Descaminhos – capítulo 34 (últimos capítulos)

Descaminhos


Descaminhos 

Novela de Débora Costa


Capítulo 34


Personagens

Luigi Fiore

Giovanna Fiore

Enrico Salvatore

Paola Fiore

Carlo Mantovani

Mirella Fiore

Vitor Albuquerque

Elis Albuquerque

Jonas Albuquerque

Isaque Munhoz

Susana Albuquerque

José Almeida

Ana Clara Carvalho

Bruno Almeida

Nice Almeida

Silvio Almeida

Helena

Vitório Fiore

Doménica Fiore

PARTICIPAÇÕES:

Sérgio Medeiros – Investigador

Augusto Lopez – Delegado

Rafael Almeida – Policia Militar  



Cena 1

Mansão Fiore/Sala

ENZO: Mamma… Eu não te vi ai…

DOMÉNICA: Não se preocupe Enzo… Eu estou sabendo do caso de Luigi com essa… Moça.

ELIS: Eu vou deixar vocês a sós… Vou ver os últimos detalhes da inauguração da nossa casa noturna meu amor. (beija Enzo).

ENZO: Eu vou falar com a mamma e te encontro lá, te amo. (sorri).

ELIS: (sorri) Até logo dona Doménica…

DOMÉNICA: Até querida.

ELIS: (sai).

ENZO: (olhando Doménica) Como você descobriu?

DOMÉNICA: Vamos até o jardim Enzo, não quero que ouçam nossa conversa. (vai para o jardim).

ENZO: (vai com Doménica).

Cena 2

Casa de Rodrigo/Sala

GIOVANNA: E foi isso que me lembrei… (fica triste) Queria poder me lembrar de mais…

RODRIGO: Essa sua lembrança já foi um grande passo, a sua perda de memória pode estar relacionada ao trauma que sofreu e não ao acidente. (olha Giovanna) Antes de ser sequestrada, onde e com quem você estava?

GIOVANNA: (pensativa, se esforçando para se lembrar) Não sei…

RODRIGO: (segura a mão de Giovanna, a olha) Tenta se lembrar Giovanna… Onde e com quem você estava antes de ser sequestrada?

GIOVANNA: (pensativa, se lembra da entrada do prédio onde Emiliano mora) Estava em um prédio… Conheço esse lugar…

RODRIGO: Quem mora lá?

GIOVANNA: Não sei… (pensativa) Não consigo me lembrar…

RODRIGO: Vamos perguntar para alguém da sua família se tem fotos dos lugares que você costumava ir, e você vê se algum dos lugares era esse prédio.

GIOVANNA: Ótima idéia.

RODRIGO: Eu vou te levar para a sua casa, pelo que sei daqui a pouco a sua psicóloga chega e a fisioterapeuta também.

GIOVANNA: Eu não quero outra psicóloga… Só me sinto bem com você, se não pode me atender por ter sentimentos por mim, fique como meu amigo, um amigo que pode me dar conselhos e me ajudar, assim você não corre perigo.

RODRIGO: (sorri) Você é muito inteligente, gostei da sua idéia.

GIOVANNA: (sorri) Eu vou dispensar essa tal psicóloga…

Cena 3

Clinica Psiquiátrica/Pátio

LUCAS: (se aproxima de Susana, a olha) Susana…

SUSANA: (olha Lucas, sorri) Jonas… Você veio me ver…

LUCAS: Não Susana… Eu sou o Lucas, seu cunhado…

SUSANA: (sorri) Meu amor, você sempre fazendo piadas. (abraça Lucas) Senti tanto a sua falta…

LUCAS: (não sabe o que fazer, abraça Susana).

SUSANA: (olha Lucas) E Vitor? Veio com você?

LUCAS: Não…

SUSANA: Esse menino… Vive por ai se divertindo e esquece de mim…

LUCAS: (olha muito Susana) Susana… Eu não sou Jonas, ele está morto e Vítor também, você precisa voltar ao normal.

SUSANA: (tampa os ouvidos) Para de falar essas coisas!

LUCAS: Vitor e Jonas morreram por causa de Giovanna Fiore!

SUSANA: (olha Lucas com ódio) Giovanna… Você ainda gosta dessa vagabunda!

