Descaminhos – capítulo 28 (últimas semanas)

Descaminhos

Descaminhos 

Novela de Débora Costa


Capítulo 28


Personagens

Luigi Fiore

Giovanna Fiore

Enrico Salvatore

Paola Fiore

Carlo Mantovani

Mirella Fiore

Vitor Albuquerque

Elis Albuquerque

Jonas Albuquerque

Isaque Munhoz

Susana Albuquerque

José Almeida

Ana Clara Carvalho

Bruno Almeida

Nice Almeida

Silvio Almeida

Helena

Vitório Fiore

Doménica Fiore

PARTICIPAÇÕES:

Sérgio Medeiros – Investigador

Augusto Lopez – Delegado

Rafael Almeida – Policia Militar 



Cena 1

Hospital/Quarto de Giovanna

EMILIANO: (olhando Rodrigo) Você vinha visitar Giovanna?

RODRIGO: Eu costumo visitar os pacientes que estão na U.T.I.

EMILIANO: Mas quando estão em coma você ajuda em que?

RODIGO: (fica com sem graça).

GIOVANNA: Eu quero ficar a sós com o Rodrigo…

EMILIANO: (olha muito Giovanna) Meu amor…

GIOVANNA: (interrompendo Emiliano) Por favor… Não me chame assim enquanto não me lembrar de você…

EMILIANO: (as lagrimas escorrem).

LUIGI: Emiliano… Vamos deixar Giovanna falar com o doutor… Qualquer coisa é valida para a recuperação dela.

EMILIANO: (olha Rodrigo com raiva, sai).

LUIGI: Eu volto para me despedir de você minha querida. (beija a testa de Giovanna, sai).

RODRIGO: (olha Giovanna) Você me deixou em maus lençóis be… (para de falar) Giovanna…

GIOVANNA: (olhando Rodrigo sorri) Você iria me chamar de bela não é?

RODRIGO: (olhando Giovanna).

GIOVANNA: Por favor, responde… Você não sabe como vai me fazer bem se eu estiver certa, depois de tanto esforço para me lembrar de tudo que Luigi me contou, e não adiantou em nada… Finalmente me lembrar de alguma coisa vai me deixar muito feliz.

RODRIGO: (olha Giovanna) Sim… Eu iria te chamar de bela… Como te chamava sempre que vinha te visitar aqui.

GIOVANNA: (sorri, emocionada) Eu sabia… Era como se eu sonhasse esse tempo todo, e no sonho ouvia muitas pessoas, mas você… Era o que mais me fazia bem…

RODRIGO: (sorri, segura a mão de Giovanna) Fico feliz Giovanna, pelas duas coisas, por você ter acordado e por se lembrar de mim.

GIOVANNA: (sorri) Rodrigo… Então esse é o seu nome… Que bom que tem o costume de visitar os pacientes.

RODRIGO: Eu menti nessa parte… Era só você que eu visitava aqui… Porque quando eu olhei você através daquele vidro (aponta o vidro que dá para ver o corredor), Você me chamou muito atenção… E eu vim todos os dias que você estava em coma te ver e conversar com você.

GIOVANNA: (olhando Pedro) Eu… Não me lembro do meu rosto…

PEDRO: Eu vou trazer um espelho para você.

GIOVANNA: Obrigada… Posso te pedir uma coisa?

PEDRO: Pode.

GIOVANNA: Eu gostaria que você continuasse me visitando…

PEDRO: (sorri) Isso você não precisa nem pedir bela.

GIOVANNA: (sorri).

Cena 2

Sala de Espera

EMILIANO: (está com raiva) Eu não vou admitir que outro homem se aproxime da minha namorada!

LUIGI: Você está exagerando Emiliano.

EMILIANO: Não sou estou! Esse sujeito visitava Giovanna em coma para que? O que ele quer com ela?… Eu não nasci ontem Luigi e eu quero esse Rodrigo bem longe de Giovanna.

LUIGI: (olhando Emiliano) Pois se minha filha o quiser por perto ninguém vai impedir de Rodrigo ficar ao lado dela, esse pode ser o começo da recuperação dela e você não vai impedir.

EMILIANO: Eu mais do que ninguém quero que ela se lembre logo das coisas, e principalmente quem é o homem que ela ama!

