Descaminhos – capítulo 9

11774386_666390326831582_265096495_n


 Descaminhos

Novela de Débora Costa


Personagens

Luigi Fiore

Giovanna Fiore

Enrico Salvatore

Paola Fiore

Carlo Mantovani

Mirella Fiore

Vitor Albuquerque

Elis Albuquerque

Jonas Albuquerque

Isaque Munhoz

Susana Albuquerque

José Almeida

Ana Clara Carvalho

Bruno Almeida

Nice Almeida

Silvio Almeida

Helena

Vitório Fiore

Doménica Fiore

PARTICIPAÇÕES:

Sérgio Medeiros – Investigador

Augusto Lopez – Delegado

Rafael Almeida – Policia Militar



Capítulo 9

Cena 1

Restaurante

JONAS: (olhando Giovanna) Eu não sei por que você está fazendo isso…

GARÇON: (se aproxima trazendo uma garrafa de champanhe serve Giovanna, Jonas e Susana, sai).

GIOVANNA: (sorri) Vamos fazer um brinde á esse momento.

SUSANA: (com raiva) Eu não quero brindar! Eu quero saber o que significa tudo isso!

GIOVANNA: (olhando Susana) Se eu fosse você eu aproveitava… É a champanhe mais cara que tem, é muito boa, francesa… Você está sem condições. (da risada, bebe champanhe, olha Jonas) Mas vou esclarecer tudo… Sente-se Susana, se não… Não tem história.

SUSANA: (se senta).

GIOVANNA: Babbo sempre me contou como era humilhado pela sua família quando era empregado de vocês… Ele sempre ficava triste ao lembrar… E eu odeio ver meu pai assim, ele é um grande homem, não merecia metade do que passou.

SUSANA: Ele era tratado como merecia!

GIOVANNA: (olha Susana) Se você não calar a boca não tem história!… Continuando… Ouvindo meu pai contar essas coisas me sentia péssima por ele, e resolvi me vingar… Há alguns anos que vinha pensando em como destruir vocês… Até que um dia comprei uma revista onde contava a bela história de amor entre você e Jonas… (sorri, toma champanhe).

JONAS: (está de cabeça baixa, triste).

GIOVANNA: Não foi difícil conquistar você Jonas… Bastou uma noite, e eu entrei na sua vida. (olha Susana) Uma coisa eu tenho que confessar… Jonas é bom de cama mesmo eu tendo nojo dele.

SUSANA: (se levanta, com raiva) Sua ordinária!

GIOVANNA: (grita) Senta ai! Não terminei!

SUSANA: (se senta).

GIOVANNA: (respira fundo, sorri) Depois de uma semana comecei a fazer a cabeça de Jonas… Dizia que ele deveria vender as propriedades, já que os negócios não iam bem… Sabe por que não iam bem? Porque eu dei um jeito de boicotar o negócio de vocês, isso mesmo eu sou a culpada pela falência de vocês… Enfim… Ele vendeu as coisas, fez maus investimentos por que eu dizia que eram bons… (da risada) E finalmente Jonas me passou a empresa que dei ao meu babbo hoje. (levanta a taça, sorri) Um brinde á estupidez de Jonas e a minha vitória. (toma champanhe).

SUSANA: (vai pra cima de Giovanna).

SEGURANÇA: (segura Susana).

SUSANA: (grita) Me solta! Eu vou acabar com ela! Essa vadia!

GIOVANNA: (da risada) Não se rebaixe mais é pior!

JONAS: (se levanta, olha Giovanna)… Você… Não me ama?

GIOVANNA: (sorri olhando Jonas) Nunca te amei, eu só te usei, será que você não viu isso ainda.

JONAS: Eu amo você…

GIOVANNA: Seu amor pouco me interessa… (sorri, sai do restaurante).

JONAS: (chora).

SEGURANÇA: (solta Susana).

SUSANA: (olha muito Jonas, está com raiva, inconformada) Bem feito! (chora de raiva) Bem feito! Pelo menos eu pude ver como você é idiota! Burro! Estúpido! Pra acreditar nessa mulher! Você acabou com nossa família!

JONAS: Para de falar… (está muito mal, arrasado).

SUSANA: Você ficou sem nada… Sem dinheiro… Sem família… Sem a sua amante e agora… Sem mim… Você é um lixo… (pega a bolsa, sai do restaurante).

SEGURANÇA: (se aproxima de Jonas) Senhor, o senhor precisa sair agora.

