Descaminhos – capítulo 19

11774386_666390326831582_265096495_n


Descaminhos 

Novela de Débora Costa


Capítulo 19


Personagens

Luigi Fiore

Giovanna Fiore

Enrico Salvatore

Paola Fiore

Carlo Mantovani

Mirella Fiore

Vitor Albuquerque

Elis Albuquerque

Jonas Albuquerque

Isaque Munhoz

Susana Albuquerque

José Almeida

Ana Clara Carvalho

Bruno Almeida

Nice Almeida

Silvio Almeida

Helena

Vitório Fiore

Doménica Fiore

PARTICIPAÇÕES:

Sérgio Medeiros – Investigador

Augusto Lopez – Delegado

Rafael Almeida – Policia Militar 



Cena 1

Dia Seguinte/Mansão Magalhães/Sala de Jantar

LUIGI: (está sentado à mesa com Doménica, tomando café da manhã) Eu

só gostaria de saber quando nossos filhos irão se sentar á mesa conosco na

mesma hora.

DOMÉNICA: (sorri) Não exagere Luigi, nós acordamos mais cedo hoje,

daqui a pouco eles virão. (toma um pouco de chá) Como foi o seu jantar

ontem?

LUIGI: (sorri) Perfeito.

MIRELLA: (entra, sorri se senta) Bom dia.

DOMÉNICA: (sorri) Bom dia meu amor, ontem você demorou fiquei

preocupada.

MIRELLA: Desculpa por não ter avisado mamma, eu fui sair com o Bruno.

DOMÉNICA: (sorri) Que coisa boa meu amor! Bruno é um excelente

rapaz.

LUIGI: (toma um pouco de café, olha Mirella) Ele é pobre, não está no seu

nível.

MIRELLA: (olha Mirella) Babbo… O que tem isso? Você já foi pobre

também.

LUIGI: Muito e é por isso que quero o melhor para você.

DOMÉNICA: O Bruno é o melhor, eu o conheço desde pequeno, não liga

para essas coisas querida, tem dias que seu babbo fica assim, ranzinza.

MIRELLA: (sorri).

PAOLA: (entra, feliz) Bom dia! (se senta, pega morango).

LUIGI: (olha Paola sorri) Nossa… Que felicidade logo pela manhã.

PAOLA: Pois é babbo, as coisas estão a meu favor e isso faz muito bem, e

ainda mais que Carlo não veio me encher ontem quando eu cheguei.

MIRELLA: Carlo não dormiu em casa essa noite, por isso ele não foi falar

com você.

PAOLA: (olha Mirella) É mesmo? Ele deve ter arrumado alguma corrida.

LUIGI: Pois que ele volte logo, eu preciso dele na empresa.

ENZO: (entra, se senta na mesa, pega suco, toma um pouco).

LUIGI: (olha Enzo) Bom dia pra você também Enzo.

ENZO: (sorri) Bom dia.

LUIGI: E o negócio com Elis, já tem novidade?

ENZO: Muitas quero falar sobre isso com você depois do café.

LUIGI: Primeiro eu vou falar com Giovanna, já tinha combinado com ela

antes, assim que terminar com ela falo com você.

ENZO: Sempre Giovanna primeiro…

LUIGI: Não começa Enzo… Eu já tinha combinado com sua sorella.

GIOVANNA: (se aproxima, está séria) Babbo… Podemos falar agora?

LUIGI: (olha Giovanna) Aconteceu alguma coisa meu anjo?

GIOVANNA: Aconteceu mas prefiro falar em particular.

ENZO: Pelo jeito isso vai demorar, fala comigo primeiro babbo.

GIOVANNA: Vou demorar sim… Pode falar com Enzo, te espero no meu

quarto.

DOMÉNICA: Você não vai tomar café querida?

