Descaminhos – capítulo 39 (penúltimo capítulo)

Descaminhos


Descaminhos 

Novela de Débora Costa


Capítulo 39 (penúltimo capítulo)


Personagens

Luigi Fiore

Giovanna Fiore

Enrico Salvatore

Paola Fiore

Carlo Mantovani

Mirella Fiore

Vitor Albuquerque

Elis Albuquerque

Jonas Albuquerque

Isaque Munhoz

Susana Albuquerque

José Almeida

Ana Clara Carvalho

Bruno Almeida

Nice Almeida

Silvio Almeida

Helena

Vitório Fiore

Doménica Fiore

PARTICIPAÇÕES:

Sérgio Medeiros – Investigador

Augusto Lopez – Delegado

Rafael Almeida – Policia Militar  


Cena 1

Mansão Fiore/Sala

PAOLA: Enzo disse que está tudo bem com a mamma.

GIOVANNA: Que bom, agora eu posso ir me tratar em paz, afinal, o que ela teve?

PAOLA: (olhando Giovanna) Enzo acha que babbo tentou matar a mamma.

GIOVANNA: Que absurdo, babbo pode ser capaz de tudo, menos de matar alguém e muito menos a mamma.

VITÓRIO: (desce as escadas) O seu papai, é capaz de matar sim… Já te contei a história do meu pai, que era irmão de Luigi… Ele apunhalou meu pai pelas costas sem dó Giovanna.

GIOVANNA: Mas não o matou.

VITÓRIO: É como se fosse, e é por isso que eu odeio o seu pai.

LUIGI: (entra) A recíproca é verdadeira Vitório, e eu quero que você vá embora agora dessa casa.

VITÓRIO: (sorri) Não vou sair e você sabe.

LUIGI: Se você não sair eu vou te entregar de bandeja para o mafioso que anda atrás de você.

VITÓRIO: Como você sabe disso?

LUIGI: Eu sei de muitas coisas… Esse sujeito me procurou, e se você não sair daqui agora, te coloco nas mãos dele.

VITÓRIO: (olhando Luigi, se aproxima, sério) Velho maldito… (sorri) Estou feliz ao ver sua família despedaçada.

PAOLA: Para com isso Vitório.

VITÓRIO: Não vou parar sua vadia…

LUIGI: Já chega! Fora dessa casa!

VITÓRIO: Está bem… Eu vou… Mas vou voltar você pode ter certeza… Vou pegar as minhas coisas. (sobe as escadas).

LUIGI: Giovanna preciso falar com você.

PAOLA: Babbo depois dela você me chama, tenho algo importante para te falar.

LUIGI: Paola quando você fala assim chego a ficar com dor no estômago… Está bem, depois nos falamos. (entra no escritório).

GIOVANNA: (vai com Luigi).



Cena 2

Ind. Alimentícia Fiore/Sala de Isaque

ISAQUE: (sorrindo) Esse cara não sou eu.

SÉRGIO: São muito parecidos Isaque.

ISAQUE: Eu não gosto de corrida, eu estava em um jantar no apartamento da minha nova namorada, posso te dar o endereço se você quiser e ver as câmeras de segurança.

SÉRGIO: Vou querer sim e também quero falar com a sua namorada.

ISAQUE: (anota algumas coisas em uma folha, entrega á Sérgio) Está tudo ai, agora se me der licença eu preciso trabalhar.

SÉRGIO: (se levanta) Eu volto senhor Isaque, tenha um bom dia. (sai).

ISAQUE: (fica sério) Burro! Estúpido! Você esqueceu de pegar as imagens da segurança…

Cena 3

Casa de José e Ana Clara

ANA CLARA: (está olhando a casa toda).

JOSÉ: (se aproxima dela sorri) Então, você gostou?

ANA CLARA: (sorri) É linda meu amor, adorei.

JOSÉ: Essa casa é nossa então.

ANA CLARA: (olhando José) O que te fez mudar tanto meu amor?

JOSÉ: (olhando Ana Clara) Você… Esse seu sorriso lindo que me conquistou, a sua doçura e nosso filho. (sorri, beija Ana Clara).

ANA CLARA: (beijando José o olha sorri) Fico feliz com isso, você não sabe o quanto.

JOSÉ: Eu tomei uma decisão, vou sair da empresa dos Fiore, quero começar um negócio só meu.

ANA CLARA: Que bom meu amor, e em que você vai trabalhar?

JOSÉ: Em uma rede de restaurantes com a minha mulher, claro que quem administra o negócio serei eu. (sorri).

ANA CLARA: (sorri olhando José) O senhor está me contratando?

