Reviva: Livres para tirar a roupa – nudez na televisão brasileira

ATENÇÃO: Matéria contém fotos inadequadas para menores!

Sonia Braga em Gabriela (1975)

Enquanto o teatro e o cinema davam passos ousados na questão da liberação sexual, que eclodiu nos anos 1960 e se tornava cada vez mais popular na década seguinte, a teledramaturgia demorou para explorar a sexualidade de seus personagens e romper mais esse tabu. O padrão do herói viril e da mocinha pueril foi sendo quebrado aos poucos e o máximo que se via era atores em roupas de banho sem conotação sensual. As novelas das 10 da Globo foram as que começaram a inovar nesse sentido, e um marco da erotização no gênero foi Sonia Braga, ao protagonizar Gabriela (1975) e estrelar, entre outras, a clássica cena em que sobe no telhado para pegar uma pipa, sugerindo uma seminudez até então inédita na TV. Aproveitando esse canal aberto, na surrealista Saramandaia (Globo, 1976), a mesma Sonia interpretou Marcina, que pegava fogo literalmente por causa de seu desejo carnal.

Tony Ramos em O Astro (1977)

Em um contexto mais dramático do que erótico e com um significado mais franciscano do que sexual, Tony Ramos, acabou protagonizando o primeiro nu masculino da teledramaturgia brasileira em O Astro (Globo, 1977), quando seu personagem briga com o pai, o poderoso Salomão Hayala (Dionísio Azevedo) e abre mão de tudo, inclusive de suas roupas íntimas. A ação de tirar a cueca era mostrada, mas a nudez apenas sugerida.

Maite Proença em Dona Beija da Manchete

Foi na extinta Rede Manchete, no entanto, que o corpo totalmente livre de roupas ganhou o foco das câmeras. E o posto de primeira protagonista a ficar completamente nua no horário nobre coube a Maitê Proença, que interpretou o papel-título de Dona Beija(1986). Os banhos de cachoeira da personagem chamaram a atenção do público, que refletiu no aumento da audiência da emissora. E Maitê entrou para a história da teledramaturgia brasileira por causa de sua clássica cena em cima de um cavalo, digna de Lady Godiva.

O modelo Vinícius Manne, estampou a abertura de “Brega & Chique”. O bumbum dele marcou tanto os anos 80 que até hoje aquela abertura é relembrada por programas televisivos, revistas, jornais, sites, blogs e etc. Só que a Globo foi pressionada pelo Governo devido a grande quantidade de denúncias por parte do público conservador e a abertura foi alterada, colocando uma folha de parreira no traseiro de Vinícius. Contudo, o público liberal também pressionou a Globo exibir a abertura com a nudez por causa do término da Ditadura, era uma forma de mostrar a liberdade de expressão. Então, a folha de parreira foi retirada e o bumbum masculino voltou ao ar.

page 3
Vinicius Mane na abertura de Brega e Chique
Trecho da abertura de Pantanal da extinta Manchete

Colhendo bons índices de audiência com a erotização de suas tramas e a ousadia, a Manchete ameaçou sua principal concorrente, a Rede Globo, ao levar ao ar Pantanal (1990), na qual unia cenários exuberantes à naturalidade dos corpos de seus personagens em sequências de sexo e nudez estreladas por atores como Cristiana Oliveira, Marcos Palmeira, Luciene Adami, e Andréa Richa. Diante de tal ameaça, a Globo, que na época exibia Rainha da Sucata no horário nobre, rendeu-se à sensualização extrema para segurar o público, principalmente com Adriana (Claudia Raia), a “bailarina de coxas grossas” que, apesar de seu tom cômico, exibiu-se com os seios à mostra ao protagonizar uma pescaria em uma ilha deserta ao lado de Antonio Fagundes, 65.