GIOVANNA: (olha Doménica, sorri um pouco) Não… Eu acordei

indisposta, com uma coisa no estômago sabe…

VITÓRIO: (entra, sorri) Se você pudesse, eu diria que estava grávida. (dá

risada, se senta).

GIOVANNA: (olha Vitório com ódio, pega um copo de suco que está sobre

a mesa, joga no rosto de Vitório) Para de me incomodar!

VITÓRIO: (se levanta rápido, vai pra cima de Giovanna) Você ficou louca?

LUIGI: (se levanta, segura Vitório com força) Se tocar na minha filha

acabo com você!

DOMÉNICA: (se levanta preocupada) Por favor, não briguem assim.

GIOVANNA: (sai com raiva).

PAOLA: (sorri) As coisas estão ficando animadas por aqui.

LUIGI: Não tem graça Paola!… Vem Enzo, vamos para o escritório. (sai).

ENZO: (se levanta, sai).

VITÓRIO: (pega um guardanapo seca o rosto se senta).

MIRELLA: (olhando Vitório).

VITÓRIO: (olha Mirella) O que foi?

MIRELLA: Acho que se você quer morar nessa casa, tem que parar de agir

feito uma criança. (se levanta, sai).

VITÓRIO: (sorri) Gosto da prima Mirella, essa é a sorte dela.

DOMÉNICA: Eu vou ver como o está o jardim… Com licença. (sai).

VITÓRIO: (olha Paola, sorri) Só você vai me fazer companhia?

PAOLA: (se levanta sorri) Nem eu querido, tenho um compromisso. (sai).

VITÓRIO: (olha em volta, dá risada, pega um pedaço de bolo, come).

Cena 2

Delegacia/Sala do Delegado

RAFAEL: (entra) Augusto, acharam um carro em chamas em uma rua da

periferia, dentro tem um corpo carbonizado.

AUGUSTO: (olha Rafael, se levanta) Chama o Sérgio, manda ele ir para lá.

RAFAEL: Ele já está lá.

Cena 3

Local do Crime

SÉRGIO: (está olhando o carro queimado, caminha devagar em volta, se

afasta olhando no chão, encontra uma bolsa, pega um par de luvas do

bolso, calça nas mãos, pega a bolsa, abre, encontra a identidade de Helena,

continua olhando dentro da bolsa, encontra um bisturi e um pedaço de

papel que está escrito com recortes de revista “A arma do crime de presente

para vocês”). Eu vou pegar você… Cedo ou tarde eu te pego… Maníaco.

Cena 5

Mansão Albuquerque/Sala

ELIS: (está sentada, lendo).

VITOR: (se aproxima) E ai, já descobriu o que te pedi?

ELIS: (olha Vitor) Não, Enzo não se dá bem com Giovanna, ele disse que

Paola e Mirella podem falar melhor dela do que ele.

VITOR: (pensativo) Eu vou falar com Paola…

ELIS: Vitor… Eu tentei fazer o que você me pediu, mas Enzo não soube

responder.

VITOR: Obrigado Elis, deixa comigo.

ELIS: (olhando Vitor) Você vai guardar o meu segredo?

VITOR: Não sei, acho que mamãe está certa, é melhor manter distância das

pessoas dessa família.

ELIS: (fica com vontade de chorar) Vitor, eu amo o Enzo.

SUSANA: (se aproxima, olhando Elis) Como é?… Você ama o Enzo?

Vocês ainda se encontram?

VITOR: Eles estão namorando escondido.

ELIS: (fala alto) Vitor!

SUSANA: (dá um tapa no rosto de Elis, a olha) Eu vou mandar você para

bem longe daqui!

ELIS: (com a mão no rosto, chora, olha Susana) Mas eu não vou!

SUSANA: Vai sim! Eu não te quero envolvida com a família da assassina

do seu pai!

ELIS: (olha Susana, está brava) Giovanna não matou meu pai, ele se matou

sozinho! (sai correndo, entra em seu carro sai).

SUSANA: Vai atrás dela Vitor!

