Descaminhos – capítulo 31 (últimos capítulos)

Descaminhos


Descaminhos 

Novela de Débora Costa


Capítulo 31


Personagens

Luigi Fiore

Giovanna Fiore

Enrico Salvatore

Paola Fiore

Carlo Mantovani

Mirella Fiore

Vitor Albuquerque

Elis Albuquerque

Jonas Albuquerque

Isaque Munhoz

Susana Albuquerque

José Almeida

Ana Clara Carvalho

Bruno Almeida

Nice Almeida

Silvio Almeida

Helena

Vitório Fiore

Doménica Fiore

PARTICIPAÇÕES:

Sérgio Medeiros – Investigador

Augusto Lopez – Delegado

Rafael Almeida – Policia Militar  

 



Cena 1

Mansão Fiore/Sala

JOSÉ: (entra).

LUIGI: José, você por aqui?

JOSÉ: Eu preciso falar com Paola…

LUIGI: Ela não está… (olhando José) Aconteceu alguma coisa?

JOSÉ: Aconteceu Luigi…

LUIGI: Pela sua cara é algo sério, Paola fez alguma coisa grave?

JOSÉ: Fez e eu vim aqui para terminar tudo com ela.

LUIGI: (olhando José) Você pretende deixar os negócios?

JOSÉ: Se o senhor não me despedir não…

LUIGI: (sorri) Por que eu te demitiria? A sua vida particular não afeta em nada nosso negócio.

PAOLA: (entra, olha José sorri) Meu amor! Que bom te ver aqui.

LUIGI: Eu vou ver Giovanna… (olha Paola, sai).

JOSÉ: (olhando Paola, dá um tapa no rosto dela).

PAOLA: (com a mão no rosto, olha José assustada) Mas o que deu em você!

JOSÉ: Você disse que nunca tinha me traído, e Carlo esfregou na minha cara que passou a noite com você!

PAOLA: (olhando José) É mentira dele!

JOSÉ: Pode guardar suas mentiras, eu liguei para Manuella que confirmou tudo! Ela disse que você esfregou isso na cara dela e que Carlo confirmou!

PAOLA: (as lagrimas escorrem, olhando José) Ele não te contou tudo, Carlo fez isso para se vingar de nós.

JOSÉ: (segura o braço de Paola) Você foi pra cama com ele porque quis! Você nunca vai mudar, e eu não quero mais nada com você!

PAOLA: (olhando José com raiva) Você quer ir atrás daquela suburbana… Eu sei, mas ela não te quer mais.

JOSÉ: Isso é um problema meu! (solta Paola, vai saindo).

PAOLA: José… Me dá mais uma chance…

JOSÉ: Não. (sai).

PAOLA: (chora, está com raiva, pega um vaso joga na parede, grita).

DOMÉNICA: (desce as escadas, preocupada, se aproxima de Paola) O que foi minha filha?

PAOLA: (abraça Doménica, chorando) Eu odeio o Carlo!… Eu quero que ele morra! (abraçada com Doménica, chorando).

Cena 2

Hospital/Quarto de Giovanna

RODRIGO: (olhando Giovanna) Realmente as coisas que Vitório te disse são fortes…

GIOVANNA: (está triste).

RODRIGO: (olhando Giovanna) E o que sinto por você não mudou em nada.

GIOVANNA: (olhando Rodrigo) Eu posso ser uma pessoa muito má…

RODRIGO: (acaricia o rosto de Giovanna) Não diria isso, talvez você seja uma pessoa determinada.

GIOVANNA: Rodrigo… Você lia poesias para mim não é?

RODRIGO: (sorri) Eu não lia… Eu olhava para você e falava a poesia que me vinha na cabeça.

GIOVANNA: (segura a mão de Rodrigo, o olha) Você pode me falar uma agora?

RODRIGO: (olhando Giovanna nos olhos) Tem um poema de Carlos Drummond de Andrade que diz…

Queria ter coragem

Para falar deste segredo

Queria poder declarar ao mundo

Este Amor

Não me falta Vontade

Não me falta desejo

Queria poder gritar

Esta loucura saudável

Que é estar em teus braços

Perdido pelos teus beijos

Sentindo – me louco de desejo

Queria recitar versos

Cantar aos quatros ventos

As palavras que brotam

Você é a inspiração

Minha motivação

Queria falar dos sonhos

Dizer os meus secretos desejos

Que é largar tudo

Para viver com você

Este inconfesso desejo

GIOVANNA: (olhando Rodrigo) Que lindo…

RODRIGO: (beija a mão de Giovanna, a olha) É o que sinto por você…

GIOVANNA: Tem certeza que nunca nos conhecemos?

