Pátria Amada – capítulo 01 (estreia)

Pátria Amada


 

                  PÁTRIA AMADA

 Capítulo 1 – “Um homem de muitas faces”

 

          Série de:

          Fábio Moda Magnoni

          Baseado na sinopse de:

          Taís Grimaldi  

          Direção:
Amora Mautner
          Vinicius Coimbra

PERSONAGENS:
L. FERNANDO      BERNARDO
OLGA             SAFIRA
CECÍLIA         DELEGADO
NICOLAS        POLICIAL 1 E 2
MANUELA
JOEL
RAYSSA


CENA 01/AP DE FERNANDO/SALA-INT/NOITE.

CAM JÁ ABRE: L. Fernando extoura a rolha da garrafa de champanhe, logo ele serve sua taça e de Olga.

 L. FERNANDO – “Senador da República”, finalmente eu tenho o que mereço; o grande cargo!

Eles brindam.

  1. FERNANDO – Agora sim eu to onde mereço, agora sim vou ganhar o que gente como eu merece! (bebe)

OLGA – Você foi eleito com mais votos do que precisava, sinal que o povo confia em você!

  1. FERNANDO – O povo é burro, eles confiam em qualquer pessoa, basta ter lábia e “carisma”!

CENA 02/CASA DE MANUELA/SALA-INT/NOITE.

Joel mexendo no tablet. Manuela entra.

MANUELA – Cadê o Nicolas?

JOEL – Boa noite pra você também. (t) Você viu que absurdo? O Luis Fernando Gama foi eleito para senador! Será que ninguém percebe? Um cara é um tremendo “cara de pau”, corrupto deslavado!

MANUELA – E apartir de agora meu patrão, portanto sem discurso moralista.

Manuela vai pro quarto, Joel vai atrás.

CORTA PARA:

CENA 03/CASA DE MANUELA/QUARTO/INT/NOITE.

Atenção edição: ligar imediatamente com a cena anterior. Manuela entra, enquanto a cena flui, ela tira a roupa, sutiã, etc, pois vai tomar banho. Joel entra.

JOEL – Eu não sei como você consegue trabalhar no Congresso, eu no seu lugar “piraria”, lá o que não falta é gente corrupta!

MANUELA – Eu ganho muito bem, por isso agüento.

JOEL – Mas ta errado, Manuela! Você é competente, tem um bom currículo, podia arrumar alguma “limpa”, esses caras não prestam!

MANUELA – O povo brasileiro merece tanta gente “podre” governando, afinal é eles que elegem! Eu ganho bem e não me importo com as maracutáias!

Manuela vai tomar banho. Joel pega o celular, CAM mostra no VISOR: “Nicolas”, ele aperta para fazer a chamada.

   CENA 04/CRACOLÂNDIA/INT/NOITE.

Diversos homens mau encarados reunidos e fumando. CAM BUSCA: Nicolas usando crack entre eles, o mesmo vê seu celular tocando e desliga.

CENA 05/CASA DE MANUELA/QUARTO/INT/NOITE.

Joel ainda com o celular em mãos, ele desiste de ligar.
Sonoplastia: Barulho de água vindo do banheiro.

JOEL – Onde é que você se meteu, meu filho?

CENA 06/AP DE L. FERNANDO/SALA-INT/NOITE.

  1. Fernando sentado ao sofá bebendo seu champanhe. Olga entra de camisola.

OLGA – Vou deitar.

  1. FERNANDO – Vou terminar meu champanhe, fumar um charuto e já vou.

OLGA – Ok.

Ela sai. L. Fernando coloca a taça de lado, pega um charuto e acende.
Bernardo entra.

BERNARDO – (tom irônico) Parabéns pro novo senador da república.

  1. FERNANDO – Guarde o tom irônico para você.

BERNARDO – Se já roubava como governador, imagine agora como senador. Antes era a merenda das crianças, agora o que é que você vai desviar, pai? O transporte de pessoas com câncer?

  1. Fernando levanta-se e encara o filho.
  2. FERNANDO – Torrar a minha grana com “puta” você gosta né, seu comunista de merda!

BERNARDO – Todos os empregos que eu arrumei o senhor deu um jeito de eu perder!

  1. FERNANDO – Você queria o quê? Que os jornais noticiassem: “filho de Luis Fernando Gama vira recepcionista de loja, ou encanador”, queria?

BERNARDO – Pois então não se queixe de sustentar os meus vícios.