LUCAS: Para com isso! Eu não sou Jonas! Sou o Lucas!

SUSANA: (grita, nervosa) Ela vai destruir você!

ENFERMEIRA: (se aproxima) O que está acontecendo aqui?

LUCAS: (olha a enfermeira) Susana nunca vai voltar ao normal?

ENFERMEIRA: Eu acho que Susana não quer voltar para a realidade…

SUSANA: (chora, com raiva) Maldita… Maldita Giovanna… (olha Lucas) Se você não acabar com ela… Eu mesma faço isso.

LUCAS: (olhando Susana) Eu volto aqui para te contar o que aconteceu.

SUSANA: (fica distante, olha Lucas) Vítor virá com você?

LUCAS: (com pena de Susana) Não sei… Até logo… (sai).

SUSANA: (olha para baixo) Vítor meu filho tem que vir me ver… Só a Elis vem… Ele não…

Cena 4

Bar

PIETRO: (olhando Vitório) Você não tem como fugir agora, ou você me paga tudo o que deve, ou eu te mato.

VITÓRIO: Para de me ameaçar! O que eu te devo não é nada perto do que já fiz por você e por sua organização!

PIETRO: Você está me devendo mercadoria e dinheiro, você sabe muito bem a quantia, eu não me abalei da Itália até aqui à toa.

VITÓRIO: (sério, pensativo) Aqui no Brasil não estou mexendo com drogas, e para te pagar preciso de um tempo.

PIETRO: (sorri) Vamos fazer assim, vou deixar você se virar para arrumar as minhas drogas e o meu dinheiro, você tem uma semana, passando esse prazo, se não me der o que quero pode se despedir da sua vida. (se levanta, sai).

VITÓRIO: (com raiva) Mas que desgraçado… Se eu o matar a máfia vem atrás de mim… Preciso de uma solução…

Cena 5

Mansão Fiore/Jardim

DOMÉNICA: (olhando Enzo) Não é de hoje que Luigi tem um caso… No passado eu sofri muito, até que um dia disse que queria me separar dele, e ele prometeu nunca mais me trair, e realmente assim ele fez, mas essa Alanis mexeu com ele… Eu percebi, e um dia eu atendi o telefone de Luigi e ela como boa biscate que é fingiu que não percebeu que eu atendi e o chamou de meu amor.

ENZO: Eu fico inconformado com essas coisas, não sei como ele é capaz de agir assim com você… Que sempre fez tudo por ele.

DOMÉNICA: Luigi e eu temos uma relação de anos, eu mais do que ninguém sei que ele não é perfeito, cometeu muitos erros, com a família, com amigos e comigo…

ENZO: O que você vai fazer agora que sabe de Alanis?

DOMÉNICA: Eu poderia fazer vistas grossas como já fiz muitas vezes, mas vejo que isso está afetando vocês, meus filhos, e isso não vou permitir, já chega de Luigi se dar bem em tudo… (olhando Enzo) Eu vou deixar Luigi se ele não chutar essa ordinária.

ENZO: (sorri orgulhoso).

Cena 6

Mansão Albuquerque/Sala

LUIGI: Elis me disse que vai retirar algumas coisas daqui junto com Manuella, assim que ela terminarem, você já pode se mudar para cá.

ALANIS: (sorri, olhando Luigi) Sabe o que seria perfeito meu querido?… Se você viesse morar aqui comigo.

LUIGI: (sorri) Seria mesmo… Mas não posso.

ALANIS: Eu não entendo isso, você diz que me ama, mas não se separa da sua mulher para se casar comigo.

LUIGI: As coisas não são simples assim Alanis, além de Doménica, tem meus filhos, a empresa…

ALANIS: Pretexto… (fica chateada).

LUIGI: Não é nada disso Alanis… (a olha muito) Não fica assim, eu prometo vir sempre aqui. (pega a carteira, entrega para Alanis um cartão de crédito) Isso é para você comprar tudo novo para a sua nova casa. (sorri).

ALANIS: (não pega o cartão, olha Luigi) Você acha que pode me comprar assim?

LUIGI: Não estou te comprando meu amor, e sim te presenteando, eu te tirei do seu emprego de modelo, e ainda não te dei o cargo que te falei na minha empresa, então estou te dando esse cartão para que você possa comprar móveis novos, roupas, sapatos, o que você quiser, por favor, aceite. (sorri).