JONAS: Está bem… (vai saindo, devagar, coloca a mão no bolso, olha o segurança) Você… Tem uma arma?

SEGURANÇA: Tenho senhor, por quê?

JONAS: (pega um anel do bolso, olha o segurança) Esse anel vale muito… Eu iria dar ele é Giovanna… Eu troco esse anel, pela sua arma.

Cena 2

Mansão Fiore/Sala

ALANIS: (está usando um vestido preto, colado no corpo).

PAOLA: Com você assim estou me sentindo em desvantagem Alanis. (da risada).

ALANIS: (sorri) Que nada, você está perfeita, vamos nos dar bem hoje.

PAOLA: Sabe que… Esse sumiço do Carlo está sendo ótimo, ele saiu do meu pé e posso aproveitar mais, eu vou buscar a minha bolsa, não demoro. (sobe as escadas).

LUIGI: (entra com José, olha Alanis) Boa Noite.

ALANIS: (olha sedutora para Luigi, sorri) Boa noite.

LUIGI: Alanis esse é meu assistente pessoal José, José essa é Alanis amiga de Paola.

JOSÉ: Prazer Alanis.

PAOLA: (desce as escadas) Podemos ir. (sorri, olha José).

LUIGI: (olha José) José você está liberado por hoje, eu vou descansar, boa noite á todos, e você Paola cuide-se… Não vai me aprontar nada por ai. (beija o rosto de Paola, sobe as escadas).

PAOLA: José… Estou indo com Alanis á uma casa noturna que gosto muito, quer vir conosco?

JOSÉ: (olhando Paola sorri) Claro, vou sim.

PAOLA: (fica feliz) Então vamos antes que Carlo apareça. (sai com José e Alanis).

Cena 3

Delegacia

SÉRGIO: (entra na sala de Augusto) Você não vai acreditar…

AUGUSTO: O que foi?

SÉRGIO: Quem escreveu no pedaço de pele foi o próprio Mário.

AUGUSTO: (olhando Sérgio) Como você descobriu isso?

SÉRGIO: Indo até a empresa onde ele trabalhava, eu comparei com a caligrafia de todo mundo e quando comparei com a dele bateu, e a impressão digital no bisturi também.

AUGUSTO: Então a pessoa que fez isso, cortou um pedaço da pele de Mário com ele vivo e o obrigou a escrever traidor.

SÉRGIO: (se senta, cansado) Exatamente… Está difícil resolver esse caso, a pessoa tomou todos os cuidados para não deixar pistas.

AUGUSTO: Não acredito nisso, vamos continuar investigando, você tem algum suspeito?

SÉRGIO: Não… Aparentemente ninguém teria motivos para matar Mario… Como foi com a irmã dele?

AUGUSTO: Ela também não faz ideia de quem possa ter feito isso, Mario morava sozinho, não tinha amigos e nem inimigos, apenas colegas de trabalho, não tinha mulher, filhos… Era um sujeito calmo, na dele.

SÉRGIO: (pensativo) A única pessoa que teve algo interessante foi Giovanna Fiore, ela disse que Mario roubou a empresa dela e que foi á mando de alguém… E esse alguém pode ser nosso assassino, vou falar com ela novamente e ver o que consigo.

Cena 4

Apartamento de Jonas

JONAS: (entra, está arrasado, se senta no sofá, olha em volta, pega um bloco de papel e uma caneta de cima da mesa de centro, escreve, chora, coloca a carta em cima da mesa, pega um revólver que estava no bolso do

terno, lembra de Giovanna o beijando, chora, leva o revólver até sua cabeça, fecha os olhos e disparada. Jonas cai morto no sofá).

Cena 5

Mansão Albuquerque

SUSANA: (entra, está mal).

VITOR: (se aproxima) Como o jantar mamãe?

SUSANA: (olha Vitor) Não era um jantar de negócios… Giovanna Fiore armou tudo… Ela é a amante de seu pai… Ela nos tirou tudo.

VITOR: (olhando Susana) Não é possível…

SUSANA: É sim… Ela deu esse jantar para contar tudo porque seu pai, esse estúpido! Vendeu a empresa á ela…

ELIS: (entra feliz com Enzo).

SUSANA: (olha Enzo com ódio) Eu quero você fora da minha casa!

ELIS: Mamãe! Não fala assim com Enzo, ele é meu amigo.