Após esses dois acontecimentos, a nudez começou a fazer cada vez mais parte das novelas, séries e minisséries de todas as emissoras brasileiras. Houve até certa competição entre Globo e Manchete na guerra pela audiência, pois as duas começaram a investir pesado na nudez feminina e masculina em suas produções para despertar a curiosidade no público. Para ter uma ideia, só na novela “Pantanal” (1990), seis atrizes apareceram diversas vezes nuas, sendo que algumas tiveram até o nu frontal: Cristiana Oliveira, Andréia Richa, Carolina Ferraz, Ingra Liberato, Luciene Adami, Giovanna Gold. Além disso, os homens também tiraram a roupa na novela épica de Benedito Ruy Barbosa, dentre eles citamos Marcos Winter, Marcos Palmeira e Tarcísio Filho. Enquanto isso, na Globo, Cláudia Raia, Cláudia Ohana, Patrícia Pillar, Victor Fasano e Humberto Martins dominavam a nudez na emissora, entre muitos outros, óbvio! 

7
Cláudio Heinrich nu em Uga Uga

Engraçado é que ao você ler essa matéria, com certeza deve ter pensando: se há 30 anos atrás a nudez era tão explorada numa época conservadora, então como hoje a nudez praticamente desapareceu das novelas numa época considerada liberal? Eis a questão, caros leitores, difícil de explicar! Após o início dos anos 2000, tanto a nudez feminina quanto a masculina diminuíram muito. Podemos até dizer que a nudez de homens está quase extinta, afinal foram pouquíssimas produções que utilizaram isso; enquanto a nudez de mulheres, por menor que seja exibida, ainda é explorada. A última novela a explorar com frequência a nudez masculina foi “Uga-Uga” (2000), aproveitando que o tema principal era os índios, com a nudez em excesso dos atores Cláudio Heinrich (na foto ao lado) e Marcos Pasquim, dentre outros. Já a última produção a utilizar em excesso a nudez feminina foi a novela “Gabriela” (2012), aproveitando que um dos cenários principais da trama era um cabaré e teve Juliana Paes (na foto abaixo) protagonizando muitas cenas eróticas completamente nua, além de muitas outras atrizes.

Houve outras produções que utilizaram nudez na década de 2000 além dessas duas que foram citadas acima, mas foram poucas, porém podemos citar com relevância as várias minisséries, bem como “Presença de Anita” (2001), no qual o corpo de Mel Lisboa foi bastante exibido; e a novela “O Astro” (2011), no qual várias pessoas do elenco apareceram nuas, como Thiago Fragoso, Rodrigo Lombardi, Carolina Ferraz, Guilhermina Guine, Aline Moraes, etc. Entretanto, foram exceções em meio à mudança de habito em relação à nudez nas novelas, pois a década de 2000 foi um verdadeiro retrocesso em relação a isso. Atualmente, a nudez se restringe ao horário das 23h destinado a remakes de produções antigas com classificação de 16 anos ou então a séries como “As Cariocas” (2010), “As Brasileiras” (2012), “Amores Roubados” (2014) e “Felizes Para Sempre?” (2015).

  

Mel Lisboa e José Mayer em Presença de Anita e Thiago Fragoso em O Astro

  

Paolla Oliveira em Felizes Para Sempre? E Rodrigo Lombardi e Alessandra Ambrósio em Verdades Secretas

Porém, a nudez esta de volta na novela “Verdades Secretas”, com nudez das atrizes Camila Queiroz, Agatha Moreira, Grazi Massafera, entre outras; a nudez masculina também esta sendo um pouco explorada na atual novela das onze.

Camila Queiroz nua em “Verdades”
Gabriel Leone nu em “Verdades”
Reynaldo Gianecchini e Agatha Moreia em cena de “Verdades”
Grazi Massafera em “Verdades”

OBSERVAÇÕES: peço desculpas se algum leitor (a) sentiu-se incomodado (a) com as fotos de nudez dos atores e atrizes, mas para elaborar uma reportagem sobre o assunto foi necessário utilizar fotos do gênero assim como todas as matérias produzidas pelo TeleGlobo. 


Anúncios

Um comentário em “Reviva: Livres para tirar a roupa – nudez na televisão brasileira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s