ALANIS: (pega o cartão, olha Luigi, sorri) A sua sorte é que eu te amo muito senhor Fiore. (beija Luigi).

Cena 7

Vila/Restaurante

JOSÉ: (entra).

BRUNO: (se aproxima) Você aqui de novo?

JOSÉ: Você é gerente ou segurança daqui? Para de implicar comigo, eu vim ver Ana Clara.

BRUNO: Ela está ocupada José.

JOSÉ: Deixa de ser mentiroso, eu não vim para brigar com ela e sim ver como ela está.

BRUNO: Tudo bem, senta ai que vou chamar ela… (sai).

JOSÉ: (sorri, se senta, olha em volta).

ANA CLARA: (se aproxima, olha José).

JOSÉ: (sorri) Oi.

BRUNO: (se aproxima).

JOSÉ: Bruno traz para mim um café.

BRUNO: Eu não sou garçom.

JOSÉ: Então sai daqui porque é com a Ana Clara que quero falar.

BRUNO: (sai).

ANA CLARA: Você não acha que é muito grosso com seu irmão?

JOSÉ: Não… Como você está?

ANA CLARA: Bem… Obrigada.

JOSÉ: (coloca a mão na barriga de Ana Clara, sorri) E nosso filho?

ANA CLARA: (olhando José) O meu filho está bem.

JOSÉ: (olha Ana Clara) O que eu tenho que fazer para te provar que eu me arrependi do que te fiz, que amo você, e que já terminei tudo com Paola, aliás, eu briguei com ela por ter te agredido.

ANA CLARA: Eu não quero mais nada com você, já sofri bastante nas suas mãos.

JOSÉ: (segura a mão de Ana Clara a olha) Eu quero me casar com você, ter uma família… Eu te amo.

ANA CLARA: (olhando José) Até quando você vai ficar me atormentando assim?

JOSÉ: Até você falar que me perdoa e que me aceita de volta.

ANA CLARA: (pensativa) Não sei…

JOSÉ: Você ainda me ama?

ANA CLARA: Isso não interessa.

JOSÉ: Interessa sim e muito, Me diz… Você ainda me ama?

ANA CLARA: (olha José) Amo… Mesmo você não merecendo eu amo, mas não me importo com isso.

JOSÉ: (olhando Ana Clara, se ajoelha) Você me ama, então pode me perdoar…

ANA CLARA: (não acreditando que José está de joelhos).

JOSÉ: O que eu mais quero é ter você de volta, me casar com você e criar nosso filho… Eu estou te pedindo perdão de joelhos para te provar que não tenho mais nada com Paola e que me arrependi de tudo que te fiz.

ANA CLARA: (fica emocionada) Levanta José…

JOSÉ: Não até você me responder.

BRUNO: (se aproxima vê José ajoelhado) O que você está procurando?

ANA CLARA: (da risada).

JOSÉ: Que idiota… Você acabou com o momento… Eu estou pedindo perdão á Ana Clara.

BRUNO: (surpreso, olha Ana Clara) Eu mais do que ninguém sei o traste que meu irmão é… Mas nunca o vi pedir perdão á ninguém e muito menos de joelhos…

ANA CLARA: (sorri, levanta José o olha muito) Eu te perdôo.

JOSÉ: (sorri) E vai voltar para mim?

ANA CLARA: (olhando José) Sim… Vou sim. (sorri).

JOSÉ: (fica feliz, abraça Ana Clara, a olha muito) Obrigado… Você não sabe o medo que tive de nunca mais poder ter você novamente… Eu te amo. (beija Ana Clara).

VICENTE: (entra, vê José e Ana Clara se beijando, fica triste).

Cena 8

Autódromo

CARLO: (está dando voltas na pista de corrida, para o carro, desce).

MANUELLA: (sorri, se aproxima) Você é o piloto mais lindo daqui sabia.

CARLO: (sorri, beija Manuella, a olha) Você que é a mulher mais linda, não só daqui mas de todas que eu conheci.

MANUELLA: Eu vim te buscar para irmos ver o apartamento que te falei.

CARLO: Meu amor eu já tenho um apartamento, nós podemos morar nele. (sorri).

