Descaminhos – capítulo 17

11774386_666390326831582_265096495_n


Descaminhos 

Novela de Débora Costa


Capítulo 17

Helena é morta pelo assassino de Mário e você vai descobrir a identidade dele.

Personagens

Luigi Fiore

Giovanna Fiore

Enrico Salvatore

Paola Fiore

Carlo Mantovani

Mirella Fiore

Vitor Albuquerque

Elis Albuquerque

Jonas Albuquerque

Isaque Munhoz

Susana Albuquerque

José Almeida

Ana Clara Carvalho

Bruno Almeida

Nice Almeida

Silvio Almeida

Helena

Vitório Fiore

Doménica Fiore

PARTICIPAÇÕES:

Sérgio Medeiros – Investigador

Augusto Lopez – Delegado

Rafael Almeida – Policia Militar 


 


Cena 1

Noite/Mansão Fiore/Sala

VITÓRIO: (beijando Giovanna).

GIOVANNA: (empurra Vitório, dá um tapa no rosto dele, grita) Você ficou louco?

VITÓRIO: (olha Emiliano, sorri).

GIOVANNA: (olha Emiliano, está nervosa, ofegante) Emiliano… Você chegou agora?

EMILIANO: (olhando Giovanna) Não…

GIOVANNA: (com vontade de chorar, nervosa) Foi ele que me beijou a força! (olha Vitório) Você não faz ideia de como te odeio.

VITÓRIO: (sorri) Não vi isso no nosso beijo.

GIOVANNA: (vai pra cima de Vitório).

EMILIANO: (segura Giovanna) Calma… (a olha muito) Você está muito linda para perder tempo com Vitório. (dá um soco em Vitório, o olha com raiva) Se você chegar perto de Giovanna novamente… Vai se ver comigo.

VITÓRIO: (fica com raiva, encara Emiliano) Você faz ideia em quem bateu? Sabe do que eu sou capaz?

GIOVANNA: (fica entre Vitório e Emiliano) Parem… Emiliano, eu vou me recompor e você vem comigo.

VITÓRIO: Dessa vez eu vou deixar passar porque foi até engraçado você querendo bancar o herói para Giovanna, mas se você se meter comigo de novo… Vai se arrepender de ter nascido… (olha Giovanna) Fala pra ele do que eu sou capaz. (sai).

GIOVANNA: (esbraveja, está com raiva) Eu preciso tirar Vitório dessa casa!

EMILIANO: (se aproxima de Giovanna, a olha, acaricia o rosto dela) Não fique assim por ele… (a beija, a olha) Quase morri de ciúmes quando vocês se beijando… E fiquei muito feliz ao ver que você não queria.

GIOVANNA: (olhando Emiliano, sorri um pouco) Que bom que você viu a verdade… (ofegante) Bem eu… Vou retocar a maquiagem, já que esse infeliz saiu você me espera aqui, não demoro.

EMILIANO: (entrega o buque de flores á Giovanna) Está bem.

GIOVANNA: (sorri) São lindas, obrigada, eu já volto. (sobe as escadas).

EMILIANO: (sorri pensativo).

Cena 2

Balada

ELIS: (entra, olha em volta).

ENZO: (se aproxima, beija Elis, sorri) Fiquei muito feliz ao saber que você viria.

ELIS: (sorri) Minha mãe me deixou vir, disse que seria bom para me distrair…

ENZO: Vem comigo, quero te apresentar pra uma galera que conheci, eles podem nos ajudar com nossa casa noturna.

ELIS: (sorri) Que ótimo meu amor, claro, mas depois preciso falar com você sobre um assunto desagradável…

ENZO: Que assunto?

ELIS: Giovanna…

ENZO: É bem desagradável falar sobre minha sorella… Mas se você quer eu falo. (sorri).

ELIS: (sorri, beija Enzo).

Cena 3

Mansão Albuquerque/Suíte de Susana

SUSANA: (está sentada no chão, tomando champanhe, olhando fotos de Jonas espalhadas no chão, pega uma foto em que está junto com ele, olha muito, se lembra do dia que tirou a foto).

Cena 4

Lembrança de Susana/Parque

SUSANA: Adorei esse lugar meu amor.

JONAS: (sorri) Eu sabia que você iria gostar daqui, assim que conheci pensei em você.

SUSANA: Quando você veio aqui pela primeira vez?

JONAS: Semana passada com uns amigos, temos que trazer nossos filhos aqui também, eu preferi vir aqui sozinho com você, para aproveitarmos um tempo juntos… (sorri).