  1. FERNANDO – Pois então não se queixe de onde vem o dinheiro que te dou para sustentá-lo.

BERNARDO – O senhor é um monstro, uma hora ou outra o teu império vai cair.

  1. FERNANDO – Ta mais fácil Jesus reencarnar.

Bernardo sai do APARTAMENTO.

CENA 07/CASA DE EMÍLIA/SALA-INT/NOITE.

Emília preparando um wisk, Cecília entra.

EMÍLIA – Ô, minha filha! Que bom te ver, quer dizer, mais ou menos né.

CECÍLIA – Mais ou menos, mãe?

EMÍLIA – Lógico, todos os dias essa semana você tem vindo aqui,  isso quer dizer que, se você ta aqui, obviamente você não ta na cama do Senador Luis Fernando Gama.

CECÍLIA – Mãe!

EMÍLIA – Cecília, nós estamos em crise, o país ta cada vez mais afundando, o wisk ta ficando caro, a carne…/

CECÍLIA – (corta) Você não liga o mínimo para mim, né? Só pensa no dinheiro que eu te dou!

EMÍLIA – Não seja injusta, minha filha, mas você sabe, com a minha idade não consigo arrumar emprego e a minha aposentadoria de professora mau dá pra comida!

CECÍLIA – É, eu sei, mãe. Esse mês o Luis Fernando dedicou-se a campanha eleitoral, por isso a gente não se viu muito, mas graças a Deus agora tudo vai mudar, afinal ele é SENADOR da República.

EMÍLIA – De Governador para Senador, vai ganhar mais!

Cecília sorri.

   CENA 08/CRACOLÂNDIA/INTERIOR/NOITE.

Nicolas usando crack com os outros companheiros. Logo ele vê uma viatura aproximando-se ao longe, todos levantam-se e começam a correr. (Ritmo)

 

   CENA 09/RUA DESERTA/INT/NOITE.

Nicolas e mais dois companheiros correm. A viatura atrás deles, esta ultrapassa e os interceptam.
Dois policiais descem com os revólveres em mão.

POLICIAL 1 – (grita) Todo mundo no chão!

POLICIAL 2 – (grita) NÃO ESCUTARAM, PORRA?! TODO MUNDO NO CHÃO!

Nicolas e os outros obedecem.

CENA 10/CASA DE MANUELA/SALA-INT/NOITE.

Manuela secando o cabelo, seu celular vibra, ela atende.

MANUELA – (ao cel) Fala Nicolas, onde é que você ta? (t) Como é que é? Você ta na delegacia?

CENA 11/AP DE FERNANDO/QUARTO/INT/NOITE.

  1. Fernando entra e observa Olga dormindo. Ele pega seu celular e vê uma foto de Cecília.

 

 

CENA 12/AP DE FERNANDO/VARANDA/INT/NOITE.

  1. Fernando entra na varanda, ele observa o Mar de Copacabana.
    Logo vê novamente a foto de Cecília. O Senador liga para a amada.
  2. FERNANDO – (ao cel) Cecília? Será que a gente pode se ver hoje?

CAM ABRE, Rayssa escutando tudo da sala, porém sem ser notada.

CENA 13/DELEGACIA/SALA DO DELEGADO/INT/NOITE.

Delegado levanta-se, Manuela a sua frente. Dois policiais ao lado

DELEGADO – Ora vejam só, que ironia, a mãe de um dos detentos é, ninguém mais ninguém menos, que a advogada da República.

MANUELA – Eu no to aqui pra falar de mim, delegado, e sim do meu filho. (t) Não deixaram ele falar tempo suficiente, por que é que ele ta preso?

DELEGADO – Seu filho foi flagrado com três pedras de crack.

MANUELA – (surpresa) O quê?

       PRIMEIRO INTERVALO COMERCIAL

CENA 14/HOTEL DE L. FERNANDO/GARAGEM/INT/NOITE.

  1. Fernando entra em seu carro e parte. (t) Rayssa entra também em seu veiculo e vai atrás do pai.

   CENA 15/AVENIDAS/INT/NOITE.

Rayssa persegue o carro do pai sem ser percebida.

No carro de Rayssa:

RAYSSA – Onde será que ele ta indo?

   CENA 16/DELEGACIA/CELA/INT/NOITE.

Nicolas sozinho dentro da cela. Manuela aproxima-se com o Policial.

POLICIAL – Taí teu filho.

NICOLAS – Mãe, mãe, você vai me tirar daqui, não vai? Mãe, pelo amor de Deus.

MANUELA – (ao policial) Abre a cela, por favor.

