Descaminhos – capítulo 32 (últimos capítulos)

Descaminhos


Descaminhos 

Novela de Débora Costa


Capítulo 32


Personagens

Luigi Fiore

Giovanna Fiore

Enrico Salvatore

Paola Fiore

Carlo Mantovani

Mirella Fiore

Vitor Albuquerque

Elis Albuquerque

Jonas Albuquerque

Isaque Munhoz

Susana Albuquerque

José Almeida

Ana Clara Carvalho

Bruno Almeida

Nice Almeida

Silvio Almeida

Helena

Vitório Fiore

Doménica Fiore

PARTICIPAÇÕES:

Sérgio Medeiros – Investigador

Augusto Lopez – Delegado

Rafael Almeida – Policia Militar  


 


Cena 1

Mansão Fiore/Quarto de Giovanna

GIOVANNA: (está dormindo).

DOMÉNICA: (está fazendo carinho em Giovanna).

LUIGI: (entra) Como ela está?

DOMÉNICA: Ela dormiu depois que dei um calmante… Coitada da Giovanna… Com tantas coisas boas para se lembrar, ela foi se lembrar justo do que mais de ruim aconteceu com ela.

LUIGI: Vamos deixar ela descansar amore.

DOMÉNICA: (beija a testa de Giovanna, sai).

Cena 2

Vila/Casa de Ana Clara/Sala

VICENTE: (vem da cozinha com uma bolsa de gelo para Ana Clara) Aqui.

ANA CLARA: (coloca a bolsa de gelo na testa) Obrigada.

VICENTE: Você não quer ir mesmo ao hospital?

ANA CLARA: Não Vicente, eu estou bem.

VICENTE: Você deveria fazer uma denuncia contra essa mulher.

ANA CLARA: Ela é completamente louca… (a campainha toca).

VICENTE: Vou ver quem é. (vai abrir a porta).

JOSÉ: (entra).

VICENTE: O que você está fazendo aqui?

JOSÉ: Bruno me deixou um recado no celular, só vi agora. (olha Ana Clara, se senta ao lado dela) O que foi isso?

ANA CLARA: O que você acha? Paola!

JOSÉ: O que ela te fez?

ANA CLARA: Ela foi me procurar no restaurante, e eu disse que falaria aqui com ela aqui em casa, Paola ofereceu dinheiro para que eu tirasse o meu filho, para te deixar em paz, e eu não aceitei, ela me agrediu… Puxou o meu cabelo e bateu minha cabeça na porta…

JOSÉ: (fica sério) Eu vou falar com ela… Paola não tem o direito de vir aqui e fazer isso, você já foi ao hospital?

ANA CLARA: Não precisa eu já estou bem.

JOSÉ: Está bem agora, eu não vou correr o risco e deixar que algo aconteça a você ou ao meu filho, vamos eu te levo ao hospital.

VICENTE: Ela já disse que não vai.

JOSÉ: Não estou falando com você… Vamos Ana Clara, por favor.

ANA CLARA: (olhando José) Está bem eu vou… (se levanta, fica tonta).

JOSÉ: (segura Ana Clara, preocupado) Você está bem? (a olha).

ANA CLARA: (olhando José) Sim… (se afasta, olha Vicente) Eu não demoro…

VICENTE: Quer que eu vá junto?

JOSÉ: Eu vou levar Ana Clara e não você.

ANA CLARA: Para com isso José… Vicente e eu estamos namorando.

JOSÉ: (sorri) Você não o ama.

VICENTE: (olhando José).

ANA CLARA: José, vamos logo antes que eu me arrependa, pode sair na frente.

JOSÉ: (sai).

ANA CLARA: (abraça Vicente) Volto logo. (sai).

VICENTE: (pensativo).

Cena 3

No Dia Seguinte

Ind. Alimentícia Fiore/Administração

LUIGI: (entra, se aproxima de Camila) Bom dia Camila, José já chegou?

CAMILA: Ainda não seu Luigi, ele chega ás 08:30 hs.

LUIGI: E Vitório?

CAMILA: (olhando Luigi) Está na sala de José.

LUIGI: (fica sério, entra na sala de José).

CAMILA: Pela cara do seu Luigi isso não vai acabar bem…

Cena 4

Sala de José

VITÓRIO: (olha Luigi) Eu achei que você ficaria cuidando da minha priminha querida, o que faz aqui?

LUIGI: José me contou que você está querendo ficar no lugar dele, e eu tive que vim ver com meus próprios olhos.

VITÓRIO: Já viu, pode sair agora.

LUIGI: (olhando Vitório) Eu não te quero aqui, essa empresa é minha!

VITÓRIO: É nossa.

