencontro Marcado, grandes nomes da teledramaturgia, que contracenaram juntos no passado, relembravam histórias de bastidores, as melhores cenas e curiosidades do trabalho. Na estreia, Sônia Braga e Renata Sorrahrecordaram os momentos em que atuaram na novela Chega Mais (1980), nos papéis de Gelly e Lúcia, respectivamente.

Baila Comigo, quadro pilotado por Sarah Oliveira, apresentava sucessos musicais que tiveram a participação ou foram protagonizados por atores conhecidos do grande público. O primeiro mostrou Gloria Pires estrelando Pétala, de Djavan.

Jogo da Memória testava a lembrança dos artistas, propondo que o ator respondesse às mesmas questões que já respondera no passado. No final da entrevista, as respostas eram comparadas.

Filho da Mãe dava um toque familiar ao programa, levando a mãe de um ator para contar histórias de sua infância e adolescência, e mostrando fotos e vídeos caseiros do filho famoso, cuja identidade só era revelada no final do quadro.

Pílulas do Sim e Daí? exibiam coincidências inusitadas nas novelas e programas da Globo.

Os quadros Por Onde Anda, Astromóvel Túnel do Tempo permaneceram no programa.

A exemplo dos três anos anteriores, o programa ganhou um especial de fim de ano, o Video Show Retrô (exibido pela primeira vez em 2003), para relembrar os maiores sucessos da teledramaturgia da Globo. Desta vez, Angélica e André Marques não interpretaram personagens, como fizeram nos outros anos, mas invadiram as cenas de vários programas, com ações bem-humoradas. O especial recordou as falhas mais engraçadas das gravações, mostrou as famílias mais divertidas da ficção e exibiu cenas inesquecíveis de 2006.

   

No ano de 2008, a atriz Nivea Stelmann assumiu como repórter do programa no Rio de Janeiro, e quadros novos foram criados, comoTintim por Tintim, revelando parte da trajetória de um ator antes de chegar à fama; 30 Segundos de Fama, em que o público era desafiado a recriar cenas da teledramaturgia, com direito à exibição do melhor vídeo no programa; Inventando Moda, em que um ator ia às ruas em busca das roupas e acessórios que combinassem com o estilo do figurino de seu personagem; e Ó, Dúvida Cruel, onde o público perguntava e o Video Show respondia, desvendando os mistérios da Central Globo de Produção (Projac).

Angélica e André Marques voltaram a divertir os telespectadores com os clipes musicais. Entre eles, a dupla regravou o clipe da música Coração de Papelão, interpretada por Jairzinho e Simony, e sucesso na década de 1980, que havia sido exibido no Fantástico.

Novas brincadeiras passaram a animar o programa, como Trilha Sonora, na qual os participantes respondiam perguntas sobre música e faziam a performance de uma cena no palco; e Curto-Circuito, um desafio com cinco tarefas relacionadas a cenas marcantes da TV. André Marques continuou como apresentador do programa, e Sarah Oliveira se manteve à frente das reportagens em São Paulo.

Video Show completou 25 anos no dia 20 de março de 2008 e, para comemorar,  exibiu, na semana de 17 a 21 de março, uma retrospectiva da história do programa, uma seleção do Falha Nossa e os melhores momentos dos bastidoresalém de outras atrações. O especial mostrou curiosidades por trás das câmeras, truques de dramaturgia, viagens internacionais e relembrou as primeiras entrevistas de atores para o programa, como Deborah Secco recebendo uma equipe em sua escola, à época em que fazia a novela A Próxima Vítima.

   

Em 2009, o Video Show passou a ser produzido pelo núcleo do diretor J. B. de Oliveira, o Boninho, com direção-geral de Carlos Magalhães e direção de Vivi de Marco. A atração era exibida ao vivo, de segunda a sexta-feira, a partir das 13h45. Novos quadros foram ao ar, como Pergunte ao Autor ePresentão do Video Show. O programa passou também a dar informações sobre teatro, cinema e música, com matérias de todo o Brasil. A apresentação ficou a cargo de André Marques, Geovanna Tominaga, Luigi Baricelli e Fiorella Mattheis.

No dia 17 de agosto de 2009, o programa completou cinco mil edições no ar. Para comemorar, os apresentadores André Marques, Luigi Baricelli, Fiorella Mattheis e Geovanna Tominaga deixaram os estúdios e assumiram outras funções na Central Globo de Produção (Projac). Luigi Baricelli virou operador de câmera. André Marques maquiou Flávia Alessandra. Geovanna Tominaga fez as vezes de coreógrafa das bailarinas do Domingão do Faustão. E Fiorella Mattheis fez um figurino para Samantha Schmutz. Além disso, os apresentadores pagaram uma prenda para conseguir reformar o Astromóvel, no quadro Lata Velha, do Caldeirão do Huck. No palco do programa de Luciano Huck, o quarteto se fantasiou como a banda Village People e dançou ao som da cançãoYMCA.

