Descaminhos – capítulo 24

11774386_666390326831582_265096495_n


Descaminhos 

Novela de Débora Costa


Capítulo 24


Personagens

Luigi Fiore

Giovanna Fiore

Enrico Salvatore

Paola Fiore

Carlo Mantovani

Mirella Fiore

Vitor Albuquerque

Elis Albuquerque

Jonas Albuquerque

Isaque Munhoz

Susana Albuquerque

José Almeida

Ana Clara Carvalho

Bruno Almeida

Nice Almeida

Silvio Almeida

Helena

Vitório Fiore

Doménica Fiore

PARTICIPAÇÕES:

Sérgio Medeiros – Investigador

Augusto Lopez – Delegado

Rafael Almeida – Policia Militar



Cena 1

Rio de Janeiro/Casa de Praia da família Fiore/Sala

LUIGI: (está sentado ao lado de Alanis, de mãos dadas com ela, olha Paola e José) E foi assim que Alanis e eu começamos a nos encontrar…

PAOLA: (olhando Luigi) Não acho justo com a mamma uma coisa dessas… Você é um homem conhecido, logo esse seu casinho pode vir a público!

ALANIS: Paola…

PAOLA: (interrompendo Alanis) Eu não quero nunca mais falar com você! Você fingiu ser minha amiga para se aproximar do meu pai!

ALANIS: Eu nunca fingi nada Paola, realmente sou sua amiga.

PAOLA: De amigas como você eu quero distância. (se levanta).

JOSÉ: (se levanta, não sabe o que fazer).

PAOLA: Babbo… Se você não terminar com Alanis eu mesma vou contar isso para a mamma, não quero que ela seja a última a saber.

LUIGI: (se levanta) Você não vai contar nada!

PAOLA: Então escolhe! Ou você fica com a mamma ou com Alanis! Mas eu não vou permitir que você fiquei com as duas porque no meio disso tudo está o amor e confiança que a mamma tem por você!

JOSÉ: Fica calma Paola… Eu acho que seu pai sabe o que faz, não cabe a você julgar assim.

PAOLA: Você diz isso porque é igualzinho, é canalha igual.

LUIGI: Eu não admito que você fale assim de mim Paola!

ALANIS: Já chega dessa discussão!… Paola eu amo o seu pai, sei que ele é casado, mas aconteceu e não estou disposta a abrir mão dele.

LUIGI: (sorri).

PAOLA: (olhando Alanis nos olhos) Eu sei bem o amor que você tem… Pelo nosso dinheiro. (o celular toca).

ALANIS: (observa).

PAOLA: (atende o celular) Fala logo Mirella estou ocupada… (ouvindo Mirella, fica séria, preocupada) Como?… Você tem certeza?… (olha Luigi) Eu sei onde ele está… Estou indo para a casa… (desliga).

LUIGI: Aconteceu alguma coisa?

PAOLA: (olhando Luigi) Giovanna… Foi seqüestrada…

LUIGI: (começa a passar mal, se senta) Minha filha… Eu sabia que era alguma coisa com ela… Estava sentindo…

ALANIS: (preocupada) Fica calmo querido…

JOSÉ: Como foi isso?

PAOLA: Não sei, mas a Mirella disse que se babbo não estiver logo em casa vão castigar Giovanna é só com ele que querem falar.

LUIGI: (se levanta) Eu vou para a casa.

PAOLA: (olhando Luigi) Não vai dar tempo babbo… Deram uma hora pra você chegar… Se você não estivesse aqui poderia poupar o sofrimento de Giovanna… (vai saindo).

LUIGI: Eu vou com você.

PAOLA: Não… Você vai voltar com quem veio… Eu estou indo para a casa com José… (sai).

JOSÉ: Se chegarmos antes do senhor eu falo com eles… (sai).

LUIGI: (nervoso) Eu sabia que tinha algo acontecendo!

ALANIS: (abraça Luigi) Vai ficar tudo bem meu amor… (sorri sínica sem ele ver).

Cena 2

Mais Tarde/Mansão Fiore/Sala

DOMÉNICA: (chorando) Eles não podem fazer mal á minha filha…

ENZO: (segura a mão de Doménica) Não vão mamma.

DOMÉNICA: Faltam poucos minutos para eles ligarem e Luigi não chega!

MIRELLA: Paola disse que sabia onde ele estava, eles devem estar a caminho.

SÉRGIO: (se aproxima) Todos os telefones estão grampeados.

EMILIANO: Isso vai dar certo?

SÉRGIO: Espero que sim, se localizarmos a ligação podemos encontrar Giovanna.