MANUELLA: Podemos claro, mas vamos ver só mais esse, se você não gostar, vamos morar no seu.

CARLO: Está bem. (beija Manuella,a olha sorri) Você vai vir me ver na corrida de hoje á noite, não é?

MANUELLA: Sim, adoro ver você vencer, seja aqui ou nas ruas. (sorri).

CARLO: Então vamos ver o apartamento que você quer. (sai com Manuella).

ISAQUE: (está disfarçado, se aproxima do carro de Carlo, pensativo).

Cena 9

Mansão Fiore/Sala

GIOVANNA: (na cadeira de rodas, entra com Rodrigo).

DOMÉNICA: (se aproxima, sorri) Oi minha querida, seus médicos estão te esperando, vou avisar que você chegou.

GIOVANNA: Mamãe… Antes de você avisar, quero te perguntar uma coisa… Onde eu estava antes do meu sequestro?

DOMÉNICA: Você estava com Emiliano no apartamento dele, eles te pegaram quando vocês estavam vindo para cá.

GIOVANNA: Então o prédio que me lembrei é onde mora Emiliano…

DOMÉNICA: Você se lembrou de mais coisas querida?

GIOVANNA: Não…

DOMÉNICA: A sua psicóloga vai ajudar você vai ver, vou avisar a ela e a fisioterapeuta que você está aqui. (sai).

RODRIGO: (olhando Giovanna) Eu já vou então, mas volto á noite se me permitir.

GIOVANNA: (sorri) Claro que sim e traga Gabriel.

RODRIGO: (sorri) Pode deixar… (olha muito Giovanna, a beija).

EMILIANO: (entra, vê Rodrigo beijando Giovanna, fica triste, se esconde).

RODRIGO: Até logo. (sorri).

GIOVANNA: Até… (sorri).

RODRIGO: (sai).

GIOVANNA: (vai mais para frente com a cadeira).

EMILIANO: (se recupera, se aproxima) Giovanna…

GIOVANNA: (olha Emiliano) Oi… Eu queria mesmo falar com você… Eu me lembrei hoje que estava com você quando me sequestraram, pode me contar como foi?

LÚCIA: (se aproxima) Eu também quero saber como foi para te ajudar melhor. (sorri) Vamos para a seção? Doménica disse que podemos usar o escritório e depois você faz fisioterapia no quarto.

GIOVANNA: Doutora eu vou dispensar você… Não preciso de psicóloga, posso me recuperar sozinha.

PAOLA: (descendo as escadas) Alguém está voltando ao normal… (sorri).

LÚCIA: Eu entendo Giovanna, mas o seu pai me contratou, e vai ser muito mais rápido sua recuperação com o tratamento que vou fazer.

GIOVANNA: Mas eu não quero, e você e nem ninguém pode me obrigar.

EMILIANO: Vamos fazer assim, primeiro Giovanna faz fisioterapia, depois vemos isso.

GIOVANNA: (vai para seu quarto).

PAOLA: (sorri) Não vai ter quem a convença a fazer essa seção com você doutora, se eu fosse você já explicaria tudo ao babbo, com licença. (sai).

EMILIANO: Eu vou esperar Giovanna no jardim. (sai).

LÚCIA: (fica séria) Aleijada prepotente… No que depender de mim você nunca vai se recuperar.

Cena 10

Mais tarde/Apartamento de Alanis/Sala

VITÓRIO: (entra) Alanis, o que de tão importante você tem para me falar que me liga a cada cinco minutos?

ALANIS: (sorri, mostra o cartão de crédito á Vitório) Luigi me deu esse cartão de crédito para que eu comprasse o que desejasse para decorar a minha nova casa…

VITÓRIO: Casa nova?

ALANIS: (se aproxima de Vitório) Casa não, mansão meu querido, eu ganhei uma mansão de Luigi Fiore. (sorri).

VITÓRIO: (dá risada) Esse velho está de quatro por você Alanis! Eu não acredito que ele fez isso. (sorri).

ALANIS: Fez, é uma mansão maravilhosa, era daquela menina chata que casou com Enzo.

VITÓRIO: Você conseguiu ordinária… (sorri) O velho é capaz de lamber o chão para você passar… Essa é a hora Alanis, você vai tirar até as calças de Luigi.