A partir de 2010

Em 2010, o Video Show continuou apresentando curiosidades de bastidores, além de entrevistas e brincadeiras com os famosos. No programa do dia 27 de setembro foi comemorado o aniversário de 31 anos do apresentador André Marques, com uma festa-surpresa preparada pela equipe.

Em 28 de dezembro de 2010, foi ao ar mais uma edição do Video Show Retrô, com a retrospectiva dos melhores momentos da programação no ano que chegava ao fim. André Marques e Ana Furtado apresentaram uma premiação cujas categorias eram: melhor chilique, melhor beijo desentupidor, melhor bofetada, personagem mais chorão, melhor cantada, melhor desmaio, abraço mais falso, melhor pastelão, mais fashion, entre outras. Junto com Geovanna Tominaga, Bruno de Luca e Fiorella Mattheis, os dois apresentaram cada categoria com um esquete que retratava a situação abordada.

Em 10 de janeiro de 2011, o programa estreou novo cenário. Três painéis de LED passaram a integrar o ambiente, dando ao telespectador a sensação de mesclar a caixa cênica com o vídeo.

Video Show de 29 de agosto de 2011 foi ao ar com novidades. André Marques e Ana Furtado passaram a apresentar o programa diretamente da redação da atração. A dupla e Geovanna Tominaga mostravam o melhor dos bastidores, além de acontecimentos da televisão e da vida das celebridades. Bruno De Luca continuou fazendo reportagens especiais. Neste ano, a direção-geral era de Roberto Naar, e o núcleo, de J.B. de Oliveira, o Boninho.

O ano de 2012 foi marcado pela estreia de Jaqueline Silva como repórter do Video Show. A partir de 13 de março, ela se juntou aos apresentadores Ana Furtado e André Marques, ao repórter Bruno De Luca e à apresentadora do Video Show News, Dani Monteiro, formando a equipe do programa. Jaqueline já havia trabalhado como repórter no Mais Você.

Quadros como Revirando o Baú, Baú do Vídeo Show, que levaram ao público particularidades da carreira de alguns atores, e Crescendo na TV, faziam parte do programa em 2012. No dia 28 de maio, por exemplo, foi relembrada a trajetória de Leandra Leal na teledramaturgia, no quadro Crescendo na TV. Com mais de 15 anos de carreira, a atriz havia passado por vários trabalhos marcantes, comoPáginas da Vida e A Muralha.

Também neste período, outra atração de sucesso no programa foiDiário de Gravação, que mostrou ao telespectador informações sobre os desafios da equipe de maquiagem e dos atores quando esses precisavam fazer  alguns personagens incomuns. Em quadro que foi ao ar em julho de 2013, por exemplo, o Vídeo Showacompanhou a transformação de Tuco (Lúcio Mauro Filho), daGrande Família, em um episódio do seriado em que o ator precisou vestir-se de mulher.

Em outubro de 2013, depois de 13 anos apresentando o programa, André Marques se despediu doVideo Show. A apresentação foi assumida, em novembro, por Zeca Camargo. Após cerca de um ano, Zeca passou a compartilhar a apresentação com o repórter Otaviano Costa. Eles estrearam em 2014 e Otaviano comandou a reedição de um antigo quadro de sucesso na Globo: 8 ou 800, um jogo de perguntas e respostas sobre um tema específico escolhido pelo participante desafiado. A primeira etapa do quiz valia 5 mil reais, a segunda 10 mil e a terceira 15 mil. Ao acertar todas as etapas, o desafiante vai para a final, concorrendo a 30 mil reais. Se perdesse, levava apenas 8 reais para casa. Ao lado de Otaviano Costa nesta atração esteve Laila Coelho. Zeca Camargo, por sua vez, foi convidado pelo programa a viajar pelo mundo e apresentar novidades sobre a televisão em outros lugares do planeta. O quadro ganhou o nome de Pelo Mundo das TVs. Entre uma reportagem e outra, ele mostrou como se faz uma novela na Tailândia.

 

Uma novidade mudou a cara do programa, em 2015. Foi feito um rodízio de atores e atrizes na apresentação. Eles conduziram matérias que resgatavam os arquivos e mostravam os bastidores das produções da emissora ao longo das cinco décadas do canal. Uma dessas atrações foi a exibição daEscolinha do Professor Raimundo em edições diárias de 10 minutos.
Em 6 de abril de 2015, o Vídeo Show ganhou novidades: Otaviano Costa e Monica Iozzi passaram a apresentar o programa ao vivo; Miguel Falabella, Cissa Guimarães e Marcelo Serrado renovaram o time de apresentadores da atração.