VITÓRIO: (desce as escadas, sorri) Titio já chegou?

EMILIANO: (olha Vitório com raiva).

VITÓRIO: (se aproxima) Qual será o castigo que Giovanna vai ter? (sorri).

EMILIANO: (dá um soco em Vitório).

SÉRGIO: (segura Emiliano).

EMILIANO: (nervoso, com raiva, fala alto) Eu não vou admitir que você venha rir do que está acontecendo!

ENZO: (entra no meio) Calma!

EMILIANO: Some daqui Vitório! Você não gosta de Giovanna!

VITÓRIO: (com a mão no rosto, sorri) Quem te disse isso?… Você não sabe que eu tive um caso com ela… Fui o primeiro a levar Gi para a cama.

EMILIANO: (se solta de Sérgio, bate em Vitório).

DOMÉNICA: (começa a passar mal).

SÉRGIO: (segura Emiliano, separa a briga, olha Vitório) Se você não sair por bem eu te tiro por mal.

VITÓRIO: (sorri) Estou saindo… Vou ficar no meu quarto. (sobe as escadas).

EMILIANO: (ofegante, se senta, coloca a mão na cabeça) Se ele voltar eu o mato!

DOMÉNICA: (com falta de ar) Vocês precisam se controlar…

MIRELLA: (se senta ao lado de Doménica) Mamma… Quer seu remédio?

DOMÉNICA: Quero sim querida. (o telefone toca, olha Sérgio) E agora?

SÉRGIO: Não digam que tem polícia aqui, atende Emiliano…

EMILIANO: (atende) Alô.

ÉDERSON: Luigi está ai?

EMILIANO: Ele já está chegando, como está Giovanna?

ÉDERSON: Estava bem… Mas como eu avisei, como Luigi não atendeu, ela irá sofrer as conseqüências.

EMILIANO: Por favor, ele já está vindo, não faça nada contra Giovanna…

ÉDERSON: Daqui a pouco olha no seu celular. (desliga).

EMILIANO: (fica desesperado) Não!… (chora).

DOMÉNICA: Dio… Minha filha… (fecha os olhos).

MIRELLA: (abraça Doménica).

ENZO: (pensativo).

Cena 3

Cativeiro de Giovanna/Sala

ÉDERSON: (olha Pedro)… Pega o balde com gelo…

PEDRO: Por mim eu dava um tiro nessa vadia. (se levanta, abre a geladeira, pega um saco de gelo, abre, coloca dentro de um balde, enche com água gelada, coloca uma máscara, olha Éderson) Pegou o celular?

ÉDERSON: (mostra para Pedro o aparelho) Aqui.

ÉDERSON: Então abre a porta.

Cena 4

Quarto

GIOVANNA: (está encolhida no canto).

ÉDERSON: (entra a olha).

PEDRO: (entra carregando o balde, olha Giovanna) Seu papai não atendeu o telefone.

GIOVANNA: (com vontade de chorar) O que você vai fazer?…

PEDRO: Por mim eu arrancava um dedo seu, mas a ordem foi outra… Nós vamos gravar para mandar na sua casa, se você dizer um nome, tenho ordens para bater em você o quanto eu quiser.

GIOVANNA: Espera mais um pouco por favor…

PEDRO: (sorri) Não… Éderson, pode começar a gravar.

ÉDERSON: (posiciona o celular, começa a filmar Giovanna no chão) Eu falei que era para Luigi Fiore atender o telefone… Dei uma hora.

PEDRO: (dá um tapa no rosto de Giovanna).

ÉDERSON: Hoje está um dia quente… Vou ajudar a princesa se refrescar…

PEDRO: (tira o casaco de Giovanna, joga o balde de água com gelo nela).

ÉDERSON: (desliga a camêra) Pronto…

GIOVANNA: (está tremendo, sem ar, olha Pedro com raiva) Você… Vai pagar caro Pedro…

PEDRO: (bate em Giovanna) Cala a boca!

ÉDERSON: (segura Pedro pelo braço) Vamos mandar o vídeo…

PEDRO: (tira a mascara, olha Giovanna) Quando tiver o dinheiro, farei questão de matar você. (sai).

ÉDERSON: (olha Giovanna, fala baixo) Não se preocupa… (sai).

GIOVANNA: (tremendo, as lagrimas escorrem) Babbo não atendeu…

Cena 5

Mansão Albuquerque

VÍTOR: (entra).

SUSANA: Onde você estava meu filho?

VÍTOR: (olha Susana sorri) Soube da noticia? Giovanna foi seqüestrada.