LUIGI: Você não sabe administrar uma industria como essa, trate de sair daqui.

VITÓRIO: (olhando Luigi, sorri) Você vai ter que me tirar a força se quiser.

LUIGI: (se aproxima de Vitório, o olha) Já faz muito tempo que estou com você atravessado na minha garganta! (levanta Vitório da cadeira pela camisa, o segura).

VITÓRIO: Me solta!

LUIGI: Eu vou te tirar daqui a força como você disse! (segura Vitório com força, o empurra para fora da sala de José).

Cena 5

Corredor

VITÓRIO: (está com raiva) Você não tem o direito de me tirar daqui!

LUIGI: (tranca a porta da sala, entrega a chave á Camila, a olha) A única pessoa que vai abrir essa porta além de mim é o José, fui claro?

CAMILA: (pega a chave) Sim, senhor.

VITÓRIO: (grita) Eu tenho direito de estar aqui!

LUIGI: (se aproxima de Vitório) O único direito que você tem é de escolher se vai sair por bem ou por mal da minha empresa.

VITÓRIO: (encara Luigi) Não ouse a encostar essas mãos imundas em mim velho.

LUIGI: (olha Vitório, o segura pela nuca, torce o braço, vai levando para fora, todos olham).

Cena 6

Rua

LUIGI: (joga Vitório na calçada, o olha com raiva) Vou dar ordens para impedir a sua entrada aqui, e se você insistir os seguranças terão permissão para atirarem em você! E agradeça por eu não fazer o mesmo com você na minha casa! (entra).

VITÓRIO: (está com ódio, as lagrimas escorrem) Você vai se arrepender por isso velho maldito! (com ódio).

Cena 7

Mansão Fiore/Quarto de Giovanna

GIOVANNA: (está na cadeira de roda, perto da janela, pensativa).

PAOLA: (entra) Bom dia Gi.

GIOVANNA: Bom dia…

PAOLA: (se aproxima, se senta ao lado de Giovanna) Como você está?

GIOVANNA: Melhor…

PAOLA: Me contaram o que aconteceu.

GIOVANNA: Eu prefiro não falar sobre isso.

PAOLA: (olhando Giovanna) Eu te conheço muito bem, e sei que tem outra coisa te chateando.

GIOVANNA: Eu queria muito falar com o Rodrigo.

PAOLA: É só você ligar para ele Giovanna, aquele gato te deu o número.

GIOVANNA: Eu não quero atrapalhar o Rodrigo… Mas é que só ele consegue me acalmar.

PAOLA: Então eu ligo, anotei o número quando ele passou. (sorri, pega o celular, liga para Rodrigo) Alô doutor Rodrigo?… Aqui é Paola Fiore como vai? (sorri).

GIOVANNA: (observa).

PAOLA: Ela está bem sim, e quer falar com você, espera um pouco. (entrega o celular para Giovanna sorri, se levanta) Daqui a pouco volto para pegar meu celular Gi. (sai).

GIOVANNA: (no celular) Rodrigo…

RODRIGO: Bela Giovanna, como você está? (sorri).

GIOVANNA: (sorri) Bem… Eu queria falar com você mas não te atrapalhar.

RODRIGO: Você não está me atrapalhando, eu estou na minha casa agora.

GIOVANNA: Eu preciso te ver… Contar o que aconteceu ontem… Me senti tão mal por algumas lembranças ruins.

RODRIGO: Se você quiser, eu vou te buscar e podemos tomar café da manhã juntos, o que você acha?

GIOVANNA: (sorri) Eu quero sim.

RODRIGO: Então estou indo ai, até logo.

GIOVANNA: (desliga, suspira).

Cena 8

Sala

PAOLA: (se senta no sofá).

JOSÉ: (entra, está bravo, puxa Paola, a olha) Eu só vou falar uma vez! Se você agredir novamente Ana Clara por qualquer motivo que seja eu mesmo vou dar queixa a polícia!

PAOLA: (encara José) A sem sal já foi chorar no seu ombro?

JOSÉ: (olhando Paola nos olhos) Se tivesse qualquer chance de voltar com você, essa sua atitude colocaria tudo a perder.

CARLO: (fica parado na escada, observa).

PAOLA: Você não vai agüentar ficar sem mim.

JOSÉ: (sorri) Eu nunca gostei de você de verdade… Eu nunca tinha gostado de ninguém até conhecer Ana Clara, foi bom o que tivemos sim, mas nunca te amei…

PAOLA: (com raiva, chora, grita) Imbecil! (se solta, dá um tapa no rosto de José).

JOSÉ: (dá um tapa no rosto de José, a olha) Nunca mais encosta em mim e nem em Ana Clara… Está avisada. (sai).

