Descaminhos – capítulo 35 (última semana)

Descaminhos


Descaminhos 

Novela de Débora Costa


Capítulo 35


Personagens

Luigi Fiore

Giovanna Fiore

Enrico Salvatore

Paola Fiore

Carlo Mantovani

Mirella Fiore

Vitor Albuquerque

Elis Albuquerque

Jonas Albuquerque

Isaque Munhoz

Susana Albuquerque

José Almeida

Ana Clara Carvalho

Bruno Almeida

Nice Almeida

Silvio Almeida

Helena

Vitório Fiore

Doménica Fiore

PARTICIPAÇÕES:

Sérgio Medeiros – Investigador

Augusto Lopez – Delegado

Rafael Almeida – Policia Militar   



Cena 1

Mansão Fiore/Quarto de Giovanna

EMILIANO: (olhando Giovanna abraçar Rodrigo) Gi… Se você se lembrou de tudo, sabe que eu sou seu namorado…

GIOVANNA: (olhando Emiliano, olha Rodrigo) É eu sei…

RODRIGO: Eu vim ver como ela estava só isso.

EMILIANO: Você acha que me engana Rodrigo? Eu sei que você é apaixonado por Giovanna e se aproveitou esse tempo todo da falta de memória dela, mas agora isso acabou.

RODRIGO: Não é nada disso.

GIOVANNA: (brava) Vocês dois querem discutir lá fora, por favor! A minha cabeça está a mil e não estou a fim de ficar aqui vendo essa novela ridícula de vocês!

EMILIANO: Mas Giovanna…

GIOVANNA: Mas nada! Saiam daqui!

DOMÉNICA: (entra, olha Giovanna) Está tudo bem filha? Ouvi sua voz lá de fora.

GIOVANNA: (sorri emocionada, olhando Doménica) Eu lembro de tudo mamma.

DOMÉNICA: (fica feliz, abraça Giovanna) Eu sabia que logo você se recuperaria meu amor. (a olha sorri).

GIOVANNA: (olha Emiliano e Rodrigo) Por que vocês ainda estão aqui?

RODRIGO: Tudo bem eu já vou… Até logo. (beija o rosto de Giovanna, sai).

EMILIANO: (com ciúmes olha Giovanna) Espero que você meu amor, se livre logo desse cara! (se aproxima a olha muito) Eu te amo. (a beija, sai).

DOMÉNICA: (olha Giovanna) Minha filha você está sendo disputada por esses dois. (sorri)

GIOVANNA: (olha Doménica, está triste) Mamma… Eu não posso andar… (as lagrimas escorrem) Você não faz idéia de como estou me sentindo…

DOMÉNICA: (acaricia o rosto de Giovanna) Não chora meu amor, eu imagino como você está se sentindo, mas é temporário, assim como você recuperou a memória vai recuperar os movimentos.

GIOVANNA: (abraça Doménica) Eu quero voltar a andar. (chora).

DOMÉNICA: (consola Giovanna).

Cena 2

Apartamento de Alanis/Sala

LUCAS: (entrando, sorri) Desculpa vir assim sem avisar.

ALANIS: Você veio em ótima hora Lucas, preciso te contar uma novidade. (sorri).

LUCAS: É mesmo? O que aconteceu?

ALANIS: O Luigi comprou a mansão do seu irmão para mim, a filha dele colocou a venda depois que se casou com o filho chato do Luigi.

LUCAS: (olhando Alanis, sorri um pouco) Nossa… Até mansão ele está te dando…

ALANIS: Mansão e um cartão de crédito sem limite para que eu possa comprar o que desejar para a casa nova e para mim. (sorri olhando Lucas).

LUCAS: Você é a primeira pessoa que planeja dar um golpe e ganha tudo de mãos beijadas, sem nem precisar fazer um esforço.

ALANIS: E quem disse que não me esforço? Ou você acha que eu adoro ir para a cama com esse velho?… Até parece, me sacrifico muito na cama com ele.

LUCAS: (dá risada, olha Alanis) É tão ruim assim?

ALANIS: Demais, eu não suporto Luigi, não vejo a hora de me livrar dele e sumir desse país com Vitório.

LUCAS: (olhando Alanis) Você pode sair com tudo que deseja daqui sem ter que dividir nada com esse tal Vitório.

ALANIS: Isso é uma proposta? (sorri).

LUCAS: (se aproximando de Alanis, a olha) Pode ser… (sorri, beija Alanis).

ALANIS: (beijando Lucas, o olha) Mas que atrevimento é esse? (sorri).

LUCAS: (sorrindo olhando Alanis) Sou um homem rico, solteiro por opção e tenho uma queda por mulheres como você… Que são capazes de vender a própria mãe para conseguir o que desejam.