LUIGI: Realmente… Vamos esperar para ver o que acontece.

Cena 3

Vila/Restaurante de Ana Clara

JOSÉ: (se aproxima de Bruno) Eu quero falar com a Ana Clara.

BRUNO: Você está louco?

JOSÉ: Avisa para ela que estou aqui e quero cumprimenta – la.

BRUNO: José… Você não acha que já fez Ana Clara sofrer demais?

JOSÉ: Eu não te pedi lição de moral, e sim pra você chamar Ana Clara aqui e se você não for eu vou entrar na cozinha sem avisar.

BRUNO: (olhando José) Se ela não quiser te ver, eu vou te colocar para fora nem se for a força.

JOSÉ: Vai logo!

BRUNO: (entra na cozinha).

JOSÉ: (olha em volta, espera Bruno voltar).

BRUNO: (se aproxima) Ana Clara não quer te ver.

JOSÉ: Eu vou entrar na cozinha e você não vai me impedir.

BRUNO: José, evita um vexame aqui logo na inauguração e vai embora.

JOSÉ: (empurra Bruno, vai para a cozinha).

Cena 4

Cozinha

ANA CLARA: (está olhando um livro de receita).

JOSÉ: (entra a olha) Eu não saio daqui sem falar com você.

BRUNO: (entra) Desculpa Ana Clara…

ANA CLARA: Pode deixar Bruno… Eu falo com José.

JOSÉ: (sorri olhando Bruno).

BRUNO: (sai).

ANA CLARA: (olhando José) O que você quer falar?

JOSÉ: Eu quero te desejar sorte no seu novo negócio.

ANA CLARA: Graças ao Vicente eu abri esse restaurante depois que sua namorada fez aquele show e eu me demiti… Se era isso, você já pode ir embora.

JOSÉ: (olhando Ana Clara) Você nunca vai me perdoar?

ANA CLARA: José eu estou muito ocupada.

JOSÉ: (coloca a mão na barriga de Ana Clara) Como está nosso filho?

ANA CLARA: (fica nervosa, empurra José) Vai embora! Nunca mais faça isso! Você não tem filho nenhum! Não comigo!

JOSÉ: É injusto da sua parte isso… Eu tenho direito também.

ANA CLARA: (olhando José) Injusto o que eu estou fazendo?… E o que você fez comigo?… Você viu que Bruno estava interessado em mim e veio me conquistar para se mostrar a ele… Eu amei você de verdade e você me descartou…

JOSÉ: Eu me arrependi do modo como agi com você e já pedi desculpa…

ANA CLARA: Por favor, José, vai embora.

JOSÉ: Só se você aceitar jantar comigo hoje.

ANA CLARA: Some daqui! Entenda! Eu não quero nada com você!

JOSÉ: Se você não estiver na minha casa ás 20:00hs, eu vou até a sua casa. (sai).

ANA CLARA: (chora) Não é possível que ele vai ficar atrás de mim…

Cena 5

Mansão Fiore/Quarto de Carlo

CARLO: (está deitado na cama com Paola).

PAOLA: (sorri olhando Carlo) Até que estava sentindo falta de ficar assim com você.

CARLO: (olha Paola, sorri) Você acaba de trair o José.

PAOLA: (olhando Carlo) Você… Você fez isso de propósito?

CARLO: (se levanta, veste um roupão, olha Paola sorri) Eu fui traído tantas vezes com ele que agora tive a chance de pagar com a mesma moeda e te provar que basta você ter vontade… Que cai em tentação.

PAOLA: (fica com raiva, joga o travesseiro em Carlo) Desgraçado! Você me usou!

CARLO: Agi como você… Agora se me der licença eu preciso tomar banho e me arrumar, tenho um encontro.

PAOLA: (se levanta, se enrola no lençol, olha muito Carlo) Vai ter volta… Pode apostar que vou me vingar disso! (sai, bate a porta).

CARLO: (da risada) Como é bom isso… Me senti de alma lavada agora.

Cena 6

Mais Tarde/Hospital/Quarto de Giovanna

DOMÉNICA: (está sentada ao lado de Giovanna) Nós vamos te ajudar a se recuperar minha querida.

GIOVANNA: (sorri, olhando Doménica) Gostei de te ver… (fecha os olhos).