JOSÉ: Estou. (sorri).

ANA CLARA: (beija José, o olha) Vou pensar no seu caso. (da risada, beija José).

Cena 4

Mansão Fiore/Escritório

LUIGI: (olhando Giovanna) Minha filha… Me conta o que exatamente você viu entre Alanis e Vitório?

GIOVANNA: (olhando Luigi) Por que isso agora babbo?… Você nunca me deu atenção, até me bateu por isso.

LUIGI: Responde, por favor… Eu preciso saber.

GIOVANNA: Não vou falar enquanto você não me falar o motivo da sua pergunta.

LUIGI: Está bem… Alanis está grávida.

GIOVANNA: (nervosa) O que! Isso é total falta de responsabilidade! Ter um filho com aquela mulher…

LUIGI: (interrompendo Giovanna) Meu amor… Calma… (olhando Giovanna) Eu quero saber o que você viu por que… Fiz vasectomia, não posso ter mais filhos.

GIOVANNA: (sorri olhando Luigi) Pois é babbo, a sua tão querida Alanis, não passa de uma vadia, e é com todo prazer que te digo, bem feito! Eu bem que te avisei, mas você não me ouviu.

LUIGI: (chateado) Agora que já pisou em mim você quer, por favor, falar o que viu?

GIOVANNA: Eu vi Vitório e Alanis se beijando no corredor, pelo que vi não é de hoje que esses dois estão juntos.

LUIGI: Que o filho não é meu eu já sei… Não quis falar nada pra ela, não sei por que.

GIOVANNA: (olhando Luigi) Babbo… Não me diga que você vai querer criar um filho que não é seu! Essa mulher está te enganando e tenho certeza que é porque Vitório está mandando!

LUIGI: (olha Giovanna) Se isso for verdade… Eu vou acabar com a vida dos dois.

Cena 5

Sala

ELIS: (entra, o celular toca) Alô… (contam para Elis sobre o suicídio de Susana, as lagrimas escorrem) O que… (explicam como foi, chora) Obrigada por avisar… Eu vou para ai. (desliga, chora).

GIOVANNA: (sai do escritório com Luigi).

LUIGI: Elis o que foi?

ELIS: (olhando Giovanna) Você conseguiu Giovanna…

GIOVANNA: Do que você está falando garota?

ELIS: (as lagrimas escorrem) A minha mãe… Se matou. (chora).

LUIGI: (abraça Elis).

GIOVANNA: (pensativa, sorri vitoriosa).

Cena 6

Mais Tarde/Hospital/Quarto de Doménica

ENZO: Mamma você já pode ir para a casa. (sorri).

DOMÉNICA: Só entro lá se Luigi estiver fora dela.

ENZO: Eu vou ligar para ele.

DOMÉNICA: Nunca pensei sentir tanto ódio dele…

ENZO: Não fica pensando nessas coisas mamma, isso só vai te prejudicar.

DOMÉNICA: (sorri) Obrigada por cuidar tanto de mim querido.

ENZO: (sorri) E você acha que eu não vou cuidar da melhor mamma do mundo! (beija o rosto de Doménica).

Cena 7

Mansão de Alanis/Sala

VITÓRIO: Eu tenho que arrumar um lugar para ficar.

ALANIS: Não era você que não temia Luigi?

VITÓRIO: E não temo mesmo, mas tenho medo do Pietro… Esse cara não brinca e eu roubei muita coisa dele.

ALANIS: (sorri) Você e seus rolos.

VITÓRIO: Você está mandando dinheiro na conta que eu falei?

ALANIS: Estou sim.

VITÓRIO: (olhando Alanis se aproxima) Estou com saudades de você… O velho vai vir aqui agora?

ALANIS: Não… (sorri) Só a noite.

VITÓRIO: Então temos muito tempo… (beija Alanis).

ALANIS: (beijando Vitório com vontade).

LUIGI: (entra, fica com vontade de chorar e raiva ao mesmo tempo) Era assim que queria pegar vocês!

ALANIS: (se assusta).

VITÓRIO: (olhando Luigi).

ALANIS: (empurra Vitório, dá um tapa no rosto dele, corre para o lado de Luigi) Ainda bem que você chegou meu amor! Esse seu sobrinho safado veio aqui, me ofendeu e me agarrou!

LUIGI: (segura o rosto de Alanis com força, nervoso) Para de mentir! Você é a ordinária que tanto me falaram e eu nunca acreditei! (joga Alanis no chão).

VITÓRIO: Não encosta essa mão imunda nela.

LUIGI: (dá um soco em Vitório).

VITÓRIO: (vai pra cima de Luigi).