SUSANA: (sorri) Eu te amo.

JONAS: Eu também te amo. (se beijam. Fim da lembrança de Susana).

Cena 5

Mansão Albuquerque/Suíte de Susana

SUSANA: (chora) Mentiroso… Desgraçado. (rasga a foto, toma mais champanhe, mexe nas fotos no chão, encontra uma nota de compra, pega, olha, vê que Jonas comprou uma joia) Isso não foi pra mim… Deve ter sido para aquela vadia… (amassa com raiva a nota de compra, se levanta, vai até o closet, abre a parte que era de Jonas, olha os ternos dele, chora, passa a mão) Jonas… Ao mesmo tempo que te amo, te odeio… Odeio por tudo que você me fez… (pega um terno, coloca em cima da cama, acaricia, percebe que tem algo no bolso, pega, é um papel dobrado, abre, lê) Meu querido Jonas… A nossa noite juntos foi inesquecível, vou guardar com muito carinho o brinco que você me deu, vou usa – lo em um dia especial. Te adoro, beijos da sua Gi… (com ódio olha a carta, pensativa) Vamos ver quanto vale essa carta… Gi, sua ordinária… Vou fazer você pagar por tudo…

Cena 6

Casa de José/Quarto de José

PAOLA: (está se vestindo).

JOSÉ: (entra, está só de toalha na cintura, beija o pescoço de Paola) Se aqui não fosse tão pobre, pediria para você passar a noite aqui comigo.

PAOLA: (da risada, se vira para José, sorri, o olha) Você tem vontade de ser rico não é?

JOSÉ: Muita… É por isso que preciso continuar no emprego, sei que posso mostrar do que sou capaz para seu pai.

PAOLA: (pega a bolsa) Para mim você mostrou do que é capaz… (sorri, pega a carteira olhando José, pega um talão de cheques) E vou te recompensar por isso.

JOSÉ: (olhando Paola sorri) Vai me pagar por sexo?

PAOLA: (da risada) Não, mas vou te dar um gostinho de como é ser rico. (faz um cheque, entrega á José).

JOSÉ: (olha o cheque) Uau… Você tem certeza que quer me dar tudo isso?

PAOLA: (sorri) Sim, vá ao shopping, faça compras, compre o que desejar, roupas, sapatos, perfumes, alguma coisa que queira muito… Enfim, é para você meu amor… E eu quero te ver lindo amanhã, mais do que você já é, passe o dia fora, direi ao meu pai que você não está se sentindo muito bem e que por isso não irá trabalhar amanhã.

JOSÉ: (beija Paola, a olha sorri) Obrigado… Farei como você está falando.

PAOLA: (pega a bolsa, sorri) Comigo você sempre irá ganhar, agora… Se ver aquela tal Ana Clara de novo… O dinheiro que irei gastar será para mandar te matar…

JOSÉ: (olhando Paola) Não se preocupe… Não vou ter mais nada com ela, eu nunca tive mesmo.

PAOLA: Ótimo, me acompanhe até a porta. (sorri, sai do quarto de José).

Cena 7

Sala

SILVIO: (entra com Nice).

PAOLA: (se aproxima, sorri) Olá.

SILVIO: Oi…

JOSÉ: (se aproxima, olha os pais) Vocês voltaram cedo.

NICE: Pois é querido… E essa moça quem é?

PAOLA: Eu sou Paola Fiore… Namorada de José. (sorri) Muito prazer.

NICE: Prazer…

SILVIO: Você não é casada?

PAOLA: Não, eu tenho que ir, volto outro dia para conversarmos… (olha José, o beija) Até amanhã. (sai).

SILVIO: (olha sério para José) Meu filho… O que você está fazendo?

JOSÉ: (sorri) Indo dormir, boa noite. (vai para seu quarto).

NICE: Silvio… Melhor não se envolver…

SILVIO: Como não vou me envolver? Essa Paola é casada! O que José está fazendo da vida dele?

NICE: Você disse querido… Vida dele… Se nos metermos… Ele irá brigar conosco.

SILVIO: Isso não vai acabar bem…

Cena 8

Apartamento de Alanis/Quarto de Alanis

ALANIS: (está deitada, encostada em Luigi, o beija).

LUIGI: (beijando Alanis, a olha sorri, acaricia o rosto dela) Você é incrível garota.

ALANIS: Para de me chamar de garota, eu não sou garota, sou uma mulher… (sorri) Você também é incrível.