SUSANA: Eu não quero você perto dele! Ou de qualquer pessoa dessa maldita família!

ENZO: A senhora não precisa falar assim…

SUSANA: (nervosa) Sai daqui!

VITOR: Enzo… Desculpa… Mas e melhor você sair.

ENZO: Está bem… Ate logo Elis.

SUSANA: (puxa Elis de perto de Enzo o olha com ódio) Você nunca mais vai chegar perto da Elis! Odeio você… Odeio a sua maldita irmã! Quero que vocês todos vão para o inferno! (chora).

ELIS: (olha muito Susana, preocupada) Mamãe… O que aconteceu?

SUSANA: Giovanna… Aquela desgraçada! (empurrando Enzo para fora) Some daqui! (o joga pra fora, fecha a porta, chora muito).

ELIS: (não entende nada, se aproxima a abraça) Por que você esta assim?

VITOR: Ela descobriu quem é a amante de papai…

Cena 6

Casa Noturna

ALANIS: Adorei esse lugar Paola!

PAOLA: (sorri) Eu sabia que você iria gostar, mas a noite só está começando. (olha José sorri).

JOSÉ: Eu nunca vim nesse lugar, mas já estou gostando…

PAOLA: Vem dançar comigo… (leva José para a pista de dança).

ALANIS: (olhando em volta).

VITÓRIO: (se aproxima de Alanis, sorri) Oi.

ALANIS: (olhando Vitório sorri) Olá.

VITÓRIO: Eu vi você com a minha prima… Isso é um bom sinal… Tudo está saindo como planejamos?

ALANIS: (da risada) Calma Vitório… Me aproximei hoje da Paola, do velho vai demorar um pouco, não posso me atirar nos braços dele de cara.

VITÓRIO: Tem razão… (olhando Alanis) Você está perfeita com esse vestido… (acaricia a cintura de Alanis).

ALANIS: (sorri olhando Vitório) Quer tirar ele?

VITÓRIO: (fala no ouvido de Alanis) Quero… Mas Paola não pode nos ver juntos… Te espero no banheiro… (pisca para Alanis, vai se afastando).

Cena 7

Pista de Dança

PAOLA: (está dançando com José, começa a dançar de um jeito sexy, olhando nos olhos de José).

JOSÉ: (olhando Paola, sorri, a admirando).

PAOLA: (enlaça o pescoço de José o olha muito) Posso te falar uma coisa?

JOSÉ: (a olhando) Pode.

PAOLA: (olhando a boca de José) Assim que te vi… Me senti atraída…

JOSÉ: (junta o corpo de Paola no dele a olhando) Eu também Paola. (beija Paola com vontade).

PAOLA: (beijando José, o olha muito sorri, acaricia o rosto dele) Muito bom o seu beijo…

JOSÉ: (sorri safado) Te beijo o quanto quiser. (beija Paola).

Cena 8

Vila/Casa de Helena

ANA CLARA: (está olhando pela janela).

HELENA: Ana Clara, você está ai um tempão, que tanto você olha por essa janela?

ANA CLARA: Estou esperando José… Nós combinamos de sair hoje.

HELENA: Sei… Bem se e isso fica ai…

ANA CLARA: Estou preocupada ele está atrasado.

HELENA: Não goste sua preocupação com ele, eu te avisei…

ANA CLARA: Deve ter acontecido alguma coisa.

HELENA: Aconteceu, José deve estar por ai aproveitando a noite e nem se lembrou de você.

ANA CLARA: Se for isso vou ficar muito chateada e brava com ele.

HELENA: Eu te disse para ficar com o Bruno, mas você não me ouviu.

ANA CLARA: (pensativa).

Cena 9

Dia Seguinte/Manhã/Ind. Alimentícia Fiore.

LUIGI: (entra, cumprimenta á todos, simpático).

ISAQUE: (se aproxima sorri) Bom dia Luigi, como vai?

LUIGI: Bem obrigado.

ISAQUE: É bom ver o senhor por aqui.

LUIGI: Eu vim porque ou fazer uma reunião para tranquilizar Giovanna, ela anda muito agitada pelo que aconteceu com o Mário.

ISAQUE: Não é para menos, todos aqui estamos indignados pelo que aconteceu.

LUIGI: Pois é… Venha comigo preparar a sala de reunião, minha filha já deve estar chegando.

ISAQUE: Quem mais vai se juntar á nós?