VITOR: (vai atrás de Elis).

MANUELLA: (entra) O que aconteceu? A Elis saiu cantando pneu.

SUSANA: Eu briguei com ela, Elis está vendo o Enzo!

MANUELLA: Eu acho que não tem nada demais Susana…

SUSANA: Eu não vou falar disso com você por que é um assunto meu!

(sobe as escadas).

Cena 6

Mansão Fiore/Suíte de Paola

LUIGI: (entra, sorri) Pronto filha, agora sou todo seu.

GIOVANNA: (cruza os braços, olha Luigi) Não acho que você seja todo

meu babbo… Ontem eu te vi aos beijos com uma loira.

LUIGI: (fica sério) Do que você está falando Giovanna?

Corredor

VITÓRIO: (se aproxima da suíte de Giovanna, se encosta na porta para

ouvir).

Cena 7

Suíte de Giovanna

GIOVANNA: Babbo não se faça de sonso. (olhando Luigi nos olhos) Eu

estava saindo de um restaurante com Emiliano e vi você beijando uma

mulher da minha idade, quem é ela?

LUIGI: (se senta na cama de Giovanna pensativo) Eu não vim aqui para

falar sobre isso…

GIOVANNA: (nervosa) Mas que quero falar disso, você está traindo a

mamma!

LUIGI: Fala baixo por favor…

GIOVANNA: Então me fala o nome dela e de onde você a conhece, desde

quando?

LUIGI: (olha Giovanna) O nome dela é Alanis… Ela é modelo, veio aqui

em casa porque é amiga de Paola… A conheci há poucos dias…

GIOVANNA: (com vontade de chorar) E esse seu casinho com ela tem

quanto tempo?

LUIGI: (com vergonha) Ontem foi a primeira vez…

GIOVANNA: Foi a primeira e a última vez… Você é um homem de

negócios importante, tem uma família! E não tem idade para se envolver

com uma qualquer!

Cena 8

Corredor

VITÓRIO: (fica com raiva, entra em seu quarto).

Cena 9

Suite de Giovanna

LUIGI: (se levanta, olha Giovanna) Minha filha… Você não me dá ordens,

embora você esteja certa em algumas coisas… Eu vim aqui para te contar a

história com meu irmão…

GIOVANNA: Promete babbo que essa Alanis vai sumir da sua vida, a

minha mãe não merece isso, e não é momento para ter escândalos na nossa

família.

LUIGI: (abraça Giovanna) Fica calma anjo… Eu não vou mais ver

Alanis…

GIOVANNA: (olha muito Luigi) Promete?

LUIGI: (olhando Giovanna) Prometo…

GIOVANNA: Está bem… Agora pode me contar sobre meu tio.

Cena 10

Quarto de Vitório

VITÓRIO: (pega o celular, liga para Alanis) Alanis você não deveria ter

saído junto com o velho e dado um beijo nele!

ALANIS: Como você sabe disso?

VITÓRIO: (nervoso) Porque sua imbecil! Você foi vista, e por Giovanna!

Você pode ter colocado tudo a perder!

ALANIS: Fica calmo Vitório! Luigi está comendo na minha mão… (sorri).

VITÓRIO: (nervoso) Ele come na mão da Giovanna também! Essa

desgraçada parece que tem um radar… Olha Alanis, dá um jeito do velho te

ver hoje entendeu.

ALANIS: Meu amor, você está nervoso atoa, ontem a noite foi perfeita, é

oficial… Eu sou a amante de Luigi Fiore. (dá risada).

VITÓRIO: (sorri) Você foi burra ao se expor com o velho, mas

conseguiu… Você conseguiu entrar na vida dele.

ALANIS: (da risada) Consegui meu amor, vem aqui comemorar vem.

VITÓRIO: Bem que eu gostaria delicia, mas agora não dá, tenho um

assunto para resolver… Adiantar um plano para ganhar dinheiro fácil desse

velho e ao mesmo tempo mexer com o psicológico de Giovanna… (sorri).