ALANIS: (sorri) Isso eu faço sempre.

VITÓRIO: (da risada, beija Alanis a olha) Safada… Você me entendeu.

ALANIS: Entendi… Pode deixar querido, logo logo vamos ter o que tanto desejamos. (beija Vitório).

VITÓRIO: E esse cartão, é sem limite?

ALANIS: É.

VITÓRIO: Gasta muito Alanis, compra até o que você não precisa, vou fazer a fatura chegar nas mãos da Doménica.

ALANIS: (sorri) Pode deixar, isso sei fazer bem.

Cena 11

Mansão Fiore/Quarto de Giovanna

LUIGI: (entra, olha Giovanna sorri) Oi meu anjo, como você está? (beija o rosto de Giovanna).

GIOVANNA: (sorri) Bem.

LUIGI: Que história é essa de dispensar a psicóloga?

GIOVANNA: (olhando Luigi) Não preciso dela e sim de Rodrigo, é nele que eu confio.

LUIGI: Agora eu entendi… Tudo bem meu amor, vamos fazer assim, a doutora Lúcia vem aqui nos dias que combinamos, você não precisa falar com ela caso não queira, e se quiser ela irá te atender, pode ser?

GIOVANNA: Pode, mas eu sei que não vou querer.

LUIGI: Pelo menos a personalidade é a mesma.

GIOVANNA: Babbo, você sabe a senha do meu notebook? Eu tentei de todos os jeitos ligar ele e não consegui, pode ter coisas importantes que me ajudem a me lembrar.

LUIGI: (sorri, olha Giovanna) Você me chamou de babbo… Estava com saudades de te ouvir me chamando assim.

GIOVANNA: (sorri).

LUIGI: Eu sei sim minha querida, vou anotar para você.

GIOVANNA: Obrigada.

LUIGI: (escreve em um pedaço de papel a senha, entrega para Giovanna) Pronto.

GIOVANNA: (pega o papel).

LUIGI: Como foi a fisioterapia?

GIOVANNA: Ela fez uns exercícios mas… Não vi diferença.

LUIGI: Essas coisas precisam de tempo minha querida, eu vou te deixar a vontade para ver suas coisas. (beija o rosto de Giovanna, sai).

GIOVANNA: (liga o notebook, pensativa, ansiosa).

Cena 12

Sala

ENZO: (olha Luigi) Eu preciso falar com você.

LUIGI: Agora não dá Enzo, eu tenho que falar com José.

ENZO: Ele pode esperar… Você comprou a mansão da Elis para Alanis não foi?

LUIGI: Você quer falar baixo! Não importa para que comprei a mansão, isso é problema meu!

ENZO: Não babbo, o problema é de todos aqui, começando pela mamma.

LUIGI: Enzo entenda! Isso não é assunto seu!

ENZO: É sim! Não é justo o que você está fazendo com a minha mãe!

LUIGI: Não estou fazendo nada de ruim para ela, o dinheiro que dei para Elis é meu, compro o que eu quiser e para quem quiser.

ENZO: Eu vou falar para Elis cancelar o contrato e te devolver cada centavo, você não vai presentear sua amante com essa mansão.

LUIGI: (nervoso) Eu te proíbo de tocar nesse assunto aqui dentro novamente Enzo! (vai subindo as escadas).

ENZO: (fala alto) Eu só vou parar quando você terminar com essa piranha!

LUIGI: (volta, segura Enzo pela camisa, está com raiva) Eu vou arrebentar você se falar assim dela novamente!

DOMÉNICA: (se aproxima) Tira as mãos do meu filho.

LUIGI: (solta Enzo, tenta se acalmar) Não te vi ai Doménica… Esse menino vive me tirando do sério…

DOMÉNICA: (olha Enzo) Você está bem?

ENZO: Estou.

DOMÉNICA: Luigi eu quero falar com você agora. (sobe as escadas).

LUIGI: (vai com Doménica).

Cena 13

Clube/Bar

PAOLA: (está bebendo, olhando uma revista).

GEORGE: (é um homem elegante, se aproxima) Com licença, posso me sentar aqui?

PAOLA: (o olha, o acha bonito, sorri) Pode.

GEORGE: Obrigado. (se senta).