LUIGI: Estou gostando muito de você, pela primeira vez a minha filha Paola acertou na amizade.

ALANIS: (sorri, o olha) Então nós… Estamos juntos de alguma forma?

LUIGI: (acariciando o braço de Alanis) Eu amo a minha mulher… Estamos juntos há anos, temos filhos… (olha Alanis) Mas nunca fui um santo, sei que Doménica merece um santo, mas eu não sou… E você Alanis está me fazendo sentir coisas que não sentia há alguns anos…

ALANIS: (beija Luigi, o olha) Vou ser só dessa noite?

LUIGI: Não… Será de muitas noites, momentos… Tudo que você quiser. (sorri).

ALANIS: (beija Luigi, sorri) Ainda bem porque você não iria se livrar de mim tão fácil.

LUIGI: (olha Alanis) Você está disposta a ser só minha? Mesmo eu sendo casado e tendo uma família?

ALANIS: (deita sobre Luigi o olha muito) Vou seguir todas as suas regras Luigi. (o beija com vontade).

Cena 9

Restaurante

GIOVANNA: Emiliano espero que você não leve em consideração tudo que viu em casa…

EMILIANO: A única coisa que levei em consideração foi o jeito de Vitório, ele se acha muito valente.

GIOVANNA: Ele é… Como Vitório falou, é melhor você saber que ele é capaz de qualquer coisa, na Itália ele era envolvido com a máfia, aposto que está aqui para fugir de alguma coisa, e eu vou descobrir o que é.

EMILIANO: (segura a mão de Giovanna, a olha) Não vamos perder tempo falando dele… Você pensou no meu pedido de namoro?

GIOVANNA: (olhando Emiliano) Pensei…

EMILIANO: E… A resposta é…

GIOVANNA: (sorri) Sim… Eu quero namorar com você.

EMILIANO: (fica feliz, beija Giovanna, a olha muito sorri) Eu te amo Giovanna. (pega um anel do bolso, coloca no dedo de Giovanna).

GIOVANNA: (sorri) Eu também amo você.

EMILIANO: Como é? (sorri) Repete por favor.

GIOVANNA: (da risada) Eu amo você… Pensei que nunca mais eu sentiria isso, mas você conseguiu me fazer amar…

EMILIANO: E vou fazer você amar a cada dia… Você não faz ideia de como estou feliz.

GIOVANNA: (sorri) Estou vendo… Sabe o fato de você saber coisas sobre mim que ninguém sabe, e não se importa com o meu jeito, me atraiu muito.

EMILIANO: Amo você independente do que tenha feito, (sorri) agora vamos comemorar nosso namoro, vou pedir um vinho especial.

GIOVANNA: Adoro vinho. (sorri, beija Emiliano).

Cena 10

Local da Corrida de Carlo

CARLO: (está ao lado de seu carro, pensativo).

MANUELLA: (se aproxima, sorri) Oi.

CARLO: (sorri) Oi! Você veio mesmo.

MANUELLA: Claro! Eu nunca assisti uma corrida de arrancada de perto.

CARLO: Agora vou ter motivo para dar tudo de mim nessa corrida.

MANUELLA: (olhando Carlo) Posso te dar mais um motivo?

CARLO: Pode.

MANUELLA: (beija Carlo).

CARLO: (beijando Manuella).

JORNALISTA: (tira uma foto de Carlo e Manuella se beijando).

MANUELLA: (olha muito Carlo sorri).

CARLO: (sorri) O que… Por que você fez isso?

MANUELLA: Desde que te vi tive essa vontade…

CARLO: (sorri) Eu gostei… Faz tempo que não tenho esse tipo de carinho.

MANUELLA: (beija mais Carlo, o olha muito) No que depender de mim terá sempre.

CARLO: Eu poderia te falar que sou casado, mas a minha mulher além de não ligar para mim, vive agarrada com outros… Então ela que se dane. (beija Manuella).

Cena 11

Balada

ELIS: Giovanna costuma sair muito?

ENZO: Não, ela só sai em caso de jantar com algum empresário, para resolver coisas da empresa.

ELIS: Fico pensando onde ela ia com meu pai… O que ela gosta de fazer?

ENZO: Meu amor da Giovanna eu não sei muita coisa, não me dou bem com ela, Mirella ou Paola podem te responder tudo. (sorri).

ELIS: (sorri) Desculpa ficar perguntando dela assim…

ENZO: Não tem problema Elis… Então, já temos um nome para nossa casa noturna?