SUSANA: (sorri) Onde você ouviu isso?

VITOR: O primo dela me contou, estão tentando manter tudo em sigilo.

SUSANA: (olhando Vitor nos olhos, sorri) Espero que ela morra… Que Giovanna sofra como está me fazendo sofrer.

VITOR: A polícia e a família estão pedindo sigilo para a segurança de Giovanna… Vamos dar isso a eles?

SUSANA: Claro que não! Vou dar um jeito dessa notícia se espalhar.

ELIS: (se aproxima)

SUSANA: (olha Elis) Elis… Vai até a casa de Enzo… Giovanna foi seqüestrada e eu quero ficar sabendo de tudo.

ELIS: Eu não vou servir de espiã mamãe, eles devem estar sofrendo muito.

SUSANA: Como nós sofremos… Vá até aquela maldita casa Elis!

ELIS: Eu vou sim, mas para ficar ao lado do meu namorado! (vai saindo).

SUSANA: Se você for e me contar tudo… Deixo você namorar Enzo, estou te prometendo.

ELIS: (olhando Susana) Verdade?

SUSANA: Sim, mas a cada novidade você me liga ou me manda mensagem.

ELIS:… Se é assim… Tudo bem, eu te conto.

SUSANA: (sorri) Então vai logo.

ELIS: (sai).

VITOR: (sorri).

Cena 6

Mansão Fiore/Sala

EMILIANO: (recebe um vídeo no celular, olha Sérgio) Estou com medo de ver…

SÉRGIO: (pega o celular de Emiliano) Eu vou ver então… (começa ver o vídeo).

EMILIANO: (vendo o vídeo) Eles machucaram ela… Giovanna está com o rosto inchado…

SÉRGIO: (vendo o vídeo).

EMILIANO: (vê Giovanna levar um tapa no rosto, as lagrimas escorrem).

SÉRGIO: (termina de ver o vídeo, olha Emiliano) Pelo menos não tiraram nenhuma parte do corpo dela…

EMILIANO: Eles estão torturando Giovanna!

PAOLA: (entra com José, está preocupada) Alguma novidade?

MIRELLA: Não, eu achei que babbo viria com você!

PAOLA: Ele está chegando… E mamma onde está?

MIRELLA: Dei o remédio para ela se acalmar e a levei para o quarto, ela está muito nervosa.

LUIGI: (entra, está preocupado) Já ligaram de volta?

EMILIANO: (olhando Luigi) Se o senhor tivesse chegado um pouco antes teria evitado que Giovanna apanhasse…

SÉRGIO: Eles não disseram quando vão ligar novamente, temos que esperar.

LUIGI: Eu vou pagar quanto for para ter a minha filha de volta.

EMILIANO: (se senta).

JOSÉ: Vocês tem idéia de quem está fazendo isso?

MIRELLA: Nenhuma… Nossa família é muito conhecida pode ser qualquer um querendo dinheiro.

ENZO: Giovanna é uma mulher ruim Mirella, ela tem inimigos, desavenças, pessoas que não a suportam.

EMILIANO: Giovanna não é nada disso… Ela é uma mulher maravilhosa, você que vive ocupado bancando o playboy e nunca prestou atenção na irmã que tem.

ENZO: (olhando Emiliano) Você que está cego de amor.

SÉRGIO: Eu quero saber quem são essas desavenças de Giovanna, quero saber tudo sobre ela, só assim vamos chegar ao sequestrador.

Cena 7

Quarto de Vitório

VITÓRIO: (está sentado na cama, o celular vibra, atende) Alô…

ALANIS: Luigi está ai… Paola nos viu juntos no Rio de Janeiro, não pude impedir que ele voltasse.

VITÓRIO: Tudo bem… Como Paola reagiu?

ALANIS: Ela fez uma ceninha de filha decepcionada e a favor da mãe.

VITÓRIO: (sorri) Isso até que é bom para nós… Eu vou desligar, não podemos nos falar agora, depois dou um jeito de te ver, até logo. (desliga, pensativo) Hora de pedir o resgate… (sorri).

Cena 8

Cativeiro de Giovanna/Quarto

GIOVANNA: (está deitada no chão, encolhida com frio).

ÉDERSON: (entra com uma xícara de chá na mão) Princesa… Toma isso aqui.

GIOVANNA: (olha Éderson com raiva) Você acha que eu sou idiota? E se for veneno?

ÉDESON: (sorri, toma um pouco do chá, a olha) É chá princesa… Para você.

