Descaminhos – capítulo 11

11774386_666390326831582_265096495_n



 Descaminhos

Novela de Débora Costa

Capítulo 11


Personagens

Luigi Fiore

Giovanna Fiore

Enrico Salvatore

Paola Fiore

Carlo Mantovani

Mirella Fiore

Vitor Albuquerque

Elis Albuquerque

Jonas Albuquerque

Isaque Munhoz

Susana Albuquerque

José Almeida

Ana Clara Carvalho

Bruno Almeida

Nice Almeida

Silvio Almeida

Helena

Vitório Fiore

Doménica Fiore

PARTICIPAÇÕES:

Sérgio Medeiros – Investigador

Augusto Lopez – Delegado

Rafael Almeida – Policia Militar



Cena 1

Delegacia

SÉRGIO: Isso não é possível… Não faz nem uma semana do crime!

AUGUSTO: Pois é…

SÉRGIO: Eu vou continuar investigando mesmo assim!

AUGUSTO: Sérgio é melhor você deixar tudo como está.

SÉRGIO: A única parente de Mário era a irmã dele, e ela está sofrendo muito e eu prometi a ela que encontraria quem fez isso, e farei aposto que alguém comprou esse juiz!

AUGUSTO: É melhor você evitar falar essas coisas, ou vai acabar sendo preso.

SÉRGIO: Quem vai ser preso, é quem matou Mário, pode anotar ai.

Cena 2

Vila/Restaurante

DOMÉNICA: (entra com Mirella, sorri) De todos os restaurantes que temos esse é o que mais gosto.

MIRELLA: (sorri) Ouvi dizer que a nova cozinheira está atraindo mais pessoas para cá.

DOMÉNICA: Si! Seu babbo me disse algo assim.

VICENTE: (se aproxima, sorri) Seja bem vinda dona Doménica! Mirella também!

DOMÉNICA: Grazie! Como vai Vicente?

VICENTE: Vou bem! Sentem-se aqui. (puxa uma cadeira para Doménica, outra para Mirella).

DOMÉNICA: (se senta) Vicente, a nova cozinheira já chegou?

VICENTE: Já sim, ela está na cozinha, gostaria de conhecê-la?

DOMÉNICA: (sorri, simpática) Si! Como ela se chama?

VICENTE: Ana Clara vou chamar ela, já venho. (sai).

MIRELLA: O cheiro pelo menos está ótimo!

DOMÉNICA: Está mesmo.

ANA CLARA: (se aproxima).

VICENTE: Dona Doménica, essa é Ana Clara.

ANA CLARA: (sorri) Come sta? (“Como está”).

DOMÉNICA: (sorri) Io sto bene, grazie! (“Eu estou bem, obrigada”). Que linda!

ANA CLARA: Grazie é um prazer conhecer a senhora. (fala sem sotaque).

VICENTE: (cutuca Ana Clara discretamente).

DOMÉNICA: (olhando Ana Clara) Há quanto tempo você está aqui no Brasil?

ANA CLARA: Desde criança, por isso que falo bem português, meus pais moravam na Itália, meu pai era brasileiro e a minha mãe italiana, eu nasci lá.

DOMÉNICA: Em que lugar da Itália querida?

ANA CLARA: (pensativa)… Roma!

DOMÉNICA: Roma! (sorri) Muito bem, agora quero experimentar a sua comida, dizem que é muito boa.

ANA CLARA: (sorri) Claro! Vou para a cozinha.

DOMÉNICA: Arrivederci! (“até logo”).

ANA CLARA: (Não entende) Como?

VICENTE: (da risada, disfarça) Ana Clara adora brincar.

MIRELLA: (da risada, percebe que Ana Clara não é italiana).

ANA CLARA: (sorri sem entender, vai para a cozinha).

VICENTE: Vocês irão adorar a comida de Ana Clara, com licença, já volto. (sai).

DOMÉNICA: (olha Mirella, sorri) Se essa moça for Italiana, eu sou africana querida.

MIRELLA: (da risada) Mamma! Coitada, estava perdida.

DOMÉNICA: Se a comida dela realmente for boa, claro que não vou me importar com isso. (sorri).

Cena 3

Mansão Albuquerque

ENZO: Susana…

SUSANA: (nervosa) Sai daqui! Agora!

VITOR: Vai embora Enzo.

ENZO: Eu não tenho culpa de nada do que aconteceu!

SUSANA: Vitor… Coloca esse garoto para fora!

ELIS: Mamãe o Enzo…

SUSANA: (olhando Elis) Não quero saber de nada e se eu descobrir que vocês se falam, mando você para bem longe daqui!

ENZO: Eu só quero…

VITOR: (pega Enzo pelo braço) Não queremos você aqui.

ENZO: (se solta, olha Vitor, sério) Não coloca a mão em mim, porque ai eu vou ser obrigado a quebrar a sua cara! (sai).

