Reviva: No Dia das Crianças, relembre atores mirins que fizeram sucesso em novelas

Atualmente acompanhamos o talento precoce de Patrick de Oliveira e Fernanda Nobre em “Despedida de Solteiro” – o Léo e a Bibi. Patrick também é visto em “Fera Ferida“, como Romãozinho, filho do Coveiro Orestes (Cláudio Marzo). O ator cresceu na televisão. Entre outros trabalhos, estão a novela “A Próxima Vítima”, em 1995, e a minissérie “A Muralha”, em 2000, já adolescente. Fernanda Nobre também cresceu diante dos olhos dos telespectadores. Ainda menina, participou de “Quatro por Quatro” e “História de Amor”. Adolescente, foi vista na “Malhação”, como Bia, nas temporadas de 1999 a 2003. Adulta, atuou em várias produções da Record, bem como em algumas séries do GNT.

Cambalacho” também tem uma galerinha em que algumas crianças tiveram destaque na TV. Os filhos de Naná (Fernanda Montengro) – crianças de rua que ela pegou para criar – são: Bepa (Gabriela Bicalho), Chiquito (Fernando Vanucci Jr.), Maneco (João Rebello), Mena (Cristiane Lopes), Miltinho (Kiko Olivetti) e Betinho (Daniel Marques). Destes, Gabriela Bicalho já era figurinha fácil na Globo. Irmã da também atriz-mirim Izabela Bicalho (que seguiu a carreira), Gabriela participou de “Final Feliz”, “Champagne” e “Roque Santeiro” (como a fiha de Lulu e Zé das Medalhas). João Rebello é sobrinho de Jorge Fernando, diretor geral de “Cambalacho”. Ainda moleque, atuou em outras novelas, como “Bebê a Bordo”, “O Sexo dos Anjos” e “Vamp” (era um dos filhos de Carmem Maura), entre 1988 e 1992.

Neste Dia das Crianças, vamos relembrar alguns atores-mirins que fizeram sucesso na televisão, independentemente de terem seguido carreira ou não. Falando neles, é impossível não citar a estrela Glória Pires, que começou cedinho. Com 8 anos, apareceu na abertura de “A Pequena Órfã” (a da reprise na Globo, em 1971). No ano seguinte, atuou no Caso Especial “Sombra Suspeita” e na novela “Selva de Pedra”. Nessa época, Glorinha assinava Glória Maria – como aparecia seu nome nos créditos de seus trabalhos em TV. Foi vista ainda em “O Semideus” (1974) e, pré-adolescente, em “Duas Vidas” (1977). Com o papel de Marisa em “Dancin´Days”, sua carreira deslanchou.

Por causa do sucesso da novela “A Pequena Órfã” (produzida pela TV Excelsior em 1968), entre o final dos anos 60 e o início dos 70, apareceram várias novelas que exploraram o filão “criança abandonada e/ou carente”. Assim, foram ao ar produções como “Ricardinho, sou criança, quero viver” (Bandeirantes, 1968) com Dimitri Orico, “Sozinho no Mundo” (Tupi, 1968) com Guto Franco, “O Meu Pé de Laranja Lima” (Tupi,1970/1971) com Haroldo Botta, “Tilim” (Record, 1970/1971) com Júlio César Cruz, e “Pingo de Gente” (Record, 1971) comElisa D´Agostino. A estrela de “A Pequena Órfã”, Patricia Aires, filha do ator Percy Aires, atuou ainda na versão original de “Meu Pedacinho de Chão”, de 1971, como a menina Pituca.

O garoto Ayres Pinto foi o mais requisitado em novelas da Excelsior nos anos 60: “A Deusa Vencida”, “A Grande Viagem”, “Os Fantoches” e “O Terceiro Pecado”, entre 1965 e 1968. Ainda: “A Última Testemunha” (Record, 1968/1969), “João Juca Jr.” (Tupi, 1969/1970) e “Meu Pedacinho de Chão”, como Serelepe. Haroldo Botta cresceu atuando em novelas na Tupi. Além de “O Meu Pé  de Laranja Lima”, participou, entre outras, de “Nossa Filha Gabriela”, “Camomila e Bem-me-quer”, “Mulheres de Areia”, “A Barba Azul” e “A Viagem”, entre 1970 e 1976. Douglas Mazzola foi outro menino atuante em novelas da Tupi: “O Meu Pé de Laranja Lima”, “Nossa Filha Gabriela”, “A Barba Azul”, “O Velho, o Menino e o Burro” e “Éramos Seis, entre 1970 e 1977.