PAOLA: (bebe).

GEORGE: Nós já nos conhecemos?

PAOLA: (sorri, o olha) Essa cantada já está velha.

GEORGE: (sorri) Não é cantada, eu acho que te conheço de algum lugar.

PAOLA: (mostra ao homem uma parte da revista em que está falando sobre o filme que fez) Já viu esse filme?

GEORGE: (olha a revista) Sim, eu vi. (olha Paola, sorri) Você faz parte do elenco, é dai que te conheço… Muito prazer eu sou George Freire.

PAOLA: (o olhando, sorri) George Freire?… O milionário?

GEORGE: (sorri) Sim.

PAOLA: Paola Fiore, muito prazer. (cumprimenta George com um aperto de mão).

GEORGE: Não te conheço só do filme, você é filha de Luigi Fiore e mulher de Carlo Mantovani.

PAOLA: Ex mulher, felizmente nos divorciamos, e sim sou filha de Luigi Fiore. (sorri).

GEORGE: Paola eu estava indo jogar tênis, você gostaria de me acompanhar?

PAOLA: Por que não?… (sorri) Vou sim.

GEORGE: (sorri, olhando Paola).

Cena 14

Apartamento de Sérgio

SÉRGIO: (está vendo TV, chega uma mensagem no celular, pega o aparelho, lê “Minha sede de vingança ainda não acabou, hoje morre mais um”. Se levanta nervoso) Eu ainda pego você! Droga! (pega sua carteira, sai).

Cena 15

Mansão Fiore/Quarto de Giovanna

GIOVANNA: (está olhando fotos que estão no notebook dela com sua família, sorri, encontra uma pasta que abre com senha) Qual será a senha… (pensativa)… 3245… (coloca a senha na pasta que abre, sorri) Lembrei! (começa a ver as fotos, olha muito, as fotos são dela e Jonas em momentos íntimos, vê uma foto de Jonas, Susana, Elis e Vítor juntos, olha muito as lágrimas escorrem) Susana… Odeio essa mulher… (fecha essa pasta, procura mais coisas no notebook, encontra outra pasta com senha, abre, encontra muitos textos, abre um e lê “Hoje consegui com que Jonas me vendesse a sede de sua empresa, logo esse idiota me dará tudo o que tem”. Abre outro texto “Relembrar que nunca mais poderei ter filho graças á um aborto mal sucedido me deixa destruída”. Começa a chorar, desesperada, joga o notebook no chão).

EMILIANO: (entra, a olha preocupado) Giovanna o que foi?

GIOVANNA: (olha muito Emiliano, o abraça,chorando) Emiliano… Me ajuda…

EMILIANO: (a abraça) Fica calma… Estou aqui.

GIOVANNA: (olhando Emiliano nos olhos, as lagrimas escorrem, olha que está sentada na cadeira de rodas, fica desesperada) O que fizeram comigo? Aqueles desgraçados!

EMILIANO: (olhando Giovanna) Você… Se lembrou?…

GIOVANNA: (chorando, coloca a mão na cabeça, faz que sim).

EMILIANO: (fica feliz, olha muito Giovanna) Mas que coisa boa meu amor.

GIOVANNA: Não é nada bom! Olha pra mim! Estou sem andar! (está muito nervosa).

EMILIANO: (a abraça, tentando acalmar).

GIOVANNA: (abraçada, chora).

Cena 16

Suíte de Luigi e Doménica

LUIGI: Doménica eu…

DOMÉNICA: (interrompendo Luigi) Agora que vai falar sou eu… Não vou admitir que você agrida nosso filho quando ele falar mal da sua amante… Eu te avisei Luigi…

Cena 17

Corredor

VITÓRIO: (Ouve Doménica falando, se aproxima da porta da suíte, fica ouvindo).

Cena 18

Suíte de Luigi e Doménica

DOMÉNICA: (olhando Luigi) Já chega de você enganar as pessoas e sempre se sair bem… Durante anos eu engoli seus casos… Mas agora esse seu caso com Alanis está afetando os meus filhos! E não suporto que eles sofram.

LUIGI: Alanis agora é só uma amiga…

DOMÉNICA: (sorri, as lagrimas escorrem) Você fica tão ridículo mentindo assim…

LUIGI: Doménica, para com isso… Não precisamos ter esse tipo de conversa.