GIOVANNA: Não quero…

ÉDERSON: (se aproxima de Giovanna, abaixa perto dela a olha) Seguinte princesa, eu aproveitei que Pedro e Vítor saíram, fiz esse chá para você correndo o risco de apanhar, e agora você não quer?

GIOVANNA: (se senta, olha Éderson) Por que você está fazendo isso?…

ÉDERSON: Porque eu quero dinheiro e não matar você, que eles não vão com a sua cara eu já sabia, agora… Que eles estavam planejando essas coisas ruins eu não sabia.

GIOVANNA: (pega o chá, toma um pouco olha Éderson) Me ajuda a sair daqui… Eles vão me matar se você não contar á minha família onde estou… Com ou sem dinheiro, eles querem me matar…

ÉDERSON: Eu percebi…

GIOVANNA: (toma o chá, devolve a xícara para Éderson) Se você me ajudar eu mesma te dou dinheiro…

ÉDERSON: (vai saindo, olha Giovanna) Vou pensar no seu caso princesa… (sai, tranca a porta).

GIOVANNA: (pensativa).

Cena 9

Sala

PEDRO: (entra) Éderson, liga na mansão e pede dois milhões de dólares, se não derem até amanhã de manhã, diga que vamos matar Giovanna.

ÉDERSON: (pega o celular, disca uns números).

Mansão Fiore/Sala

LUIGI: (está aflito, o telefone toca, atende rapidamente) Alô.

ÉDERSON: Luigi Fiore?

LUIGI: Sou eu mesmo, eu quero falar com a minha filha.

ÉDERSON: Quem da as ordens aqui sou eu parceiro, presta atenção, a vida da sua filha está valendo dois milhões de dólares.

LUIGI: Você terá os dois milhões, como faço para te pagar?

ÉDERSON: Daqui a pouco te falo.

LUIGI: Eu quero falar com Giovanna! Quero saber se ela está bem.

ÉDERSON: Ela está ótima. (desliga).

LUIGI: (nervoso) Alô! Alô! (bate o telefone) Desgraçado! (joga os objetos que estão na mesa no chão, chora).

DOMÉNICA: (descendo as escadas) Luigi…

LUIGI: (abraça Doménica) Quero nossa filha de volta…

PAOLA: (olha Luigi abraçando Doménica, fala baixo para José) Que cara de pau…

JOSÉ: Seu pai está desesperado Paola…

SÉRGIO: Eu ainda não consegui rastrear a ligação… Mas sabemos que Giovanna está viva e que querem dinheiro.

LUIGI: Vou pagar quanto for para ter Giovanna aqui!

Cena 10

Mais Tarde/Cativeiro de Giovanna/Quarto

GIOVANNA: (está tremendo, encolhida num canto).

ÉDERSON: (entra com uma câmera na mão).

PEDRO: (entra, olha Giovanna) Vadia, você vai falar tudo que eu mandar agora, seu papai vai pagar o resgate e você vai explicar o que ele tem que fazer.

GIOVANNA: (está fraca).

ÉDERSON: (se aproxima de Giovanna, coloca a mão na testa dela, olha Pedro) A princesa está ardendo em febre.

PEDRO: Eu quero que ela se dane… Giovanna presta atenção em tudo ou então você vai apodrecer aqui.

GIOVANNA: (olha Pedro com raiva) Você vai chegar em breve no inferno! Vai pagar caro por tudo que está me fazendo.

PEDRO: (puxa o cabelo de Giovanna) Você não está em condições de fazer ameaça!

GIOVANNA: (cospe no rosto de Pedro).

PEDRO: (da um soco em Giovanna).

GIOVANNA: (desmaia).

ÉDERSON: (corre para ajudar Giovanna) Por que você fez isso cara?

PEDRO: (limpando o rosto) Deixa essa vadia ai! Eu mesmo vou gravar o vídeo! Filma ela do jeito que está! Assim o velho agiliza o pagamento. (sai).

ÉDERSON: (fica com pena de Giovanna, sai).

Cena 11

Mansão Fiore/Escritório

LUIGI: (está sentado, pensativo, se lembra das brigas que teve com Giovanna, as lágrimas escorrem) Me perdoa minha filha… Te amo tanto…

ENZO: (entra) Babbo eu acabei de receber um vídeo no meu celular, é do seqüestrador de Giovanna.

LUIGI: (se levanta) Está ai com você?

ENZO: Não, o Sérgio vai ver e está te chamando. (sai com Luigi).

Cena 12

Sala

LUIGI: (se aproxima) Vamos ver logo esse vídeo.

SÉRGIO: (segura o celular para todos verem o vídeo).