ELIS: Eu pensei em um nome, (olha Enzo) Que tal… Fênix.

ENZO: (sorri) Perfeito! Gostei, será esse nome.

ELIS: (beija Enzo, o olha sorri) Que bom que você gostou meu amor, então você já pode mostrar o nosso projeto para o seu pai.

ENZO: Vou mostrar amanha sem falta, agora vamos dançar! Já chega de falar de trabalho. (leva Elis para a pista de dança).

Cena 12

Saída do Restaurante

GIOVANNA: (está com Emiliano) Vou te pedir descrição sobre nosso namoro na empresa, deixa que as pessoas vão perceber, não precisa anunciar.

EMILIANO: (sorri) Como você quiser.

GIOVANNA: E na empresa não podemos ficar com intimidades Emiliano.

EMILIANO: (da risada) Já entendi, eu sou o funcionário e você a chefe.

GIOVANNA: (sorri) Isso. (beija Emiliano).

Do outro lado da rua/Prédio onde Alanis mora

LUIGI: (está saindo).

ALANIS: (acompanha Luigi).

Saída do Restaurante

EMILIANO: (olha Luigi) Giovanna… Olha o seu pai ali.

GIOVANNA: (olha Luigi) É… É ele mesmo, mas o que ele está fazendo com aquela mulher?

Do outro lado da rua/Prédio onde Alanis mora

ALANIS: (beija Luigi).

Saída do Restaurante

GIOVANNA: (olha muito Luigi e Paola se beijando, inconformada).

EMILIANO: (olha Giovanna, não sabe o que fazer).

Do outro lado da rua/Prédio onde Alanis mora

LUIGI: (entra em um taxi).

ALANIS: (entra no prédio).

Saída do Restaurante

GIOVANNA: (as lagrimas escorrem, está nervosa) Eu vou lá agora falar com essa perua!

EMILIANO: Giovanna é melhor não… Você não sabe quem ela é…

GIOVANNA: Mas você viu! Meu babbo estava beijando ela!… (chora) Não acredito nisso…

EMILIANO: (abraça Giovanna) Quer um conselho meu?… Fale com seu pai amanha… E se você pensar melhor não vai nem tocar no assunto.

GIOVANNA: Vou sim! Quero saber tudo sobre essa mulherzinha… E tirar ela do caminho do meu pai, não é justo ele trair a mamma assim…

EMILIANO: Não gosto de te ver assim meu amor…

GIOVANNA: (olha Emiliano, o abraça).

Cena 13

Vila/Rua

HELENA: (está caminhando apressada, a rua está vazia, um carro para perto dela, abre a porta, entra).

ISAQUE: (a olha) Alguém te viu saindo?

HELENA: Não…

ISAQUE: Ótimo… Onde está a carta?

HELENA: Aqui comigo… (olha muito Isaque) Foi você que matou Mário?

ISAQUE: (segue com o carro, não responde).

HELENA: Isaque para o carro, eu não quero sair com você!

ISAQUE: Eu quero a carta agora.

HELENA: Não vou te entregar até você me responder.

ISAQUE: (começa a correr com o carro).

HELENA: (fica com medo) Para por favor…

ISAQUE: A carta… Me da que eu paro.

HELENA: (pega a carta da bolsa, entrega a Isaque).

ISAQUE: (pega a carta, diminui a velocidade, para o carro em um lugar deserto, olha Helena) Alguém mais sabe da existência dessa carta?

HELENA: Não… Somente eu.

ISAQUE: (pega um isqueiro, coloca fogo na carta).

HELENA: Por que você fez isso!

ISAQUE: (espera a carta se consumir nas chamas, olha Helena) Porque eu matei Mario.

HELENA: (olhando Isaque, assustada) Por quê?

ISAQUE: (pega um par de luvas do bolso, calça nas mãos) Porque ele estava prestes a me entregar… Assim como você.

HELENA: Isaque… O que você vai fazer? (está com medo).

ISAQUE: (pega um bisturi, olha Helena) Matar você.

HELENA: (tenta sair do carro, a porta está travada).

ISAQUE: Não perde seus últimos momentos com desespero em vão… (sorri).

HELENA: (chora) Você não pode fazer isso comigo! Eu não vou te entregar, juro!

ISAQUE: (olhando Helena) Eu sei. (passa o bisturi na jugular de Helena, fica olhando friamente ela morrer).

Fim do Capítulo


Anúncios

4 comentários em “Descaminhos – capítulo 17

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s