DOMÉNICA: Você comprou uma mansão para sua amante, não estava aqui quando Giovanna precisou de você, aliás você brigou com ela por causa da sua piranhazinha e isso nunca havia acontecido… Vi Paola brava com você e por pouco não bateu em Enzo, a única que não sabe de nada é Mirella…

LUIGI: Eu vou me afastar de Alanis.

DOMÉNICA: Para de mentir!… Olha bem pra mim Luigi, porque agora chegou a hora de você sofrer um pouco.

LUIGI: (olhando Doménica).

DOMÉNICA: (olhando Luigi, com vontade de chorar) O que vou te contar agora guardei todos esses anos e achei que nunca revelaria algo assim… Você se lembra quando estávamos na casa do seu irmão para celebrarmos o ano novo e você sumiu a noite toda…

LUIGI: (abaixa a cabeça).

DOMÉNICA: Fui te procurar e te vi aos beijos com outra mulher… Fiquei arrasada… E seu irmão soube me consolar.

LUIGI: (olha Doménica) O que você quer dizer com isso?

DOMÉNICA: Eu senti tanta raiva e nojo de você que aceitei os carinhos do seu irmão… Eu fiz amor com ele.

LUIGI: (fica com raiva) E você me fala isso assim!

DOMÉNICA: Cala a boca porque ainda não terminei!… (olhando Luigi) Não fiz amor com ele apenas uma vez, foram algumas vezes… E disso nasceu Mirella…

Cena 19

Corredor

VITÓRIO: (fica surpreso).

Cena 20

Suíte de Luigi e Doménica

LUIGI: (fica com vontade de chorar, olhando Doménica) Isso é mentira Doménica… Você quer me ferir e está inventando toda essa história.

DOMÉNICA: (as lagrimas escorrem, encara Luigi) Eu estou te ferindo com a verdade, você não é pai de Mirella e sim tio… Espero que você não conte nada a ela, afinal de contas ela não tem culpa de nada.

LUIGI: (chora em silencio, se senta).

Cena 21

Corredor

VITÓRIO: (entra em seu quarto).

Cena 22

Suíte de Luigi e Doménica

DOMÉNICA: (com raiva, olhando Luigi) Sofre Luigi… Você merece. (sai).

LUIGI: (chora).

Cena 23

Quarto de Vitório

VITÓRIO: (pensativo, sorri) Mirella é minha irmã… Por isso que gosto dela… (pensativo, dá risada) Bem feito Luigi, pena que não pude aplaudir Doménica… (sorri).

Cena 24

Quarto de Giovanna

GIOVANNA: (abraçada com Emiliano, o olha) Pedro está preso?

EMILIANO: Está sim e o Anderson também.

GIOVANNA: Anderson tem que sair…

EMILIANO: O que?

GIOVANNA: (nervosa) Depois te falo… (pensativa) Eu sofri tanto… (chora) Agora estou assim… Presa a essa maldita cadeira! Tudo culpa do Vítor! Que ele queime no inferno! (chora, grita de raiva).

EMILIANO: Eu vou pegar um remédio para você Gi.

GIOVANNA: Eu não quero! Estou muito bem assim… As coisas estão vindo na minha cabeça… Eu posso me lembrar de muitas coisas… (olha Emiliano) Onde babbo estava quando ligaram aqui e ele não atendeu?

EMILIANO: No Rio de Janeiro…

GIOVANNA: (as lagrimas escorrem) Fazendo o que lá? Com quem?

EMILIANO: É melhor ele mesmo te contar.

GIOVANNA: Eu quero saber agora!… Ele estava com aquela vadia não é?…

EMILIANO: (faz que sim com a cabeça).

GIOVANNA: (chora) Que ódio… (olha Emiliano, está com raiva) Eu nunca vou perdoa – lo…

RODRIGO: (entra) Com licença… (olha Emiliano, olha Giovanna, se aproxima, a olha) O que foi?

GIOVANNA: (olhando Rodrigo, o abraça).

EMILIANO: (fica com ciúmes e chateado).

GIOVANNA: (abraçada com Rodrigo) Eu me lembrei de tudo… De tudo. (fecha os olhos).

Fim do Capítulo  


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s