ELIS: (fica triste).

SUSANA: Espero que você tenha entendido Elis… Nunca mais fale com o Enzo! Ela faz parte da família que nos arruinou, é irmão daquela maldita! Nunca mais chegue perto dele, fui clara?

ELIS: (triste) Sim mamãe…

Cena 4

Restaurante

LUIGI: Há quanto tempo você é modelo Alanis?

ALANIS: Desde a adolescência.

LUIGI: (bebe um pouco de vinho, olha Alanis) Você nunca pensou em fazer outra coisa?

ALANIS: (sorri) Você não gosta da minha profissão?

LUIGI: (sorri) Giovanna é formada em administração de empresas e letras, Mirella está terminando a faculdade de nutrição, Paola é formada em artes, minhas filhas falam cinco idiomas fluentemente, português, italiano, inglês, Frances e espanhol, o único vagabundo é Enzo que abandonou a faculdade de direito, você é uma mulher linda vai ser modelo enquanto é jovem… E depois?

ALANIS: (olhando Luigi, sorri) Nossa… Você acabou comigo agora.

LUIGI: Não minha querida, estou sendo realista, ainda há tempo de você ter outra profissão, o que você gostaria de fazer?

ALANIS: Eu gosto do mundo fashion, gostaria de ser estilista.

LUIGI: É uma bela profissão, invista nisso.

ALANIS: (sorri, coloca a mão sobre a mão de Luigi) Farei isso… E obrigada pelo elogio.

LUIGI: (olhando a mão de Alanis sobre a sua, a olha nos olhos) Não tem que agradecer, você é linda atraente…

ALANIS: (olhando Luigi nos olhos) E adoro homens mais velhos…

LUIGI: (sorri) Por mais que seja bom saber disso… Sou um homem casado.

ALANIS: Eu não me importo Luigi. (se aproxima para beija-lo).

LUIGI: (olhando Alanis, quase a beijando, se afasta) Eu não posso… Desculpa. É melhor irmos embora. (coloca o dinheiro na mesa, se levanta).

ALANIS: (sorri, se levanta) Está bem… Mas saiba Luigi que eu gostei de você e não vai ser fácil se livrar de mim.

LUIGI: (sorri) Não quero me livrar de você, só não posso ter nada com você.

ALANIS: (se aproxima de Luigi o olha nos olhos, fala em seu ouvido) Pois eu quero tudo com você… (o olha, pisca, sorri).

Cena 5

Café

GIOVANNA: (olhando Enrico) E foi assim que aconteceu tudo, Jonas não suportou e se matou.

ENRICO: E você lamenta a morte dele?

GIOVANNA: Não… O que achou de tudo que te contei?

ENRICO: (olhando Giovanna) Bene… Você foi inteligente, soube fazer Jonas se autodestruir sem que ele percebesse, o fez se apaixonar por você, foi fria… Fez por vingança por tudo que seu pai passou…

GIOVANNA: (sorri) Não me arrependo de nada… E você? Já se arrependeu de se interessar por mim?

ENRICO: Não… Isso só fez com o que eu sinto por você cresça mais, não vou negar que o modo frio com o que você arquitetou me assustou, mas mostra a sua inteligência que é admirável e mostra o que você é capaz de fazer quando ama alguém verdadeiramente.

GIOVANNA: (olhando Enrico) Eu não confio quando um homem diz gostar de mim Enrico… Então desista.

ENRICO: (segura a mão de Giovanna, a olha) Acredite em mim, eu gosto de você.

GIOVANNA: (olhando Enrico) Você ouviu tudo o que te contei? Hoje e… Quando te contei sobre o aborto…

ENRICO: Sim e não me importo, eu gosto de você, sua personalidade é forte e ao mesmo tempo você é uma mulher sensível… A cada dia me apaixono mais por você.

GIOVANNA: (solta a mão de Enrico) Pois não deveria… Não quero me relacionar com ninguém.

ENRICO: (fica triste) Está bem…

GIOVANNA: (olha Enrico) Desculpa, eu não queria ser grossa com você… Mas eu tenho muitos problemas…

ENRICO: Estou disposto a te ajudar… A ficar ao seu lado em todos os momentos.

GIOVANNA: Você tem belas palavras e já demonstrou muitas vezes que faz coisas por mim… Mas e se eu aceitar? Como você vai agir?

ENRICO: Garanto que da mesma maneira, não estou fazendo tudo só para te conquistar e depois te deixar, mas sim para passar a vida toda ao seu lado.

GIOVANNA: (olhando nos olhos de Enrico)… Vou pensar.

ENRICO: (sorri) Já é um começo… Aceita jantar comigo hoje?

GIOVANNA: (olhando Enrico) Hoje não dá Enrico, com tudo isso acontecendo prefiro ficar em casa.