DOMÉNICA: Você está sentindo alguma coisa?

GIOVANNA: (abre os olhos) Sim… As vezes sinto dores nas costelas…

DOMÉNICA: Quer que eu chame alguém?

GIOVANNA: Não… Sabe o que é estranho… Eu não sinto nada nas pernas…

DOMÉNICA: (olhando Giovanna, sem que ela perceba coloca a mão na perna dela) Não querida?

GIOVANNA: Não… Notei isso tem pouco tempo, não contei nada ao médico porque estou aqui há um mês deitada… Pode ser isso.

DOMÉNICA: (preocupada, sorri, se levanta) Meu amor, eu vou chamar seu pai para se despedir de você e hoje eu passo a noite aqui está bem?

GIOVANNA: (sorri) Sim.

Cena 7

Sala de Espera

LUIGI: (está sentado).

DOMÉNICA: (se aproxima, um pouco nervosa).

LUIGI: (se levanta, olha Doménica) Aconteceu alguma coisa?

DOMÉNICA: (olha muito Luigi) Eu acho que Giovanna vai precisar muito do nosso apoio…

LUIGI: Claro, até ela recuperar a memória.

DOMÉNICA: (olhando Luigi) Luigi… Acho que nossa filha… Não vai poder andar.

LUIGI: (olhando Doménica) De onde você tirou isso?

DOMÉNICA: Ela disse que não senti nada nas pernas, e eu coloquei a mão pra ver se ela falava alguma coisa e ela não sentiu…

LUIGI: (sem acreditar, respira fundo) Pode ser consequência do acidente, mas a minha filha não vai ficar sem andar, ela está dias naquela maldita cama, pode ser isso.

DOMÉNICA: Ela pensa como você.

LUIGI: Procure o médico e conte isso a ele enquanto me despeço de Giovanna…

DOMÉNICA: Está bem.

Cena 8

Mansão Fiore/Sala

VITÓRIO: (entra).

PAOLA: (desce as escadas).

VITÓRIO: Como vai Paola?

PAOLA: Bem…

VITÓRIO: Você já foi ver Giovanna?

PAOLA: Eu vou agora, babbo quer que ela veja meu rosto.

VITÓRIO: Luigi tem cada uma… Pra que isso?

PAOLA: Você não sabe? Giovanna está sem memória, ela não se lembra nem quem ela é.

VITÓRIO: (sorri) Mesmo?

PAOLA: (olhando Vitório) Você adorou não é?… Pois saiba que por mais que goste de você, Giovanna é minha irmã e eu a amo, então tire esse sorriso idiota da cara. (sai).

VITÓRIO: (dá risada) Giovanna sem memória, melhor impossível.

Cena 9

Mansão Albuquerque/Sala

ELIS: (está beijando Enzo).

ENZO: (beijando Elis, a olha sorri) Eu senti sua falta…

ELIS: (sorri) Acho bom ter sentindo mesmo.

ENZO: (dá risada, a olha) E você? Não sentiu a minha falta?

ELIS: Sabe que até senti… (sorri) Estou brincando claro que senti, como está Giovanna?

ENZO: Até onde eu sei ela está bem, mas ela está com amnésia…

ELIS: Nossa isso deve ser horrível.

ENZO: (olhando Elis) Você não senti nem um pouco de raiva dela?

ELIS: Não… No começo sim, mas depois eu fui juntando os fatos… Com meu pai nada teria acontecido se ele não se envolvesse com ela, e com Vítor… Ele procurou o mal… Ele não deveria ter feito o que fez…

ENZO: Sabe de uma coisa estranha… O dinheiro que babbo depositou para eles sumiu.

ELIS: É mesmo?

ENZO: Sim… Sérgio suspeita que há uma quarta pessoa envolvida nisso, tudo leva a crer que Vítor era o cabeça, mas como dois milhões de dólares some sem ter quem pegar… Vítor morreu e os outros estão presos.

ELIS: Quer saber de uma coisa Enzo, não quero mais me envolver nesse assunto é muita coisa ruim e eu quero coisa boa e nova.

ENZO: Você tem razão.

ELIS: Eu vou ver alguns apartamentos daqui a pouco, vou vender essa mansão e morar com Manuella.