PAOLA: (chorando, grita com raiva, se senta no sofá).

CARLO: (se aproxima a olha muito) Dói não é…

PAOLA: (se levanta, está com raiva) Cala essa boca!

DOMÉNICA: (se aproxima preocupada) Que gritaria é essa?

CARLO: A Paola que acabou de ouvir algumas verdades de José… E deve ter doido muito. (sorri).

PAOLA: (com muito ódio de Carlo, o encara, cospe no rosto dele).

DOMÉNICA: Paola!

CARLO: (da risada, enxuga o rosto, olha Paola) Ridícula… Eu estou indo embora dessa casa… Vou pedir Manuella em casamento, e vou ser feliz, como nunca fui com você.

PAOLA: (vai pra cima de Carlo).

ENZO: (desce as escadas com pressa, segura Paola) Calma Paola!

DOMÉNICA: Paola minha filha para de agir assim…

PAOLA: (chorando) Odeio você Carlo! (grita) Odeio!

ELIS: (esta num canto da sala observando assustada).

CARLO: (sorri, sai).

PAOLA: Me solta Enzo!

ENZO: (solta Paola).

PAOLA: (nervosa, sobe as escadas).

ELIS: Gente… O que foi isso?

ENZO: Os chiliques de minha sorella… Mamma você está bem?

DOMÉNICA: (se senta, se acalmando) Estou Enzo… Paola não tem jeito mesmo.

Cena 9

Ind. Alimentícia Fiore/Sala de Luigi

CAMILA: Seu Luigi, como está dona Giovanna?

ISAQUE: (se aproxima da porta, fica ouvindo escondido).

LUIGI: Está abalada com tudo… Não se lembra de nada e nem de ninguém e ainda não pode andar temporariamente.

CAMILA: Coitada… Mas dona Giovanna é uma pessoa muito determinada e esforçada, logo ela vai se recuperar.

LUIGI: Com certeza.

CAMILA: E dona Doménica? Como está?

LUIGI: A doença dela não evoluiu mais graças aos remédios, felizmente vamos ter Doménica por mais tempo conosco. (sorri, o celular toca).

CAMILA: Com licença.

ISAQUE: (se esconde).

CAMILA: (sai).

ISAQUE: (volta a escutar atrás da porta).

LUIGI: Alô.

ALANIS: Você me abandonou…

LUIGI: (sorri) Nunca Alanis… Eu estou na empresa, mas já estou de saída e vou até ai te ver, tenho uma surpresa para você.

ALANIS: (sorri) Se for algo que me agrade estará perdoado meu amor.

LUIGI: Tenho certeza que você vai gostar… E tenho que te falar uma coisa importante… Doménica descobriu nosso relacionamento.

ALANIS: Espero que isso não nos afaste amor, não sei viver sem você.

LUIGI: De forma alguma vou deixar de te ver Alanis… Daqui a pouco nos falamos com calma, te amo. (desliga).

ISAQUE: (sai).

Cena 10

Rua

VITÓRIO: (está em seu carro, com raiva, o celular toca, atende) Alô…

PIETRO: Estou no Brasil Vitório.

VITÓRIO: (fica preocupado) E vai fazer o que comigo? Não tenho medo de você.

PIETRO: Deveria ter… Já sei onde você mora, onde você vai e onde você está nesse momento.

VITÓRIO: (olha em volta, não vê nada estranho, sorri) É mesmo idiota? E onde eu estou?

PIETRO: (bate na janela do carro de Vitório).

VITÓRIO: (se assusta, olha muito Pietro).

PIETRO: (faz um gesto para Vitório abaixar o vidro).

VITÓRIO: (desliga o celular, abaixa o vidro, olha Pietro).

PIETRO: (sorri) Temos muitas contas para acertar Vitório.

VITÓRIO: (sério).

Cena 11

Vila/Casa de Ana Clara/Sala

ANA CLARA: Vicente eu estou bem!

VICENTE: Você tem que descansar! Deixa de ser teimosa.

ANA CLARA: Eu tenho que ir para o restaurante!

VICENTE: De jeito nenhum, você vai ficar aqui e a sua ajudante vai cuidar de tudo, acabei de falar com ela.

ANA CLARA: Mas que coisa viu! Eu estou ótima.

VICENTE: Hoje você fica aqui. (sorri, se aproxima para beijar Ana Clara).

ANA CLARA: (olhando Vicente) Você pode pegar um pouco de água para mim?

VICENTE: (olha Ana Clara) Sim… Pego sim. (vai para a cozinha).

ANA CLARA: (pensativa) Eu tenho que esquecer José… Se eu acreditar nessa versão que ele inventou posso ser enganada novamente.