ENRICO: E se o jantar fosse no meu apartamento? Prometo me comportar bem.

GIOVANNA: (sorri) Não… Mas você pode jantar na minha casa se quiser.

ENRICO: (sorri) Eu quero sim… Grazie.

GIOVANNA: Pelo o que?

ENRICO: Por me deixar estar perto de você.

GIOVANNA: (sorri, olhando Enrico).

Cena 6

Ind. Alimentícia Fiore/Escritório de Luigi

JOSÉ: (está falando ao telefone) O senhor pode vir nos visitar amanhã então, até mais. (desliga).

ISAQUE: (entra, está nervoso) Luigi já foi?

JOSÉ: Já sim, ele me pediu para agendar a visita do dono do supermercado que quer ter nossos produtos.

ISAQUE: Entendi.

JOSÉ: Aconteceu alguma coisa?

ISAQUE: Eu vi Giovanna saindo com Enrico…

JOSÉ: (sorri) Essa Giovanna é perigosa.

ISAQUE: Não fala assim dela! Eu a perdi por ser estúpido!

JOSÉ: Pelo que eu sei, Enrico gosta dela e não esconde de ninguém.

ISAQUE: Duvido que ele consiga algo com Giovanna.

CAMILA: (entra) José, com licença, dona Paola está te esperando na portaria.

JOSÉ: (sorri) Já estou indo, obrigado.

CAMILA: (sai).

ISAQUE: (olha José) José… Essa sim é perigosa e o marido dela muito mais.

JOSÉ: Pode deixar que da minha vida, cuido eu. (sai).

ISAQUE: Se é assim… Carlo vai adorar saber disso.

Cena 7

Rua

PAOLA: (está em seu carro).

JOSÉ: (se aproxima, sorri) Paola…

PAOLA: (sorri desce do carro, abraça José, o olha) Senti saudades e vim te ver.

JOSÉ: Você é corajosa, vir até aqui me ver sabendo que Carlo pode chegar…

PAOLA: (sorri) Não estou nem ai para ele…

JOSÉ: Eu já terminei de fazer o que seu pai me pediu, ele disse que tenho o dia livre.

PAOLA: Mesmo? Pensei que ele te encheria de trabalho.

JOSÉ: É que hoje aconteceu uma coisa desagradável envolvendo sua irmã Giovanna.

PAOLA: O que aconteceu?

JOSÉ: Uma mulher invadiu a sala de reuniões dizendo que o marido dela… Jonas… Se matou por causa de Giovanna.

PAOLA: Como? Me conta essa história direitinho mas não aqui, vamos até um barzinho.

JOSÉ: (sorri) Vamos… (olhando Paola).

PAOLA: (sorri, olhando José) Assim não vou resistir… (beija José).

JOSÉ: (beijando Paola).

PAOLA: (olha José, sorri) Vamos, quero saber de tudo!

Cena 8

Vila/Restaurante

VICENTE: O que achou da comida de Ana Clara? (sorri).

DOMÉNICA: (sorri) Excelente! Eu vou até a cozinha falar com ela.

VICENTE: (sorri) Claro.

MIRELLA: (vê Bruno passando).

DOMÉNICA: Você vem comigo querida?

MIRELLA: Não, eu vou falar com um amigo que acabei de ver! (sorri) Com licença. (sai).

Cena 9

Cozinha

ANA CLARA: (está preparando tempero).

DOMÉNICA: (se aproxima) Signorina (“senhorita”)…

ANA CLARA: (olha Doménica, não entendeu o que ela disse, sorri) Oi!…

DOMÉNICA: (segura a mão de Ana Clara, a olha sorri) Não precisa fingir que é italiana querida, não vou te despedir.

ANA CLARA: Me desculpa! Eu não queria ter mentido para a senhora, eu fiquei com medo que Vicente fosse despedido e eu também.

DOMÉNICA: Está tudo bem, eu vim te dar parabéns pela comida que você prepara.

ANA CLARA: (sorri) Obrigada.

DOMÉNICA: Aproveito para te fazer um convite, esse fim de semana, vá até a minha casa e prepare o jantar da minha família, assim eles ficam te conhecendo, aceita?

ANA CLARA: (sorri, feliz) Sim! Claro que aceito, eu estou muito feliz, obrigada!

DOMÉNICA: (sorri) Até sábado então.

Cena 10

Vila/Rua

MIRELLA: (se aproxima de Bruno sorri) Oi…

BRUNO: (olha Mirella sorri) Mirella! (a abraça).

MIRELLA: (abraçada, sorri) Quanto tempo! (o olha feliz) Eu pensei muito em você essa semana! Nos nosso tempo de infância.

BRUNO: (sorri) Você era a minha melhor amiga.

MIRELLA: O que você tem feito?

BRUNO: Eu faço entregas em um supermercado, e você?