As irmãs Rosana e Isabela Garcia também cresceram nas novelas. Rosana Garcia ganhou notoriedade ao viver a Narizinho do “Sítio do Picapau Amarelo”, entre 1977 e 1980. A atriz estreou na TV com 7 anos, na novela “O Primeiro Amor”. Atuou ainda em “A Patota” e “Fogo Sobre Terra” (entre 1972 e 1974). Isabela Garcia também começou cedo: fez o Caso Especial “Medéia”, com 7 anos. Aos 8, atuou em sua primeira novela, “Vejo a Lua no Céu” (1976). Criança, entre 1977 e 1980, trabalhou em “Nina”, “Pai Herói” e “Água Viva” – como a órfã Maria Helena.

Narjara Turetta tinha 9 anos quando viveu a protagonista da novela “Papai Coração”, da Tupi, em 1976. Atuou também em “Salário Mínimo”, na mesma emissora, e, em 1979-1980, viveu a filha pré-adolescente de Regina Duarte no seriado “Malu Mulher”, na Globo. O garoto Carlos Poyart fez sucesso ao atuar na novela “Duas Vidas”, em 1976/1977, como Téo, filho de Betty Faria. Fez ainda “O Astro” (1977/1978) e o humorístico “Planeta dos Homens”, onde popularizou o bordão “criança sofre!”.

O menino Alexandre Raymundo marcou as novelas da Band do início dos anos 80: “O Meu Pé de Laranja Lima”, “Ninho da Serpente”, “Campeão” e “Maçã do Amor”, entre 1980 e 1984. Monique Curi (lembra da Lidia de “Felicidade” e da Mariana de “História de Amor”?) cresceu fazendo novelas na Globo. Garotinha, participou de “Os Gigantes”, “Marina”, “Baila Comigo” e “Sol de Verão”, entre 1979 e 1983. Jonas Torres foi outro que fez sucesso quando criança. Aos 10 anos participou da novela “Vereda Tropical” (1984/1985) e, a partir do ano seguinte, foi o garoto Bacana da série “Armação Ilimitada” (1985/1988). Recentemente foi visto na novela “Império”.

Do Clube do Curumim de “A Gata Comeu” (1985), Danton Mello, Juliana Martins e Oberdan Júnior seguiram carreira. Oberdan fez sucesso ao participar do Caso Verdade “O menino do olho azul”, em 1982. No mesmo ano entrava para o elenco da novela “Sol de Verão”, para depois trabalhar em “Amor com Amor se Paga” e “A Gata Comeu” (1984 e 1985). Adulto, teve um papel de destaque em “Renascer”, em 1993. Juliana Martins tinha 11 anos quando atuou em “A Gata Comeu”. Nunca abandonou a carreira: recentemente foi vista em “Cheias de Charme” (2012) e “Geração Brasil” (2014).

Danton Mello tinha 10 anos quando participou de “A Gata Comeu”. Criança, fez ainda “Vale Tudo” (1988), como filho de Ivan e Leila, e “Tieta” (1989/1990), como o filho caçula de Perpétua. Também nunca deixou a carreira, está no ar em “I Love Paraisópolis”. Seu irmão Selton Mello também foi ator-mirim: estreou com 9 anos no seriado “Dona Santa” (Bandeirantes, 1982). Ainda criança, atuou nas novelas “Braço de Ferro” (Bandeirantes, 1983), “Corpo a Corpo” e “Sinhá Moça” (Globo, 1984 a 1986). Hoje, Selton é uma figura respeitada em nosso cenário artístico, por sua atuação no cinema e na televisão.

Caio Junqueira, filho do falecido ator Fábio Junqueira, é meio irmão de Jonas Torres. Caio também começou pequenininho: participou do seriado “Tamanho Família”, na Manchete (1985/1986), e depois na “Armação Ilimitada”, na Globo, em 1988. Ainda criança, foi visto na minissérie “Desejo” e na novela “Barriga de Aluguel”, em 1990. Já a atriz Paloma Duarte estreou na TV com 11 anos, ao atuar na “Armação Ilimitada”, em 1988. Sua mãe, Débora Duarte, tinha 8 anos quando estreou na televisão, na novela “Os Miseráveis”, da Tupi, em 1958.