LUIGI: Enrico, José, o investigador e Carlo se ele aparecer, desde ontem que não sei dele…

ISAQUE: Quer que eu ligue para ele?

LUIGI: Não, Giovanna está tentando localiza-lo, vem, vamos arrumar a sala.

Cena 10

Mansão Fiore/Sala

GIOVANNA: (está ligando para Carlo).

PAOLA: (desce as escadas) Bom dia Gi.

GIOVANNA: Bom dia, Paola você sabe de alguma coisa do Carlo?

PAOLA: Felizmente não, ele saiu e até agora não voltou.

GIOVANNA: Eu sei, mas preciso dele na reunião…

VITÓRIO: (vem da sala de jantar) Que reunião?

GIOVANNA: Não te interessa. (vai saindo).

VITÓRIO: Interessa sim, que reunião?

GIOVANNA: (olha Vitório com raiva) Uma reunião para ajudar nas investigações sobre a morte de Mário.

VITÓRIO: Eu vou com você.

GIOVANNA: Se você quiser ir, vá sozinho!

VITÓRIO: (sorri) Tudo bem, vou sozinho, antes só do que mal acompanhado.

GIOVANNA: Odeio você. (sai).

PAOLA: O clima entre vocês sempre é péssimo assim?

VITÓRIO: (sorri, beija o rosto de Paola) Sempre, até logo prima. (sai).

PAOLA: (se senta no sofá, sorri lembrando do beijo de José).

CARLO: (entra, está sem camisa, bêbado, olha Paola).

PAOLA: (se levanta, olhando Carlo) Você está bem?

CARLO: E você se preocupa?

PAOLA: Vendo você assim…

CARLO: Não gaste sua preocupação comigo, eu estava me divertindo por ai. (sorri) Estava com minhas fãs, foi perfeito. (vai tentar subir as escadas, tropeça, cai).

PAOLA: (o observa).

DOMÉNICA: (se aproxima de Carlo) Carlo! Você está bem?

CARLO: Estou Doménica não se preocupa. (tenta se levantar, cai).

DOMÉNICA: Paola vem me ajudar, vamos colocar ele na cama.

PAOLA: Eu não vou fazer nada, se ele bebeu e não está acostumado o problema é dele.

DOMÉNICA: (olhando Paola) Por favor minha filha… Ajude seu marido.

PAOLA: Carlo e eu não temos mais nada.

CARLO: Nós ainda somos casados!

PAOLA: Por que você não quer assinar o divórcio!

CARLO: E nunca vou assinar!

PAOLA: Mamma desculpa, mas por mim ele pode morrer! (sai).

DOMÉNICA: Carlo… Se apoia em mim, vamos para o seu quarto.

CARLO: Agradeço a ajuda Doménica… Mas você não pode fazer esforço… Pode deixar… Eu consigo chegar ao meu quarto. (sobe as escadas devagar).

MIRELLA: (entra, sorri) Bom dia mamma.

DOMÉNICA: Bom dia meu amor.

MIRELLA: A garagem está vazia, aconteceu alguma coisa?

DOMÉNICA: Não Mirella, todos menos Paola foram para a empresa.

MIRELLA: Então somos só nós aqui. (sorri) O que podemos fazer?

DOMÉNICA: Tem uma coisa que eu quero faz tempo… Você me leva para ver os restaurantes? Estou com saudades dos amigos.

MIRELLA: Claro que te levo mamma. (sorri).

DOMÉNICA: (sorri) Então vou buscar a minha bolsa.

Cena 11

Mansão Albuquerque/Sala de Jantar

SUSANA: (está sentada, pensativa).

ELIS: Mamãe você não comeu nada…

SUSANA: Estou sem apetite…

VITOR: Mesmo assim você tem que comer.

SUSANA: Não quero nada… (o celular toca, atende) Alô.

RAFAEL: (esta no apartamento de Jonas) Dona Susana Albuquerque?

SUSANA: Sim, quem está falando?

RAFAEL: Meu nome é Rafael Almeida, sou da policia, estou no apartamento de Jonas Albuquerque.

SUSANA: Eu não quero saber o que ele fez, nosso casamento acabou.

RAFAEL: O senhor Jonas Albuquerque… Se suicidou com um tiro na cabeça.

SUSANA: (em choque, deixa o celular cair).

VITOR: O que aconteceu mamãe?

SUSANA: (olha Vitor, sem ação) Seu pai…

ELIS: O que tem ele?