MIRELLA: Estou terminando a faculdade de Nutrição… (sorri) Estou muito feliz por ter te reencontrado!

BRUNO: (sorri) Eu também Mi, não vamos mais perder contato! Vamos sair juntos um dia.

MIRELLA: Eu vou adorar! (pega na bolsa um cartão) Aqui tem meus contatos, me liga para marcar, quero relembrar com você tudo que fazíamos.

BRUNO: Pode deixar essa semana mesmo te ligo.

MIRELLA: Tenho que ir agora, vou esperar você me ligar. (abraça Bruno, sorri). Até logo. (sai).

BRUNO: (sorri olhando Mirella, pensativo).

Cena 11

Apartamento de Sérgio

SÉRGIO: (está fumando e vendo os vídeos de segurança da indústria alimentícia Fiore, em um dos corredores vê Mario aflito, inquieto, andando de um lado para outro, Sérgio fica atento, vê Mario ligando para alguém e saindo com pressa) Com quem você estava falando Mario… Preciso de uma pista… (continua vendo as gravações, no refeitório vê Mario discutindo com alguém, mas não dá para ver quem, pois a pessoa está atrás de uma coluna, o vídeo é interrompido e não há mais imagens gravadas. Sérgio vai verificar) Não é possível… Tinha que ter pelo menos mais três horas de vídeo… Eu não acredito que quem matou Mario… Teve tempo de apagar as imagens… E como fez isso?… Não problema… Cedo ou tarde… Eu pego você.

Cena 12

Mansão Fiore/Sala

GIOVANNA: (entra, está usando o casaco de Enrico).

LUIGI: (se aproxima) Giovanna, onde você estava?

GIOVANNA: Eu fui almoçar com Enrico babbo… (vai subindo as escadas).

LUIGI: O que você está escondendo de mim?

GIOVANNA: Nada babbo…

LUIGI: É mesmo? Então tira esse casaco, nem sei por que está usando, já que não está frio.

GIOVANNA: Eu derrubei vinho na minha blusa e Enrico me emprestou o casaco dele porque manchou e ficou horrível.

LUIGI: Eu quero ver a mancha.

GIOVANNA: Babbo, eu realmente preciso ir para meu quarto. (sobe as escadas).

LUIGI: (vai atrás de Giovanna).

Cena13

Suíte de Giovanna

GIOVANNA: (tira o casaco de Enrico, coloca em cima da cama, vai olhar no espelho o corte no braço).

LUIGI: (entra).

GIOVANNA: (se assusta, tampa com a mão o corte no braço) Babbo! Você agora entra sem bater?…

LUIGI: (olhando Giovanna se aproxima) Eu quero ver o que você está me escondendo…

GIOVANNA:… Eu me machuquei e não queria que você ficasse preocupado… (tira a mão do corte).

LUIGI: (olhando o braço de Giovanna) Como você se machucou?

GIOVANNA: Foi por distração… Me cortei na porta do carro.

LUIGI: (olhando Giovanna, cruza os braços) Como você conseguiu se cortar assim na porta do carro?

GIOVANNA: Babbo… Não vem ao caso, eu me machuquei e pronto, estou bem, agora eu gostaria de tomar banho, se você me der licença…

LUIGI: (olhando Giovanna) Quem fez isso?

GIOVANNA: Eu mesma acabei de contar.

Cena 14

Corredor

ENZO: (está vindo pelo corredor, ouve a voz de Luigi, se aproxima da porta da suíte de Giovanna, fica ouvindo).

Cena 15

Suíte de Giovanna

LUIGI: Eu vou perguntar á Enrico o que realmente aconteceu, já que você acha que sou idiota para acreditar nessa história que me contou.

GIOVANNA: Foi a Susana babbo! Foi a Susana que me cortou! Eu estava indo pegar o meu carro, não a vi no estacionamento, e ela veio feito louca para cima de mim com uma tesoura… Se não fosse Enrico ela teria feito coisa pior.

LUIGI: (preocupado, nervoso) Por que você não me contou antes? Essa mulher está completamente fora de si!

GIOVANNA: Porque eu não queria que você ficasse assim, felizmente não foi nada demais, só um susto e um corte no braço.

LUIGI: Você vai andar com um segurança, essa louca pode querer fazer algo contra você novamente, temos que fazer uma denuncia.

ENZO: (entra inconformado) Giovanna acabou com a família da Susana, os deixou sem nada, fez Jonas se apaixonar por ela a ponto dele se matar quando soube que estava sendo usado, e por causa dela não posso mais ver Elis… Por quem estou apaixonado… E você quer coloca-la numa redoma, para que ninguém fala mal a ela?… E o mal que Giovanna fez, e vai continuar fazendo? Você vai encobrir até quando?

LUIGI: (está sério, olhando Enzo).

Fim do Capítulo  



Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s