ENZO: (olhando Elis) Por que você não vem morar comigo?

ELIS: Você ficou louco? Eu não vou faze isso, nós não somos casados e quando Giovanna recuperar a memória vai me expulsar de lá.

ENZO: Ela não pode fazer isso com a minha esposa…

ELIS: (olhando Enzo) Como?…

ENZO: (sorri, olhando Elis) Você quer se casar comigo?

ELIS: (dá risada) Ai Enzo… Você sempre fazendo brincadeiras…

ENZO: Eu estou falando muito sério senhorita Elis Albuquerque (sorri) Quer ser a senhora Elis Albuquerque Fiore?

ELIS: (fica feliz, abraça Enzo, o olha muito, sorri) Quero… Eu quero ser a senhora Elis Albuquerque Fiore. (beija Enzo).

ENZO: (beijando Elis, a olha sorri) Vamos agora casar no civil?

ELIS: (dá risada) Agora é brincadeira.

ENZO: (sorri) Não… É sério também… A nossa festa pode esperar um pouco, eu não abro mão dela, mas como eu sei que fazer uma festa agora é comprar briga com Luigi Fiore vou esperar um pouco… Mas você precisa de coisas novas e eu também… Vamos nos casar hoje e você vem morar na minha casa.

ELIS: (olha muito Enzo) Você não mora sozinho esqueceu, fale primeiro com seus pais.

ENZO: É tem razão… Amanhã então, vamos nos casar amanhã.

ELIS: (sorri) Você é um doido… Eu te amo. (beija Enzo).

Cena 10

Hospital/Quarto de Giovanna

RODRIGO: (entra, a olha sorri) Oi.

GIOVANNA: (olha Rodrigo sorri).

RODRIGO: (se aproxima) A sua mãe foi tomar um lanche com sua irmã e eu aproveitei para trazer o espelho. (pega um espelho pequeno no bolso) Essa é você… Giovanna Fiore… (posiciona o espelho em frente ao rosto de Giovanna).

GIOVANNA: (se olha muito, coloca a mão onde está cortado em seu rosto e testa, vê sua cabeça enfaixada, olha Rodrigo) O acidente… Foi grave mesmo…

RODRIGO: (abaixa o espelho) Viu como você é linda.

GIOVANNA: Não… Meu rosto está cheio de marcas… Meu olho está um pouco roxo… E… Minha cabeça enfaixada… Não é bonito.

RODRIGO: (acaricia o rosto de Giovanna) É bonita sim…

GIOVANNA: (olhando Rodrigo) Por que é de você que me lembro mais?… Eu nem te conhecia antes de tudo isso que me falaram.

RODRIGO: Porque eu vinha aqui e ficava falando na sua orelha. (sorri).

GIOVANNA: (sorri) Tanto assim?

RODRIGO: Eu te contei tantas coisas, você não se lembra?

GIOVANNA: (pensativa) Talvez… Não sei se são lembranças… Mas… Você tem um filho?

RODRIGO: (sorri) Tenho te falei muito sobre ele, se chama Gabriel e tem sete anos.

GIOVANNA: (sorri) Fico feliz por ter sido lembrança e não sonho… E você é casado?

RODRIGO: (fica triste) Eu era… A minha esposa morreu há cinco anos…

GIOVANNA: Sinto muito…

RODRIGO: (olhando Giovanna, aproxima um pouco o rosto do dela) Se alguém ouvir o que vou te falar agora posso ser banido de exercer a minha profissão por estar me envolvendo… Emocionalmente com uma pessoa mas… Tem um mês que venho aqui te ver… Porque… Depois que minha esposa morreu nunca mais me apaixonei por outra… Só por você.

GIOVANNA: (olhando Rodrigo) Como você se apaixonou… Eu estava em coma… Não saímos e nem nada…

RODRIGO: (olhando Giovanna) Essas coisas acontecem… E alguma coisa me falava que você iria acordar em breve… Seu pai me contou algumas histórias e o pouco que sei sobre você… Bastou para mim. (se aproximando para beijar Giovanna).

GIOVANNA: (olhando Rodrigo).

EMILIANO: (entra, fica bravo) O que você está fazendo!

RODRIGO: (se levanta assustado, olha Emiliano).

Fim do Capítulo  


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s