PEDRO: (olhando para a câmera) Luigi você vai depositar o dinheiro para uma empresa chamada , é só dizer o nome da instituição que o banco fará o depósito, faça isso amanhã ás 10:00 hs da manhã, assim que os dois milhões caírem na conta vamos libertar Giovanna… (sorri) E qualquer coisa que tentarem para nos pegar, ela irá sofrer as conseqüências. (mostra Giovanna desmaiada, ferida, fim do vídeo).

EMILIANO: (fecha os olhos).

LUIGI: (chora) Se eu coloco as mãos nesse infeliz…

SÉRGIO: (o telefone toca, atende).

ELIS: (entra, se aproxima de Enzo) Como estão as coisas aqui?

ENZO: Ruins… Eu só estou aqui por causa da mamma… Tivemos que dar um calmante para ela.

SÉRGIO: (desliga o telefone, olha Luigi) Se minha fonte estiver certa, podemos estar seguindo uma pista.

LUIGI: Que pista?

SÉRGIO: Com tudo que me contaram sobre Giovanna, eu mandei um policial ficar vigiando a casa de Susana Albuquerque.

ELIS: (olha Sérgio) A minha mãe não tem nada com o sequestro de Giovanna.

SÉRGIO: Mas o seu irmão pode ter tudo a ver com o sequestro dela, nesse momento estão o seguindo.

Cena 13

Vila/Praça

ANA CLARA: (está sentada).

JOSÉ: (se aproxima) Oi…

ANA CLARA: (se levanta, vai saindo).

JOSÉ: Espera Ana Clara… Para de fugir de mim.

ANA CLARA: Eu não estou fugindo de você, eu só quero ficar bem longe de você.

JOSÉ: (olhando Ana Clara) Pois eu quero ficar perto de você… E do meu filho.

ANA CLARA: (olhando José) Você não vai ter filho nenhum! E aposto que se sua namorada te ouvir não vai gostar nada.

JOSÉ: Querendo ou não o filho que você está esperando é meu! E eu vou ter ele nem se tiver que brigar por ele!

ANA CLARA: (olhando muito José) Você não seria capaz disso… Você já me enganou, me fez acreditar que gostava de mim só para me levar para a cama, agora está dizendo que vai querer tirar o meu filho de mim?

JOSÉ: Nosso filho! Eu também tenho direito!

ANA CLARA: (olhando José) Vicente vai ser o pai do meu filho, já combinei tudo com ele, então pode esquecer tudo o que diz respeito a mim e ao meu filho. (sai).

JOSÉ: (pensativo).

Cena 14

Cativeiro de Giovanna/Quarto

GIOVANNA: (estava desmaiada,acorda, está fraca, com dor).

VÍTOR: (entra, olha Giovanna).

GIOVANNA: (olha Vítor) Vítor…

VÍTOR: (abaixa perto de Giovanna, a olha muito, acaricia o rosto dela) Eu sempre me perguntei… O que fez meu pai se apaixonar por você…

GIOVANNA: (vira o rosto) Me deixa ir embora…

VÍTOR: (olhando Giovanna) Maldita… Você é tão linda… Eu saia com Paola, estava apaixonado por ela… E por ironia meu pai por você.

GIOVANNA: (as lagrimas escorrem, está com medo, olhando Vítor) Eu gostei de Jonas também.

VÍTOR: (grita) É mentira! (puxa o cabelo de Giovanna) Meu pai te amou mais do que a nós e você nunca sentiu nada por ele!

GIOAVANNA: Senti… Senti nojo!

VÍTOR: (solta Giovanna, se levanta, a olha) A minha mãe vai ficar feliz se eu levar para ela alguma parte sua…

GIOVANNA: (olhando Vítor) Para com isso…

VÍTOR: (pega uma tesoura do bolso, olha Giovanna) Vou levar uma peruca para Minha mãe. (sorri segura Giovanna).

GIOVANNA: (grita) Vítor não! Para por favor!

VÍTOR: Se eu fosse você não me mexia. (começa a cortar o cabelo de Giovanna).

GIOVANNA: (chora).

VÍTOR: (está com raiva, cortando o cabelo de Giovanna, termina, empurra Giovanna no chão, pega o cabelo que cortou leva com ele).

GIOVANNA: (chora desesperada, passa a mão na cabeça, está com o cabelo curto na nuca, grita se deita no chão, chorando).

Cena 15

Lado de Fora

POLICIAL: (está dentro de um carro, pega o celular) Sérgio… Encontrei um lugar suspeito seguindo Vítor Albuquerque, Giovanna Fiore pode estar presa aqui.

Fim do Capítulo  


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s