EMILIANO: (vinha entrando volta fica ouvindo atrás da porta).

RODRIGO: (sorri) Infelizmente é verdade, não te conheci antes do acidente.

GIOVANNA: (abaixa a cabeça) Por que eu sinto algo por você também… (olha Rodrigo) É estranho… Mas acordei te procurando… (fica emocionada) A voz que ouvia que me dizia tantas coisas lindas, que me fazia bem, me acalmava… Eu queria que fosse real… E é… Você.

EMILIANO: (fica triste, se afasta da porta).

RODRIGO: (olhando Giovanna, enxuga as lagrimas dela, a beija).

GIOVANNA: (beijando Rodrigo, devagar, o olha, sorri) Eu estava esperando por isso…

RODRIGO: (sorri) Eu também… (acaricia o rosto de Giovanna, a olha) Eu te amo.

GIOVANNA: (sorri).

Cena 3

Sala de Espera

EMILIANO: (está sentando, triste, chorando em silêncio).

LUIGI: (se aproxima) Emiliano… Aconteceu alguma coisa com Giovanna?

EMILIANO: Não… Ela está bem.

LUIGI: Então por que você está chorando?

EMILIANO: (olha Luigi) Porque eu perdi o amor dela… Giovanna agora gosta do Rodrigo.

LUIGI: De onde você tirou isso? Minha filha está passando por algo difícil, como ela vai se apaixonar por outra pessoa do dia para a noite?

EMILIANO: Não foi do dia para a noite, acontece que esse sujeito vinha conversar com Giovanna, e ela por algum motivo se lembra dele… Esqueceu de mim, do nosso amor…

LUIGI: E de tudo mais… Não só de você, tenha paciência Emiliano, ela vai lembrar.

EMILIANO: O senhor não entende!… Giovanna pode se lembrar de mim… Mas pode não me amar mais. (fica triste).

Cena 4

Mansão Albuquerque/Quarto de Elis

ELIS: (está fazendo as malas).

MANUELLA: (entra, está triste).

ELIS: (olhando Manuella)… Ai não… Por favor, diga que não teve nenhuma desgraça dessa vez? Que cara é essa?

MANUELLA: Carlo me traiu com Paola…

ELIS: Como você sabe?

MANUELLA: Paola me contou e Carlo confirmou, ele disse que fez para se vingar dela, pretexto claro.

ELIS: E bem ruim por sinal… Sinto muito Manuella, você gosta muito dele não é?

MANUELLA: Muito… Muito mesmo Elis e eu achei que ele sentia o mesmo por mim.

ELIS: (abraça Manuella) Não fica assim… (a olha) Tenho certeza que se ele não gostar mais daquela metida vai tentar ficar com você.

MANUELLA: Eu não quero mais ele… (olha as malas) Elis, você vai viajar?

ELIS: (sorri) Não, eu vou me casar.

MANUELLA: (olhando Elis, sorri) Quando?

ELIS: Hoje á noite, coisa do Enzo. (da risada).

MANUELLA: Mas por que casar assim? Temos que fazer uma festa.

ELIS: O Enzo disse que o pai não aprovaria uma festa por causa da Giovanna que está no hospital, e eu contei a ele que vamos vender essa mansão e que alugaríamos um apartamento, e ele me convidou para morar com ele.

MANUELLA: (sorri) Que loucura mais gostosa essa… Espero que vocês sejam muito felizes.

ELIS: Você vai estar lá na cerimônia hoje, afinal você vai ser a minha madrinha. (sorri).

MANUELLA: (abraça Elis, a olha sorri) Claro que vou, obrigada pelo convite.

ELIS: Agora eu preciso pegar as minhas coisas e depois me arrumar. (sorri).

MANUELLA: Eu te ajudo.

Cena 5

Vila/Restaurante de Ana Clara

ANA CLARA: (abre o restaurante, entra).

JOSÉ: (entra, a olha muito).

ANA CLARA: (olha José, séria) O que você…

JOSÉ: (interrompendo Ana Clara, a beija).

ANA CLARA: (beijando José, o olha, fica com raiva, o empurra, dá um tapa no rosto dele).

JOSÉ: (com a mão no rosto, olha Ana Clara) Você me beijou também.

ANA CLARA: Por que você faz isso hein… Você gosta de fazer mal as pessoas?

JOSÉ: Eu vim aqui para te falar que amo você, nem eu queria ver isso porque estou ocupado demais me amando, e correndo atrás daquilo que eu quero que é muito dinheiro… Mas dai você chegou… E tentando enganar você acabei caindo na minha armadilha porque eu me apaixonei por você.