LUIGI: (pega um revolver do bolso do terno, a ponta para Vitório) Se você se aproximar mais um pouco eu acabo com a sua vida!

ALANIS: (está com medo, se levanta) Luigi…

LUIGI: (olha Alanis com raiva, apontando a arma para Vitório) Se ajoelha na minha frente.

ALANIS: Eu não vou fazer isso!

LUIGI: (atira na parede, aponta para Vitório novamente) Ajoelha Alanis! Ou eu mato você primeiro.

ALANIS: (se ajoelha com raiva na frente de Luigi, o olha) E agora?

LUIGI: Eu quero que você me conte a verdade… E seu eu notar que é mentira, atiro em partes do seu corpo que não vão te matar, mas vão provocar muita dor.

ALANIS: (olha Vitório, as lagrimas escorrem de raiva, olha Luigi) Vitório e eu somos namorados há alguns anos… Ele pediu para que eu te conquistasse… E roubasse tudo o que é seu…

LUIGI: (as lagrimas escorrem) E você fez isso muito bem… Soube me enganar… Me fez brigar com toda minha família… (dá um tapa no rosto de Alanis) Sua prostituta barata!

ALANIS: (chora, olha Luigi com raiva) Você não sabe o quanto era ruim ter que fingir que te amava! Seu velho imbecil.

LUIGI: (chora).

VITÓRIO: (vai pra cima de Luigi, tenta tirar a arma da mão dele).

ALANIS: (se levanta, pega um vaso, bate na cabeça de Luigi).

LUIGI: (desmaia).

VITÓRIO: (olha Alanis sorri, a beija, está cansado) Temos que pegar toda a grana e se mandar agora!

ALANIS: (pensativa, pega a arma de Luigi, aponta para Vitório, o olha) Não Vitório… Eu vou pegar o dinheiro só pra mim… Afinal quem transava com Luigi era eu.

VITÓRIO: (olhando Alanis) Você está falando sério?

ALANIS: Estou com cara de quem está brincando?

VITÓRIO: (grita) Você não pode fazer isso comigo!

ALANIS: (sorri) Posso sim… Cansei de você… Eu vou pegar tudo o que já consegui e vou embora com um homem maravilhoso… Agora entra no quarto da empregada.

VITÓRIO: Eu vou matar você sua vadia!

ALANIS: (apontando a arma para Vitório) Entra no quarto da empregada ou eu atiro em você.

VITÓRIO: (vai pra cima de Alanis).

ALANIS: (atira na perna de Vitório).

VITÓRIO: (cai no chão, coloca a mão na perna) Desgraçada!

ALANIS: (sorri, olha Luigi caído, pega a carteira que está no bolso dele, olha Vitório) Adeus… Querido. (sai).

VITÓRIO: (caído no chão, com a mão na perna, grita) Alanis!… Alanis!… Volta aqui!…

Cena 8

Á noite/Apartamento de Isaque/Sala

ISAQUE: (está bebendo, o interfone toca) Pronto… Ela está aqui?… Manda subir claro. (desliga, ajeita a sala, a campainha toca, abre a porta).

GIOVANNA: (olha Isaque) É difícil estar nessa maldita cadeira, mas resolvi vir até aqui.

ISAQUE: (sorri) Estou surpreso em te ver aqui Giovanna…

GIOVANNA: (olhando Isaque) Susana se matou… (sorri).

ISAQUE: (sorri) Você gostou claro.

GIOVANNA: Sim, da mesma forma que gostei quando Jonas fez o mesmo… Pouparam meu trabalho.

ISAQUE: Por isso que gosto de você… Linda, fria, cruel…

GIOVANNA: Você me roubou… Odiei isso.

ISAQUE: Queria impressionar o seu pai…

GIOVANNA: Não precisava disso, babbo já te admirava.

ISAQUE: O seu pai precisava de mais…

GIOVANNA: (olha em volta, vê um porta retrato que tem a foto de Isaque criança com os pais e uma menina) Quem são? (sorri).

ISAQUE: Meus pais e minha irmã… Giovanna o que você veio fazer aqui.

GIOVANNA: (olhando Isaque) Sérgio me procurou… Ele disse que é você que matou Mário, Helena e Carlo…

ISAQUE: Ele me procurou com essa mesma conversa, você acreditou?

GIOVANNA: Se não acreditasse não estaria aqui.

ISAQUE: Você veio me procurar por acreditar que eu sou um assassino e não tem medo?

GIOVANNA: (dá risada, olha Isaque) Isso me atraiu… Antes você não passava de um ladrãozinho pra mim… Agora… Ganhou interesse… Um serial killer…

ISAQUE: (se aproxima de Giovanna a olha nos olhos) Você gosta dessa idéia?