Jonathan Nogueira também cresceu na TV: entre 1986 e 1991, participou das novelas “Hipertensão”, “Vida Nova”, “Tieta” e “O Dono do Mundo”, em que viveu o filho do personagem de Kadu Moliterno. Natália Lage – hoje atriz tendo atuado recentemente na série “Tapas e Beijos” – começou com 10 anos, no seriado “Tarcísio e Glória”, em 1988. No ano seguinte, estrelou a novela “O Salvador da Pátria”. Pré-adolescente, Natália foi vista em “Perigosas Peruas”, em 1992. Cinco crianças se revezaram no papel de Heleninha em “Bebê a Bordo” (1988/1989), em diferentes fases de crescimento da bebê. Mas foi a menina Beatriz Bertu (da última fase) que encantou a todos. Beatriz ainda esteve em “Perigosas Peruas”, em 1992.

Igor Lage, com poucos anos, esteve em “Selva de Pedra”, em 1986. Em seguida, em “Hipertensão”, para depois participar de “Top Model” (1989/1990), como Ringo Starr, um dos filhos de Gaspar, e “Vamp” (1991/1992), como Pingo, o menino do circo de Simão. A novela “Top Model” lançou outros pré-adolescentes que seguiriam carreira na TV: Carol Machado, Rodrigo Penna e Henrique Faria – os três atuaram ainda em “Vamp”, em 1991-1992.

Deborah Secco tinha 10 anos quando fez sua primeira novela: “Mico Preto”, em 1990.Fernanda Rodrigues estreou com 12, em “Vamp”, para depois atuar em “Deus Nos Acuda” e “A Viagem” (entre 1992 e 1994). Tatianne Goulart fez sucesso como a filha de Maitê Proença na novela “Felicidade”, entre 1991 e 1992. Criança, continuou fazendo TV: “O Mapa da Mina” e “Quatro por Quatro”, entre 1993 e 1995. Com 7 anos, Eduardo Caldas participou de “Felicidade”, como o menino Alvinho. Foi visto ainda em “De Corpo e Alma”, “Pátria Minha” e “Vira-lata” (entre 1992 e 1996), entre outras.

Com 7 anos, Carolina Pavanelli estrelou “Sonho Meu” (1993/1994), como a menina Laleska. Da mesma novela, participou Luiza Curvo, então com 7 anos. Luiza, ainda menina, atuou na minissérie “Engraçadinha” e na novela “Cara e Coroa”, entre 1995 e 1996. Ingrid Fridmannpequena esteve em “História de Amor” e “Xica da Silva” (na Manchete), entre 1995 e 1997.Cecília Dassi encantou o Brasil quando participou de “Por Amor”, em 1997-1998. No ano seguinte esteve em “Suave Veneno”. A novela “Chiquititas”, do SBT, de 1997 a 2001, lançou vários atores-mirins que seguiriam carreira na TV: Fernanda Souza, Débora Falabella, Carla Diaz, Gisele Frade, Bruno Gagliasso, os irmãos Stephany e Kayky Brito, e outros.

A menina Isabelle Drumond, com 7 anos, esteve na minissérie “Os Maias”, em 2001 e, em seguida, foi escolhida para ser a primeira criança a interpretar a boneca Emília na nova versão do “Sítio do Picapau Amarelo”. O garoto Pedro Malta ganhou papéis de destaque nas novelas “Coração de Estudante”, “Kubanacan” e “Prova de Amor” (Record), entre 2002 e 2006. Sérgio Malheiros, com 10 anos, destacou-se em “Da Cor do Pecado” (2004), como Raí, filho de Preta. Bruna Marquezine encantou a todos com sua interpretação nas novelas “Mulheres Apaixonadas” e “América” (entre 2003 e 2005) – atualmente é a protagonista de “I Love Paraisópolis”. A menina Carolina Oliveira, com 9 anos, foi a revelação na TV em 2005 ao protagonizar a minissérie “Hoje é Dia de Maria”. Atualmente, também está em “I Love Paraisópolis”.

Vamos encerrar na década de 2000 citando Marina Ruy Barbosa, que fez sua primeira participação em novela em 2002, com 7 anos, em “Sabor da Paixão”. Dois anos depois estava no elenco de “Começar de Novo”, “Belíssima” e “Sete Pecados” (entre 2004 e 2008).

Fotos: CEDOC/TV Globo

Fonte do texto: “Almanaque da Telenovela Brasileira” (Nilson Xavier, Panda Books)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s