Cena 11

Shopping

JOSÉ: (entra, está feliz, se sentindo poderoso, entra em uma loja de uma

famosa marca de roupas masculinas, escolhe alguns modelos, compra,

entra em uma loja que vende óculos de sol, experimenta alguns, compra,

entra em uma loja de sapatos, escolhes os modelos e compra, entra em uma

loja de perfumes importados escolhe um e compra, entra em uma joalheria,

escolhe um anel masculino e um relógio, compra. Está andando pelo

shopping, uma moça sorri para ele que retribui, pisca, dá risada, continua

andando, olha pela vitrine de outra joalheria um par de alianças de

compromisso, sorri, entra e compra).

Cena 12

Ind. Alimentícia Fiore/Administração

EMILIANO: (se aproxima de Camila) Bom dia Camila, a Giovanna já

chegou?

CAMILA: Ainda não.

EMILIANO: Eu preciso que ela aprove o novo contrato… E Carlo?

CAMILA: Também não, os patrões estão atrasados. (dá risada).

EMILIANO: (sorri) O que me deixa preocupado… Giovanna sempre está

aqui na hora certa.

CAMILA: (sorri) Como foi ontem com ela?

EMILIANO: (sorri) Foi tudo perfeito… Não conte a ninguém mas…

Giovanna e eu estamos namorando.

CAMILA: (fica feliz) Parabéns!

EMILIANO: Obrigado, ela não quer que eu saia contando por ai, o que me

dá muita vontade. (da risada) Ela disse que as pessoas vão perceber.

CAMILA: Não no que depender dela, Giovanna é muito discreta, quando

ela namorava o Isaque as pessoas só viam fora da empresa.

EMILIANO: Falando nele… Onde ele está?

CAMILA: Foi ontem para o Rio de Janeiro, parece que o tio dele passou

mal e ele foi até lá, pediu uma semana de afastamento.

EMILIANO: Estamos melhor sem ele.

CARLO: (entra, sorri) Bom dia.

CAMILA: Bom dia.

EMILIANO: Bom dia Carlo, que bom que você chegou, eu preciso da

aprovação desse contrato.

CARLO: Vem comigo até minha sala que vemos isso. (vai para sua sala).

Mais Tarde/Casa de Helena/Sala

SÉRGIO: (está sentado no sofá).

ANA CLARA: (está triste, chorando) Como alguém foi capaz de fazer isso

com a Helena… Ela era tão boa…

SÉRGIO: As pessoas são capazes de tudo… Ana Clara, sei que você perdeu

uma amiga, mas preciso da sua ajuda para pegar quem a matou.

ANA CLARA: (enxuga as lágrimas) Claro, como posso ajudar?

SÉRGIO: Você teria algum suspeito? Viu Helena brigando com alguém?

Ela te falou sobre algo estranho?

ANA CLARA: (pensativa) Não vi nada de estranho… Ela só comentou

comigo que reencontrou o ex – namorado.

SÉRGIO: Quem é ele?

ANA CLARA: Eu não sei muito bem, Helena não gostava muito de fala

sobre esse relacionamento porque ele a deixou para ficar com outra.

SÉRGIO: Como ele se chama e quem é essa outra?

ANA CLARA: Ele se chama Isaque… E a moça Giovanna Fiore, Helena

tinha muita mágoa.

SÉRGIO: Fiore… Interessante, a outra vítima era um funcionário da

indústria alimentícia Fiore.

ANA CLARA: Isaque também é.

SÉRGIO: Eu vou até lá… Obrigado Ana Clara e… Lamento a sua perda.

ANA CLARA: Eu nem sei o que fazer agora, estou aqui ha poucos dias, e

não sei nem quem avisar sobre a morte da Helena…

SÉRGIO: Se você precisar de alguma coisa, conte comigo.