ANA CLARA: (olhando José) Você menti muito bem… Se eu não te conhecesse acreditaria, agora sai daqui.

JOSÉ: Eu acabei de terminar tudo com Paola, e não vou desistir de você e nem do meu filho. (sai).

ANA CLARA: (pensativa).

Cena 6

Hospital/Quarto de Giovanna

LUIGI: Vitório passou dos limites vindo aqui para te contar essas coisas.

GIOVANNA: Mas ele disse a verdade… Não importa se é ruim, quanto mais verdades eu saber melhor, o rosto de tal Jonas apareceu na minha frente, foi uma lembrança.

LUIGI: Tem coisas que você mesma tem que se lembrar sozinha meu amor.

MÉDICO: (entra) Eu tenho boas notícias, Giovanna você está liberada para voltar para sua casa.

LUIGI: (fica feliz, sorri) Posso levar a minha filha agora é isso?

MÉDICO: Sim, mas seguindo todas as minhas recomendações, ela ainda tem algumas fraturas, não vai poder fazer muito esforço.

LUIGI: Pode deixar, vou cuidar muito bem da minha filha. (sorri) Obrigado por tudo doutor. (estende a mão).

MÉDICO: (aperta a mão de Luigi, sorri) Não tem o que agradecer, eu vou pedir para a enfermeira trazer uma cadeira de rodas para Giovanna. (sai).

GIOVANNA: (pensativa um pouco triste).

LUIGI: (olha Giovanna) O que você tem querida?

GIOVANNA: Essa situação…

LUIGI: Tudo vai dar certo.

PAOLA: (entra, sorri) Oi.

LUIGI: Paola a Giovanna vai voltar conosco para a casa.

PAOLA: Mas que ótima notícia! (sorri, olha Giovanna) Então você tem que sair com estilo sorella, você está pálida, com olheiras, e essa roupinha de hospital não está com nada.

LUIGI: Paola… Giovanna estava em coma e não em Paris.

PAOLA: Percebi, eu vou comprar alguma coisa decente para Giovanna sair daqui e já volto. (sai).

GIOVANNA: (sorri) Gosto dela.

LUIGI: Eu vou ligar para a casa e pedir para que deixem tudo preparado para você meu amor. (beija a testa de Giovanna, sai).

Cena 7

Mansão Fiore/Escritório

VITÓRIO: (está olhando alguns documentos, o celular toca) Alô…

PIETRO: Como vai Vitório?

VITÓRIO: (fica sério) Pietro?…

PIETRO: Depois de tanto tempo sem dar as caras é interessante que se lembre da minha voz.

VITÓRIO: O que você quer?

PIETRO: (sorri) Não existe outra pessoa tão sínica quanto você… Como o que eu quero? Quero tudo que você me deve, dinheiro, drogas…

VITÓRIO: Eu não estou na Itália como você deve saber, não tenho como acertar as coisas com você agora.

PIETRO: Claro que tem, você pagou a divida que tinha com meu amigo… Também quero que pague a minha, se não eu vou até ai atrás de você.

VITÓRIO: Pietro vá procurar outro para encher! (desliga).

MIRELLA: (entra, olha Vitório) Eu não sabia que você estava aqui…

VITÓRIO: (se levanta) Pode ficar a vontade, estou de saída, vou até a empresa.

MIRELLA: Fazer o que lá?

VITÓRIO: (sorri) Ver como está o meu negócio.

MIRELLA: (olhando Vitório) Eu gostaria de te pedir uma coisa, Giovanna vai voltar para a casa hoje, por favor, deixa ela em paz.

VITÓRIO: (sorri) Vou pensar no seu caso. (sai).

MIRELLA: Esse Vitório…

Cena 8

Mais Tarde/Hospital/Quarto de Giovanna

GIOVANNA: (está sentada na cadeira de rodas, sem a faixa na cabeça, o cabelo está no ombro, usando um vestido, sendo maquiada por Paola).

PAOLA: (termina de maquiar Giovanna, a olha sorri) Pronto Gi… Está linda.

GIOVANNA: (se olha no espelho) É você conseguiu cobrir as marcas horríveis que estavam no meu rosto… (olha Paola) Você viu como estão as minhas pernas?… Os arranhões do meu braço?…

PAOLA: (olhando Giovanna) Essas coisas voltam ao normal Giovanna… Você sofreu um acidente muito grave é natural que esteja assim, mas logo as coisas vão voltar ao normal… (sorri, pega um vidro de perfume, mostra para Giovanna) Não esqueci do seu perfume. (passa o perfume em Giovanna).