Falabella passou a encerrar os programas diariamente com mensagens especiais e com a famosa saudação final, eternizada pelo apresentador. Marcelo Serrado e Cissa Guimarães, por sua vez, apresentaram os quadros “Me engana que eu gosto” e “Gentem como a gente”, respectivamente.

Zeca Camargo deixou o programa.

VIDEO GAME

O quadro Video Game, que promovia uma competição entre celebridades para testar seus conhecimentos televisivos, estreou em 10 de dezembro de 2001, sob o comando da apresentadora Angélica. A princípio, era levado ao ar nos cinco minutos finais do programa. Fez tanto sucesso que passou a ser uma das principais atrações do Video Show, ocupando 20 minutos diários do programa. O quadro ficou dez anos no ar, até dezembro de 2011.

Na quadro de estreia, competiram os atores Claudia Jimenez e Reynaldo Gianecchini, que na época formavam um par romântico na novela As Filhas da Mãe (2001). Os artistas vencedores da competição distribuíam cestas básicas entre diversas instituições de caridade do país.

Durante uma semana, o programa foi comandado pelo apresentador Luciano Huck, marido de Angélica, para que esta pudesse testar seus conhecimentos competindo com Xuxa.

A apresentadora Angélica engravidou em 2004 e foi substituída, de março a novembro de 2005, pela atriz Fernanda Lima. Em 2007, grávida de seu segundo filho, Angélica foi novamente substituída por Fernanda Lima.

Em 2007, a competição passou a incluir as seguintes brincadeiras:Te Conheço, Se Vira nos 5, Túnel do Tempo e Jogo da Velha. Além dessas, os competidores participavam de Antena Paranoica,Chutômetro, Teletubo, Telinha Direta, 7 em 27, Contagem Regressivae Momento Uêpa.

Em Prova da Plateia, um dos prêmios em disputa podia ser obtido pelos telespectadores, que também participavam do quadro, respondendo a esquetes disponíveis no site do programa.

Video Game ganhou uma semana de comemorações em 2008, por conta dos 25 anos do Video Show. Na disputa comandada por Angélica, que gravava pela primeira vez após a licença-maternidade, Ellen Jabour, Mariana Hein e Renata Ceribelli enfrentaram Ana Furtado, Cissa Guimarães e Sarah Oliveira. No mês seguinte à gravação do Video Game especial, Cissa Guimarães, que ficara 17 anos no Video show, substituiu André Marques durante as férias do apresentador.

Em abril de 2009, tanto o programa quanto o quadro Video Game passaram por reformulações. OVideo Game passou a ser disputado por telespectadores que se inscreviam pelo site da atração e mostravam o quanto conheciam da história da TV Globo. Artistas faziam participações especiais em quadros da disputa, como Cadê o Caô? A apresentadora Angélica continuou à frente do jogo, que ganhou novo cenário.

O Video Game apresentou uma edição especial em 2010, durante a semana do Dia das Crianças. De 11 a 15 de outubro, Angélica recebeu os atores mirins Karina Ferrari, Gabriel Kaufmann, Sofia Terra, Matheus Costa, Vitor Monsinhatti e Ana Karolina Lannes para a tradicional disputa do programa.

Video Game estreou na temporada de 2011 com algumas novidades. Com direção de Alexandre Lannes e subordinado ao núcleo J.B. de Oliveira, o Boninho, o quadro  ganhou novo cenário e passou a relembrar seus games mais famosos, além de lançar brincadeiras inéditas. Na semana de 18 a 22 de abril, Carolina Dieckmann e Preta Gil enfrentaram Cleo Pires e Suzana Pires. As duplas participaram deTelinha Direta, uma das mais de 100 brincadeiras que seriam relembradas durante o ano, além das novas provas Se Vira nos 5 e É a Treva. A dupla perdedora – Carolina e Preta – tiveram de pagar uma prenda na Sala da Injustiça.

Já na semana de 30 de maio a 3 de junho de 2011, os compeditores foram as bandas Strike e Restart. Integrantes dos dois grupos cantaram músicas de outros artistas na atração Antena Paranoica, vestiram fantasias em Besteira Rolante e até engraxaram sapatos na Sala da Injustiça.

Durante as férias escolares do início de 2012, foi ao ar o Video Game Verão, que encerrou sua temporada temática em 30 de janeiro.

E essa é a edição desta sexta-feira. Voltaremos na terça, com mais um “Globo 50 Anos”
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s