Cena 13

Bar

VITOR: (se aproxima da mesa de Vitório) Desculpa a demora.

VITORIO: Não, eu estava quase indo embora… Sente – se.

VITOR: (se senta).

VITORIO: Não posso esperar mais, vamos sequestrar Giovanna esse fim

de semana.

VITOR: Você já sabe onde vamos deixa – la?

VITORIO: Sei… Eu vou te dar todas as informações, um amigo meu vai

surpreender Giovanna assim que ela sair de casa, eu vou dar uma desculpa

para que ela saia, e ele vai levar minha prima até o cativeiro e você vai ficar

lá com ela.

VITOR: Eu estou com muito ódio dela… Não sei se vou me controlar.

VITORIO: Não quero que se controle, só não mate ela antes de termos o

dinheiro em mãos, e não se esqueça, você nem me conhece.

VITOR: Pode deixar… Não vejo a hora de estar frente a frente com a

assassina do meu pai.

VITORIO: (sorri).

Cena 14

Mansão Fiore/Sala

EMPREGADA: (se aproxima de Enzo) Enzo, tem uma moça ai fora que

quer muito falar com você.

ENZO: Que moça?

EMPREGADA: Ela disse que se chama Elis.

ENZO: É minha namorada, pode deixar entrar.

EMPREGADA: (sai).

ELIS: (entra, abraça Enzo, chora).

ENZO: (preocupado, abraçando Elis) O que aconteceu Elis?

ELIS: (olha muito Enzo) Vitor contou tudo para a minha mãe sobre nós…

Ela me bateu e disse que quer me mandar para longe… Mas eu não vou

Enzo.

GIOVANNA: (desce as escadas).

ENZO: (olha Giovanna com raiva).

GIOVANNA: O que ela está fazendo aqui?

ENZO: Por sua causa Susana quer mandar Elis para longe de mim.

GIOVANNA: Minha causa? Eu não tenho nada a ver com o que Susana faz

ou deixa de fazer.

ELIS: (olhando Giovanna) A sua vingança atingiu minha família toda… Eu

sei que meu pai se matou por ter sido fraco… Mas você plantou o mal na

nossa família.

GIOVANNA: Não garota, a sua família é o mal, seus avós humilharam os

meus pais, a sua mãezinha tratava meu babbo feito lixo! Eu só devolvi em

dobro o que eles fizeram… Eu tenho mais o que fazer do que ficar aqui

falando com vocês. (sai).

ELIS: (olha Enzo) Ela é assim mesmo?

ENZO: É… Ela sabe que meu pai faz tudo que ela quer, que a apoia… Mas

deixa pra lá… Meu amor eu vou falar com a sua mãe.

ELIS: Ela não vai querer nem te receber.

ENZO: Vai sim, ela vai ter que saber que eu não tenho nada com Giovanna,

que ela agiu sozinha e não com o apoio da família… Eu não vou ficar sem

você. (abraça Elis).

Cena 15

Suíte de Luigi

LUIGI: (pega o celular, liga para Alanis) Alanis…

ALANIS: (sorri) Oi meu amor! Eu estava pensando em você sabia.

LUIGI: (sorri) Que bom… Desde ontem que você não sai dos meus

pensamentos.

ALANIS: Vamos nos ver hoje? Conheço um restaurante discreto.

LUIGI: Não sei se ir em restaurante é uma coisa confiavel, sempre tem

alguém conhecido.

ALANIS: Luigi eu não vou passar a vida enfiada numa toca com você!

LUIGI: Eu sei Alanis, mas eu sou um homem casado.

DOMÉNICA: (entra na suíte).

LUIGI: (não percebe que Doménica entrou).

LUIGI: (ao telefone ainda) Se alguém me ver com você as coisas se

complicam para mim.

DOMÉNICA: Com quem você está falando Luigi?

LUIGI: (olha Doménica assustado).

Fim do Capítulo


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s