Cena 12

Casa de Rodrigo/Sala

RODRIGO: (entra).

GIOVANNA: (entra na cadeira de rodas).

RODRIGO: (sorri) Seja bem vinda.

GIOVANNA: (sorri) Obrigada.

GABRIEL: (vem correndo) Papai! (pula no colo de Rodrigo).

RODRIGO: (segurando Gabriel, sorri) Bom dia meu filho. Acordou com a corda toda.

GABRIEL: (olha Giovanna, olha Rodrigo) Essa é a moça que estava dormindo igual a bela adormecida?

GIOVANNA: (sorri).

RODRIGO: (olha Giovanna, sorri) É ela sim Gabriel. (coloca Gabriel no chão) Essa é Giovanna.

GABRIEL: (olhando Giovanna) Oi…

GIOVANNA: (sorri) Olá, é um prazer te conhecer Gabriel, seu pai fala muito em você.

GABRIEL: (sorri, acaricia o rosto de Giovanna) Você é bonita mesmo…

GIOVANNA: Obrigada.

GABRIEL: Meu pai acordou você com um beijo?

RODRIGO: Gabriel… Eu já te expliquei que Giovanna se machucou muito e que por isso teve que dormir alguns dias.

GABRIEL: Entendi papai…

RODRIGO: Agora vai tomar seu café da manhã que já já você tem aula. (sorri).

GABRIEL: Tudo bem. (abraça Rodrigo, olha Giovanna). Você vai estar aqui quando eu voltar?

GIOVANNA: Acho que não, mas se você quiser e seu pai deixar, pode ir na minha casa me ver.

GABRIEL: (sorri, abraça Giovanna, vai para a sala de jantar).

GIOVANNA: Gostei do seu filho. (sorri).

RODRIGO: (olhando Giovanna, sorri) E ele de você… Não tem como não gostar de você.

GIOVANNA: (fica chateada) Tem sim… Quem me seqüestrou estava com muito ódio de mim… Me lembrei das surras e torturas que passei…

RODRIGO: (segura a mão de Giovanna) Não sei como foram capazes de te machucar.

GIOVANNA: (olhando Rodrigo) Fiquei com tanto medo dessas lembranças… (as lagrimas escorrem).

RODRIGO: Não chora… (pega um lenço, enxuga as lagrimas de Giovanna a olha muito).

GIOVANNA: (olhando Rodrigo) Queria muito que você estivesse ao meu lado quando me lembrei.

RODRIGO: (olhando Giovanna) Se eu soubesse teria ido… (beija Giovanna).

GIOVANNA: (beijando Rodrigo, o olha muito) Por que eu gosto tanto de você… Sendo que nós não nos conhecemos antes de tudo isso.

RODRIGO: Eu costumava falar com você todos os dias como você já sabe… E se for por isso você não sabe como fico feliz… Porque eu também gosto de você. (beija Giovanna).

Cena 13

Mansão Albuquerque/Sala

LUIGI: (entra com Alanis, está com as mãos nos olhos dela) Só mais um pouco para a frente.

ALANIS: (sorri) Meu amor quanto mistério.

LUIGI: (sorri) Essa é a sua surpresa… (tira as mãos dos olhos de Alanis).

ALANIS: (olha em volta) O que é?

LUIGI: (olhando Alanis) Essa mansão… É para você meu amor.

ALANIS: (olhando Luigi) Como?

LUIGI: (sorri) Essa mansão é meu presente para você.

ALANIS: (muito feliz, abraça e beija Luigi, eufórica) Meu amor! Você ficou louco? Eu adorei!

LUIGI: (feliz) Você merece… Teve muita paciência comigo esses dias todos e foi uma mulher exemplar.

ALANIS: (sorrindo) Fiz porque te amo, você não precisava me recompensar.

LUIGI: Precisava sim e fico muito feliz que você gostou você merece.

ALANIS: (olhando Luigi, sorri) Vamos procurar um quarto e… Testar o colchão. (beija Luigi com vontade).

Cena 14

Mansão Fiore/Sala

ENZO: Então meu pai comprou mesmo a sua mansão?

ELIS: Comprou, entreguei as chaves para ele hoje cedo.

ENZO: (pensativo) E ele não te disse para que quer a mansão?

ELIS: Não perguntei Enzo, seria antiético.

DOMÉNICA: (se aproxima).

ENZO: (não vê Doménica, olha Elis) Eu acho que meu pai comprou a sua mansão para Alanis… A amante dele…

DOMÉNICA: Se Luigi fez isso… Vai descobrir do que eu sou capaz.

ENZO: (olhando Doménica assustado e preocupado).

Fim do Capítulo  


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s