GIOVANNA: (olhando Isaque) Me fascina…

ISAQUE: (beija Giovanna).

GIOVANNA: (beijando Isaque o olha muito, encantada, acaricia o rosto dele) Foi você Isaque?… Você matou essas pessoas?

ISAQUE: (olhando Giovanna, os olhos ficam marejados) Sim minha querida… Eu matei essas pessoas…

GIOVANNA: (sorri) Por que? Quero saber de tudo.

ISAQUE: (olhando Giovanna nos olhos) Por causa do seu pai.

GIOVANNA: (fica séria, espantada) Por causa do babbo?…

ISAQUE: (se apoia na cadeira de rodas de Giovanna a olhando nos olhos) Sim… O seu pai causou a desgraça do meu pai… Eles eram sócios em muitos negócios quando eu era criança… Quando a minha mãe morreu, meu pai se afastou por um tempo dos negócios, estava muito abalado… Foi o tempo de Luigi fazer negócios com outras pessoas, deixando de lado o meu pai…

GIOVANNA: (com vontade de chorar) Isso… Não é possível…

ISAQUE: (com raiva) É sim Giovanna! Foi exatamente assim e ainda pior… Luigi com a ajuda de Carlo, que era um adolescente na época e já era muito querido por Luigi, fez o meu pai assinar documentos passando tudo o que conquistaram juntos apenas para o nome dele… (as lagrimas escorrem) Meu pai entrou em depressão… E morreu na miséria…

GIOVANNA: Eu sinto muito…

ISAQUE: (olhando Giovanna, acaricia o rosto dela) Não meu amor, você não tem culpa, foi por isso que não te matei… E também porque me apaixonei por você de verdade.

GIOVANNA: Você ia me matar?

ISAQUE: Sim… Para atingir Luigi… Mas meu amor foi maior nessa parte.

GIOVANNA: Por que você matou Mário?

ISAQUE: Ele estava roubando a empresa conforme eu mandava, mas ele estava com medo de ser pego e preso… Dai… Dei um fim na agonia dele.

GIOVANNA: (sorri) E Helena?

ISAQUE: Mario cometeu o erro de dar uma carta para minha ex namorada, onde ele contava toda a história… Não poderia deixar ela viva, ela estava sabendo demais… E Carlo morreu por ajudar a destruir meu pai…

GIOVANNA: (olhando Isaque) Eu teria feito o mesmo Isaque…

ISAQUE: Talvez você não goste do meu próximo passo.

GIOVANNA: Por que?

ISAQUE: Porque agora o próximo a morrer será Luigi.

GIOVANNA: (olhando Isaque) Babbo tem me irritado muito ultimamente… E ter o poder de tudo será muito bom… (sorri).

ISAQUE: (sorri, beija Giovanna).

SÉRGIO: (invade o apartamento com a policia, aponta uma arma para Isaque) Isaque Munhoz você está preso!

ISAQUE: (olha muito Giovanna).

GIOVANNA: (limpa a boca, olha Isaque com raiva) Imbecil… Acha mesmo que eu gostei dessa sua loucura macabra?

ISAQUE: (as lagrimas escorrem) Você… Estava com escuta?

GIOVANNA: Claro que sim e agora você vai apodrecer na cadeia!

SÉRGIO: (algema Isaque) Eu conversei com a sua irmã.

ISAQUE: Ela contou alguma coisa?

SÉRGIO: Sim… Logo vi que não era namorada… Giovanna, Lúcia que se passou por psicóloga é irmã de Isaque e foi ela quem tentou matar a sua mãe.

GIOVANNA: Agora tudo isso acabou… (olha Isaque) Acabou.

SÉRGIO: (leva Isaque com os policiais).

GIOVANNA: (pensativa) Babbo… Quantas pessoas você passou para trás…

Cena 9

Aeroporto

LUCAS: (está esperando Alanis).

ALANIS: (entra).

LUCAS: (olha Alanis sorri).

ALANIS: (se aproxima de Lucas, sorri) Podemos ir.

LUCAS: (beija Alanis, a olha) Podemos.

ALANIS: Estou preocupada, Luigi pode ter alertado a policia.

LUCAS: Nós não vamos em um avião comum e sim em um particular.

ALANIS: (sorri) Isso é perfeito.

LUCAS: Estando com você tudo é perfeito… Vamos?

ALANIS: (olha muito Lucas, sorri) Sim… (vai indo para o embarque, olha para trás) Adeus… Recalcados. (da risada, vai com Lucas).

Fim do Capítulo


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s