ALANIS: (dá risada, olha Lucas) E você conhece muitas mulheres como eu?

LUCAS: Não, essa é a graça, oportunistas, fáceis, tem aos montes, mas que enganam, manipulam, agem com frieza nos detalhes, são raras, e quando encontro uma assim, não desisto tão fácil ter para mim.

ALANIS: (olhando Lucas nos olhos) E você me quer?

LUCAS: Não paro de pensar em você. (sorri).

ALANIS: (sorri, beija Lucas, o olha) O que você tem para me oferecer?

LUCAS: Tudo o que você desejar, dinheiro e tempo nunca foram problemas para mim.

ALANIS: (sorri, gostando do jeito de Lucas) Podemos nos dar bem Lucas.

LUCAS: Eu sei… (sorri, beija Alanis).

Cena 3

Vila/Casa de Ana Clara/Sala

VICENTE: (está triste) Eu sabia que cedo ou tarde você e José voltariam…

ANA CLARA: Me perdoa Vicente, você tem sido tão bom comigo, e eu…

VICENTE: Ama José, eu sei, e você não tem que me pedir perdão, você está esperando um filho dele, e eu sabia que você nunca tinha deixado de ama – lo.

ANA CLARA: (está chateada pela situação) Eu sinto muito…

VICENTE: (sorri) Não fica assim… Eu adorei os dias que passamos juntos, e a nossa sociedade permanece, e acima de tudo nossa amizade.

ANA CLARA: (abraça Vicente) Obrigada por tudo, e que bom que você ainda quer ser o meu amigo.

VICENTE: (abraçado, sorri) Mais que isso, quero ser padrinho do seu filho.

ANA CLARA: (sorri) Será.

Cena 4

Mansão Fiore/Sala

MIRELLA: (entra).

LUIGI: (desce as escadas, a olha muito).

MIRELLA: (olha Luigi, sorri) Oi babbo, como estão as coisas por aqui?

LUIGI: (olhando Mirella) Bem…

MIRELLA: Mesmo?… Você não parece estar bem, o que foi?

LUIGI: Nada Mirella, estou cansado por tudo que passei esses dias.

MIRELLA: (se aproxima de Luigi, o abraça) Então vai descansar babbo.

LUIGI: (abraça Mirella, fecha os olhos).

DOMÉNICA: (se aproxima, olha Luigi abraçando Mirella) Mirella…

MIRELLA: (sorri) Oi mamma.

DOMÉNICA: Eu preciso falar com você, mas antes quero levar um remédio para Giovanna… Ela se lembrou de tudo e está nervosa demais coitada.

LUIGI: (sorri) Giovanna recuperou a memória?

DOMÉNICA: Sim…

LUIGI: Eu vou falar com ela. (olha Doménica) Se o que você tiver para falar com Mirella for sobre aquela nossa conversa, ela não precisa ficar sabendo…

DOMÉNICA: Precisa sim. (vai para a cozinha).

MIRELLA: Aconteceu alguma coisa sim e você não quer me falar babbo…

LUIGI: (olhando Mirella) Não foi nada demais… Eu vou falar com sua mamma e já vou ver a Giovanna. (vai para a cozinha).

MIRELLA: (desconfiada, pensativa).

Cena 5

Cozinha

LUIGI: (se aproxima de Doménica) Eu não quero que ela fique sabendo, Mirella é minha filha! E ninguém dirá ao contrário.

DOMÉNICA: Eu vou, é justo que ela saiba por mim.

MIRELLA: (entra) O que você quer que eu saiba mamma?

LUIGI: (olha para Doménica, está sério).

DOMÉNICA: (olha Luigi) Vá ver Giovanna, eu vou falar com Mirella.

LUIGI: Não conta nada para ela!

DOMÉNICA: (olha Mirella) Vamos até o escritório meu amor. (sai com Mirella).

LUIGI: Isso não pode estar acontecendo…

VITÓRIO: (se aproxima) Mas está Luigi… (sorri olhando Luigi) Você acabou com a vida do meu pai, fez Doménica sofrer, e agora paga sabendo que Mirella não é sua filha e sim sobrinha.

LUIGI: (olha Vitório com raiva, pega uma faca, coloca no pescoço dele) Sai dessa casa agora!

VITÓRIO: (está com medo não demonstra, sorri) Vai me matar velho?

LUIGI: (aperta a faca no pescoço de Vitório) Acredite com o ódio que estou sou capaz de te matar sim.

VITÓRIO: (olhando nos olhos de Luigi) Então me mata… (da risada) Corno.

LUIGI: (aperta mais a faca no pescoço de Vitório).

ENZO: (entra na cozinha, puxa Vitório, olha Luigi) Você está louco!

VITÓRIO: (coloca a mão no pescoço, está sangrando, olha Luigi, dá risada) Não foi dessa vez… (sai).