SUSANA: Se matou…

ELIS: (se levanta, desesperada) O que! (pega o celular do chão) Alô!… Eu sou Elis Albuquerque, filha do Jonas.

VITOR: (chora).

Cena 12

Vila/Rua

JOSÉ: (está saindo de sua casa).

ANA CLARA: (se aproxima) José…

JOSÉ: (a olha sorri) Bom dia Ana Clara.

ANA CLARA: Bom dia… Ontem fiquei te esperando… Fiquei preocupada.

JOSÉ: Não deu para te avisar, o seu Luigi pediu para que eu ficasse até mais tarde, desculpa, se você quiser podemos sair hoje á noite. (sorri).

ANA CLARA: (sorri) Está bem, e como está o novo trabalho?

JOSÉ: Muito bem, estou gostando, eu tenho que ir agora, mas á noite nos vemos… (sorri, a beija).

ANA CLARA: (beijando José, sorri) Até mais tarde.

JOSÉ: (entra em seu carro, sai).

BRUNO: (se aproxima) Então você e José estão… Namorando?

ANA CLARA: (olhando Bruno) Ainda não… Bruno, eu gosto muito de você… Não quero que entre nós fique um clima chato.

BRUNO: (sorri) Claro que não, eu não vou te tratar mal porque você preferiu José.

ANA CLARA: (fica sem graça) Bruno…

BRUNO: Não se preocupa… Eu entendo. (a olha) Eu tenho que ir… Até logo. (sai).

ANA CLARA: (olhando Bruno se afastando) É melhor eu ir trabalhar também.

Cena 13

Uma Hora Depois/Ind. Alimentícia Fiore/Sala de Reuniões.

(Estão presentes Giovanna, Luigi, Enrico, Isaque, José, Vitório, Sérgio e Camila, todos menos Camila estão sentados).

GIOVANNA: Eu não me conformo com isso… Esse crime é a coisa mais monstruosa que já vi… Estou com medo Sérgio, afinal quem fez isso com Mário deixou claro que ele fez por achar que foi traído, isso quando eu descobri que alguém mandou Mário nos roubar.

VITÓRIO: Para mim isso é coisa de mulher traída, as vezes ela viu Giovanna no apartamento de Mário, achou que era uma amante dele e fez o cara sangrar até a morte. (sorri).

GIOVANNA: (olha Vitório séria, irritada) Isso é sério! Não é hora de fazer piadinha sem graça.

LUIGI: Concordo… Sérgio você descobriu alguma coisa aqui?

SÉRGIO: Pouco, o que as pessoas daqui sabem sobre Mário são coisas de trabalho, se ele teve um cúmplice acho pouco provável que seja daqui, posso estar enganado.

ISAQUE: Você já olhou as imagens que temos das câmeras de segurança? Pode ajudar em alguma coisa.

SÉRGIO: Farei isso hoje mesmo se me permitirem.

LUIGI: Fique á vontade para fazer o que quiser investigador, eu quero que isso seja resolvido o mais depressa possível.

SÉRGIO: Onde ficam as imagens de segurança?

LUIGI: Camila leva o investigador, por favor, até a sala de segurança, e vocês fiquem, vou aproveitar que estamos aqui para ficar por dentro de algumas coisas.

SÉRGIO: (se levanta) Com licença. (sai com Camila).

VITÓRIO: Eu também quero ficar por dentro das coisas que acontecem na minha empresa.

LUIGI: Nada aqui é seu e eu vou te provar isso.

VITORIO: Pois estará perdendo o seu tempo.

GIOVANNA: Não vamos perder tempo com brigas.

SUSANA: (invade a sala de reuniões, está transtornada, olha Giovanna com ódio, aponta para ela) Você matou Jonas! Maldita seja você e todo sua família!

GIOVANNA: (olha muito Susana) Do que você está falando?

SUSANA: (vai pra cima de Giovanna).

ENRICO: (segura Susana) Acho melhor você se controlar.

LUIGI: Mas o que significa isso?

SUSANA: (com ódio) Jonas se matou por causa dessa ordinária! A sua filha era amante do meu marido! E ele se matou porque não restava mais nada, essa cobra maldita acabou com nossa família!

VITÓRIO: (sorri, Isaque, Enrico e Luigi olham Giovanna).

GIOVANNA: (olhando Susana, faz ar de riso).

FIM DO CAPÍTULO   


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s