O policial obedece, a advogada entra, ele tranca novamente e sai.

NICOLAS – Mãe, isso é uma injustiça, era só diversão/

Manuela BATE COM FORÇA na cara do filho.

MANUELA – (corta/gritando) Cala a boca seu “drogado” de merda!

NICOLAS – (melancólico) Mãe/

MANUELA – (corta) Não me chama de mãe porque eu não quero lembrar toda hora desse fardo que eu tenho que carregar! (t) Quer acabar com a minha vida? Sabia que eu posso ser demitida por ERRO SEU?!

NICOLAS – Me desculpa/

MANUELA – Desculpa não vai resolver o seu caso! (t) Você vai passar essa noite aqui pra aprender a ser gente, amanhã eu venho te tirar. (t) E sem escândalo! (grita) Carcereiro!

CENA 17/CASA DE MANUELA/SALA-INT/NOITE.

Joel e Manuela, conversa já iniciada.

JOEL – Nosso filho foi preso e você acha isso normal?

MANUELA – Eu não vou fazer tempestade no copo d’ água!

JOEL – O que é que você ta pensando em fazer?

MANUELA – Eu vou internar o Nicolas numa clínica pra loucos.

JOEL – Pra loucos? Mas o caso do nosso filho é de dependência química.

MANUELA – Eu sei o que é melhor pro meu filho. (t) Amanhã mesmo eu ligo pra uma clínica e “corto o mau” pela raiz.

   CENA 18/AVENIDA PARTE 2/INT/NOITE.

  1. Fernando encosta o carro, Cecília entra. Rayssa ao longe em seu veículo observa.

   CENA 19/MOTEL/EXTERNA/NOITE.

  1. Fernando entra com o carro no motel. CORTA PRA DENTRO DO CARRO DE RAYSSA.

RAYSSA – Foi o que eu desconfiei. Como é que eu vou dar essa notícia pra minha mãe?

CENA 20/MOTEL/QUARTO/INT/NOITE.

Bernardo transando com uma prostitulta (Safira). Mostrar takes: eles se beijam calientemente, fazem sexo em diversas posições, ele beija o seio dela, fazem sexo oral um no outro.

Corte final: Ambos estirados a cama e cansados.

BERNARDO – A transa de hoje superou as outras (risos)

SAFIRA – Realmente hoje você tava animado (ri)

BERNARDO – Descontei toda raiva que eu tava do meu pai.

SAFIRA – Teu pai agora Senador, você tem é que comemorar!

BERNARDO – Você não sabe o que esta por trás da máscara de Luis Fernando Gama.

   CENA 21/MOTEL/QUARTO 2/IN/NOITE.

Cecília e L. Fernando transam loucamente.

CENA 22/AP DE L. FERNANDO/SALA-INT/NOITE .

Olga vem do quarto com cara de sono, Rayssa entrando no AP.

OLGA – Onde você tava, filha?

RAYSSA – (rápida) Tomando um chope com umas amigas.

OLGA – Teu pai não ta no quarto, será que você sabe onde ele foi?

       SEGUNDO INTERVALO COMERCIAL

CONTINUAÇAO IMEDIATA.

RAYSSA – Não sei, deve ter ido resolver alguma coisa. Boa noite, mãe.

OLGA – Boa noite, querida.

Rayssa sai. Olga pega um quadro (foto dela com L. FERNANDO)

OLGA – Por que é que o nosso casamento se desgastou tanto assim?

   CENA 23/MOTEL/QUARTO 2/INT/NOITE.

Bernardo e Safira já vestidos.

BERNARDO – Pegou tudo?

SAFIRA – Sim.

BERNARDO – Bora!

Eles saem.

   CENA 24/MOTEL/QUARTO 1/INT/NOITE.

Cecília e L. Fernando também já vestido.

CECÍLIA – Como eu queria você só pra mim.

  1. FERNANDO – Em breve isso vai acontecer!

Ele coloca um bolo de notas no decote da mesma.

  1. FERNANDO – Ta na minha hora.

   CENA 25/MOTEL/GARAGEM/INT/NOITE.

Bernardo e Safira caminham até o carro, finalmente entram no mesmo. Colocam o sinto, ligam o som, escolhem uma música, enfim, enrolam.
CAM BUSCA: L. Fernando vindo com Cecília, trocando beijos no caminho.

DENTRO DO CARRO;

SAFIRA – Bernardo, aquele lá não é teu pai?

Bernardo vê L. Fernando.

BERNARDO – Não pode ser! (t) Desgraçado!

       CONGELA.


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s