LUIGI: (joga a faca longe, fecha os olhos, está nervoso).

ENZO: (olhando Luigi) Babbo… O que está acontecendo com você?

LUIGI: (olha Enzo) Me deixa em paz! (sai).

Cena 6

Quarto de Vitório

VITÓRIO: (entra, vai até o banheiro, pega a caixa de primeiros socorros, se olha no espelho, vê o corte, estanca o sangue) Velho desgraçado… Que vontade de falar sobre Alanis!… Droga está ardendo essa porcaria…

Cena 7

Delegacia

SÉRGIO: (entra, se aproxima do delegado) Eu recebi uma mensagem da pessoa que matou Mário e Helena, vai morrer alguém hoje.

AUGUSTO: Infelizmente não podemos fazer nada Sérgio, como vamos saber quem é a pessoa que ele ou ela vai matar?

SÉRGIO: Acredito que seja alguém da família Fiore, Mário trabalhava para eles, Giovanna conhecia Helena, e recentemente a própria Giovanna foi sequestrada.

AUGUSTO: Então o que podemos fazer é ficar de olho na casa deles, e se alguém sair colocar um policial seguindo, mas é um tiro no escuro.

SÉRGIO: Isso já está ótimo, eu mesmo fico vigiando a casa deles.

Cena 8

Mansão Fiore/Quarto de Giovanna

LUIGI: (entra, olha Giovanna sorri um pouco) É verdade que você já se lembra de tudo?

GIOVANNA: (olhando Luigi) Você estava com Alanis quando ligaram para você não é?

LUIGI: (abaixa a cabeça) Minha filha…

GIOVANNA: Responde.

LUIGI: (olha Giovanna) Estava… Mas se eu soubesse o que estava acontecendo aqui eu…

GIOVANNA: (interrompe Luigi) Se você tivesse largado ela como te falei talvez você estaria aqui e eu não tivesse sido torturada por dois loucos! (as lagrimas escorrem) Olha pra mim babbo! Olha o que eles fizeram comigo!

LUIGI: (chora disfarça).

GIOVANNA: Eu não vou te culpar porque você não teve nada com esse sequestro… Mas não vou te perdoar por estar com Alanis.

LUIGI: Eu a amo! Por que ninguém aqui entende isso.

GIOVANNA: O problema é que ela não te ama, eu já disse babbo, Alanis estava aos beijos com Vitório bem debaixo do seu teto! E você não acreditou em mim… Me bateu…

LUIGI: (olha Giovanna, está com o rosto molhado, chorando) Giovanna… Me perdoa.

GIOVANNA: (olha muito Luigi).

LUIGI: Eu estou precisando muito de você… (abraça Giovanna, chora).

GIOVANNA: (fica com pena de Luigi, o abraça) O que aconteceu?…

LUIGI: (olha Giovanna nos olhos) Eu sei que estou errado, que não deveria trair sua mamma… Mas eu estou apaixonado por Alanis.

GIOVANNA: (olhando Luigi) Como Jonas estava apaixonado por mim babbo… E eu não estava nem ai para ele, você já parou para pensar que Alanis está fazendo o mesmo com você?

LUIGI: (olhando Giovanna) Acredito que não, mas se estiver, não vou fazer igual Jonas que se matou, eu mato Alanis.

GIOVANNA: (olha Luigi) Então prepara um álibi…

LUIGI: (olhando Giovanna) E tem outra coisa… Que eu soube agora pouco, e que está acabando comigo.

GIOVANNA: O que?

LUIGI: Mirella… Não é minha filha.

GIOVANNA: (olha muito Luigi) Como você fala uma coisa assim!

LUIGI: Quem me contou foi Doménica.

GIOVANNA: (olhando Luigi sem ação).

Cena 9

Quarto de Mirella

MIRELLA: (as lagrimas escorrem) Por que você escondeu isso de mim mamma?

DOMÉNICA: (segura a mão de Mirella) Não fica assim meu amor… Eu escondi de todo mundo.

MIRELLA: Por isso que babbo estava estranho comigo… (abaixa a cabeça) Você não deveria ter contado isso agora… Babbo nunca mais vai me olhar da mesma maneira.

DOMÉNICA: (abraça Mirella) Claro que vai, ele não deixa de ser o seu pai por isso.

MIRELLA: (olhando Doménica) Por que você resolveu contar isso agora?

DOMÉNICA: Para que Luigi sofresse… (olha Mirella) Seu pai tem uma amante, e não quer se separar dela.

MIRELLA: Você não pensou em mim, só pensou em se vingar, agora eu vou perder o meu pai, não sei como meus irmãos vão agir.

DOMÉNICA: Não fica brava comigo querida.

MIRELLA: (se levanta) Eu preciso sair. (sai).