GIOVANNA: (sentindo o aroma do perfume) Me lembro desse cheiro.

PAOLA: (sorri) É claro que lembra, você só usa esse perfume.

RODRIGO: (entra, está com um buquê de flores na mão, olha muito Giovanna, sorri) Giovanna você está linda.

GIOVANNA: (sorri) Obrigada.

RODRIGO: Eu vim me despedir de você. (entrega o buque á Giovanna).

GIOVANNA: (olhando Rodrigo) Que lindas Rodrigo, obrigada, mas… Você não vai me visitar na minha casa?

PAOLA: (observa).

RODRIGO: (sorri) Se você quiser eu vou…

GIOVANNA: Eu quero sim, só não sei o endereço.

PAOLA: Eu anoto. (pega um papel e uma caneta, escreve, entrega á Rodrigo).

RODRIGO: (pega o endereço, olha Giovanna, sorri) Nós somos vizinhos.

GIOVANNA: É mesmo?

RODRIGO: Sim eu me mudei há pouco tempo para essa rua.

PAOLA: Então é você o vizinho que nunca vemos, mas que coisa. (sorri, olha Giovanna) Quando alguém está em nosso destino não tem jeito…

RODRIGO: (sorri sem graça).

Cena 9

Ind. Alimentícia Fiore

VITÓRIO: (está visitando toda a empresa, acompanhado de Camila) É muito interessante as coisas aqui, e bem produtivas.

CAMILA: A empresa cresce a cada dia, Seu Luigi e Dona Giovanna trabalham muito para isso, agora o José está indo muito bem também.

VITÓRIO: Ele não irá mais ocupar o lugar do Luigi porque eu vou estar no comando a partir de agora, eu quero uma reunião amanhã com todos os funcionários da área administrativa.

CAMILA: (olhando Vitório) Seu Luigi não me informou nada sobre isso.

VITÓRIO: Faça o que eu mandei se não quiser perder o emprego.

CAMILA: (abaixa os olhos) Sim senhor.

VITÓRIO: (se afasta de Camila).

CAMILA: (olhando Vitório sair) Se eu fizer isso sem comunicar meus patrões estarei na rua também…

Cena 10

Mansão Fiore/Sala

DOMÉNICA: (está ajudando a arrumar as coisas para Giovanna).

EMILIANO: (entra) Oi Doménica.

DOMÉNICA: (sorri) Oi, como vai?

EMILIANO: Indo… Estou preocupado com Giovanna, acho que ela não gosta mais de mim.

DOMÉNICA: Logo ela vai se lembrar de você estamos ajeitando as coisas para que Giovanna possa ir e vir a vontade com a cadeira de rodas, tivemos que arrumar o quarto que temos aqui embaixo para ela.

EMILIANO: Posso ajudar em alguma coisa?

DOMÉNICA: Pode sim Emiliano, você ajuda a colocar as coisas dela na cômoda e no closet, por favor.

EMILIANO: (sorri) Claro, com licença. (sobe as escadas).

MIRELLA: (se aproxima) Mamma já estão vindo com Giovanna.

DOMÉNICA: (fica feliz) Que bom querida, agora sim essa casa vai estar como sempre foi.

ENZO: (se aproxima) Mirella, eu tenho um convite para te fazer… Quer ser a madrinha do meu casamento?

MIRELLA: (sorri, abraça Enzo) Claro que quero Enzo, obrigada.

ENZO: Liga agora para o Bruno e pergunta se ele quer ser o padrinho.

MIRELLA: Pode deixar, já volto, deixei meu celular no meu quarto. (sobe as escadas).

DOMÉNICA: Você está feliz com esse casamento meu filho, está em seus olhos.

ENZO: (sorri) Eu amo a Elis e ter ela como esposa vai ser muito bom.

DOMÉNICA: Giovanna está voltando hoje para a casa.

ENZO: Que bom mamma… Mas dá um jeito de sair a noite para ir ao meu casamento. (sorri, beija o rosto de Doménica).

Cena 11

Ind. Alimentícia Fiore/Sala de José

VITÓRIO: (entra, olha em volta se senta).

JOSÉ: (entra, olha Vitório) Eu posso saber o que faz na minha sala?

VITÓRIO: (coloca os pés na mesa, olha José) Estou na minha sala, ocupando o lugar que pertence a mim na empresa da minha família.

JOSÉ: (fica sério) Luigi não me disse nada, então saia daqui.

VITÓRIO: (sorri, olhando José) É você quem vai sair, á partir de hoje estou assumindo a administração da indústria alimentícia Fiore.

JOSÉ: (fica com raiva).

Fim do Capítulo  


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s