Cena 10

Corredor

DOMÉNICA: (vai atrás de Mirella) Minha filha não sai assim, por favor.

MIRELLA: Me deixa mamma. (desce as escadas).

DOMÉNICA: (chora) Minha filha… O que eu fiz?

Cena 11

Rua

MIRELLA: (esta correndo, chorando, para em uma praça, se senta, chora).

VITÓRIO: (se aproxima) Mirella…

MIRELLA: (olha Vitório, enxuga as lagrimas) Vai embora… Não preciso que você venha rir de mim.

VITÓRIO: (se senta ao lado de Mirella) Eu não vim rir de você. (a olha muito) Eu vim falar pela primeira vez com a minha irmã.

MIRELLA: (olhando muito Vitório) Você não precisa fingir que gostou de saber que… É meu irmão.

VITÓRIO: (sorri) Eu entendo essa duvida sobre mim, afina não gosto da metade da família, mas sempre gostei de você e você sabe disso.

MIRELLA: (abaixa a cabeça) Meu pai nunca mais vai querer olhar para mim… Eu o amo tanto. (fica triste).

VITÓRIO: (levanta o rosto de Mirella pelo queixo, a olha nos olhos) Eu duvido muito que aquele velho idiota vai virar as costas para você.

MIRELLA: (as lagrimas escorrem, olha Vitório) Eu preciso ver Bruno…

VITÓRIO: (olhando Mirella) Eu te levo até a casa dele.

MIRELLA: Não, eu quero ir andando.

VITÓRIO: Tudo bem.

MIRELLA: (se levanta).

VITÓRIO: (se levanta) Mirella… Acredita em mim, eu realmente estou feliz por você ser minha irmã. (sorri).

MIRELLA: (sorri um pouco).

VITÓRIO: (se aproxima de Mirella, a abraça).

MIRELLA: (abraça Vitório, chora) Eu tenho que ir… (vai andando).

VITÓRIO: (olhando Mirella ir, sorri) Agora sei porque sempre gostei dela.

Cena 12

Apartamento de Alanis/Quarto

ALANIS: (deitada, está beijando Lucas).

LUCAS: (a olha sorri) Então… Você vai querer ir embora comigo?

ALANIS: (sorri) Ainda não sei… Tenho que pensar, afinal ainda não tirei tudo o que queria de Luigi e acabei de ganhar uma mansão linda.

LUCAS: Eu posso te comprar uma mansão no país que você quiser.

ALANIS: (veste o roupão, se senta na cama, sorri) Isso é tentador. (se levanta, fica tonta, cai sentada na cama).

LUCAS: Você está bem?

ALANIS: Não… Me deu uma tontura… (coloca a mão no estômago) Eu preciso ir ao banheiro. (corre para o banheiro).

LUCAS: (ouve Alanis vomitando, pensativo) Acho que logo Alanis vai ter mais uma fonte para arrancar dinheiro de Luigi. (sorri).

Cena 13

Noite/Autódromo

ENZO: (se aproxima de Manuella com Elis, sorri) Oi Manuella.

MANUELLA: (sorri) Oi! Como vocês estão?

ELIS: Bem. (sorri) Acabei de vir com Enzo da nossa casa noturna, está ficando cada dia mais linda.

MANUELLA: Tenho certeza que vai ser sucesso.

ENZO: E o Carlo?

MANUELLA: Já está na pista, daqui a pouco a corrida vai começar.

ENZO: Depois eu falo com ele então, é melhor pegar nossos lugares.

ELIS: É a primeira vez que venho ver uma corrida.

ENZO: Aqui é legal, mas quando Carlo nas ruas é melhor ainda.

MANUELLA: Concordo, é bem mais emocionante. (da risada, vai se sentar com Elis e Enzo).

ISAQUE: (está sentado no último lugar da arquibancada, perto da saída, está de boné, óculos escuros).

CARLO: (está dentro de seu carro, se preparando para correr, coloca o capacete, se posiciona na pista, a corrida vai começar, é dada a largada, está se mantendo em uma posição boa).

MANUELLA: (torcendo, feliz) Vai meu amor!

CARLO: (correndo, ao virar uma curva, tem dificuldade para virar o carro, fica preocupado, continua a correr, outra curva se aproxima, fica tenso, tenta fazer a curva, perde o controle do carro, bate contra o muro).

ENZO: (se levanta, preocupado).

MANUELLA: (preocupada, não consegue se mover).

ELIS: (fica assustada).

CARLO: (está preso entre as ferragens, tenta sair do carro, está muito ferido, olha que está vazando gasolina e seu carro pegando fogo, não consegue sair, o carro explode).

MANUELLA: (se levanta, grita) Carlo! (começa a chorar).

ISAQUE: (se levanta, sai do autódromo).

Fim do Capítulo  


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s