Pátria Amada – capítulo 02

Pátria Amada

 

PÁTRIA AMADA – Capítulo 2 

“Grandes descobertas”

 

          Série de:

          Fábio Moda Magnoni

 

          Baseado na sinopse de:

          Taís Grimaldi  

 

          Direção:
Amora Mautner
          Vinicius Coimbra

 

          PERSONAGENS:
L. FERNANDO      BERNARDO
OLGA             SAFIRA
CECÍLIA        PARAMEDICO(S)
NICOLAS        POLICIAL 1
MANUELA        ARTHUR
JOEL
RAYSSA


CENA 1/MOTEL/GARAGEM/INT/NOITE.

Continuaçao imediata.  Bernardo dentro do carro com Safira. Ele flagra o pai saindo do motel com Cecília. Logo desce do carro.

BERNARDO – Pra um senador que honra a família, o senhor é bem contraditório.

FERNANDO – O que faz?

BERNARDO – O mesmo que você, só que não esperava vê-lo com uma, com mulher que não fosse minha mãe.

CECÍLIA – Ele é seu filho?

BERNARDO – Sou, e você é a “vagabunda particular”, suponho.

FERNANDO – (grita) Chega! Eu não devo satisfações da minha vida a você.

BERNARDO – Mas deve a minha mãe/

FERNANDO – (corta) Experimente! Experimente abrir a boca pra ela pra ver o que te acontece.

BERNARDO – E o que é que acontece?

FERNANDO – Corto tua mesada, sujo o teu currículo no mercado, você vai ter que se prostituir pra ganhar a vida, vai querer isso? Creio que não! (t) Bora Cecília.

Cecília e L. Fernando entram no carro, Bernardo fica raivoso.

   CENA 2/CARRO DE BERNARDO/INT/NOITE.

Bernardo nervoso a dirigir, Safira ao lado.

BERNARDO – Como que ele pode ser tão cara de pau?

SAFIRA – Ele é seu pai, vocês não podem se desentender assim!

BERNARDO – Eu preferia ter nascido sem pai do que ter que conviver com esse cara.

   CENA 3/BRASÍLIA/INT/DIA.

AMANHECE.

CENA 4/AP DE L. FERNANDO/SALA-INT/DIA.

Fernando, Bernardo e Rayssa tomando café. Olga entra.

OLGA – Bom dia!

TODOS – Bom dia!

OLGA – Posso saber onde você esteve essa noite, Fernando?

FERNANDO – Tive que resolver uma emergência do partido.

Bernardo contem a raiva, Rayssa ríspida;

RAYSSA – Que emergência seu partido poderia ter depois de ter ganhado quase todas as “chapas”?

FERNANDO – Ta duvido de mim, Rayssa?

OLGA – Chega, vocês não começar a discutir 9h da manhã. Eu acredito em você L. Fernando e é isso que importa.

CENA 5/GABINETE DE L. FERNANDO/ANTE SALA/INT/DIA.

Manuela entra Arthur sentado a mesa.

ARTHUR – Psiu!

MANUELA – Aqui não Arthur.

ARTHUR – Eu só quero saber que hora que a gente vai se ver.

MANUELA – Eu te ligo, mas fique sabendo que também estou com saudades (risos)

Manuela vai pra sala de L. Fernando.

ARTHUR – Gostosa pra cassete…   AH!

 

 

CENA 6/GABINETE DE L. FERNANDO/INT/DIA.

Fernando preparando um wisk. Manuela bate á porta e entra.

MANUELA – Com licença Senador.   

FERNANDO – Toda! Então você é a famosa advogada Manuela Sandoval?

MANUELA – Obrigada pelo “famosa”.

FERNANDO – Teu apelido “carne dura de correr”, não perde nenhuma ação (bebe)

MANUELA – Eu me esforço.

FERNANDO – Quer wisk?

MANUELA – Não bebo em trabalho.

FERNANDO – Pra trabalhar pra mim tem que ter uma característica fundamental.

MANUELA – Qual?

FERNANDO – Ser completamente antiética.

Manuela sorri.  

   CENA 7/GABINETE/CORREDOR/INT/DIA.

Manuela caminhando.

MANUELA – (sorrindo) Esse senador é pior do que eu pensava.

De repente, Arthur surge da porta do almoxarifado e a puxa pra dentro do mesmo.

CORTA PARA:

CENA 8/GABINETE/ALMOXARIFADO/INT/DIA.

Atenção edição: ligar imediatamente com a cena anterior. Arthur encosta Manuela na parede e fecha a porta com o pé.

MANUELA – Já falei que aqui não.

ARTHUR – Mas eu to cheio de vontade!

MANUELA – Você não presta!

ARTHUR – Eu sou igual a você!

Arthur tasca um beijaço na advogada, logo o clima esquenta e eles transam explicitamente.

   CENA 08/GABINETE/INTERIOR/DIA

Fernando finaliza seu wisk, Agenor (um secretário do partido) entra com uma pasta.

FERNANDO – Fez o levantamento da tal Manuela que eu te pedi?

AGENOR – Levantamento completo! (entrega)

FERNANDO – (pega a pasta e avalia)

AGENOR – O partido conseguiu verba para comprar um ônibus para transportar as crianças que moram na roça.

FERNANDO – Pra que transporte? Essas crianças moram na roça, qualquer conhecimento que elas adquirirem irá ralo abaixo vivendo na zona rural! ‘

AGENOR – Mas essa foi uma das propostas que o senhor fez na sua campanha.

FERNANDO – Nunca ouviu o ditado, “brasileiro tem memória curta”.

AGENOR – O que é que a gente faz com a verba?

Fernando sorri.

FERNANDO – O que fazemos sempre!

Riem constantemente.

CENA 9/AP DE FERNANDO/ESCRITÓRIO/INT/DIA.

Rayssa e Bernardo. Conversa já iniciada.

RAYSSA – Eu já sabia.

BERNARDO – E não contou nada á mamãe?

RAYSSA – Eu também descobri ontem quando tava seguindo o carro do papai.

BERNARDO – Isso é maldade, alguém tem que pará-lo.

RAYSSA – Eu não vou me atrever a colocar a cara “a tapa”.

BERNARDO – E o que é que você ta pensando em fazer?

Rayssa fica a contar em áudio mudo.

   CENA 10/CASA DE EMÍLIA/SALA-INT/DIA.

Emília pega o dinheiro de Cecília, ela a sua frente.

EMÍLIA – Bom, bom, muito bom!

CECÍLIA – Fomos flagrados pelo filho dele ontem.

EMÍLIA – O quê?

CECÍLIA – É isso mesmo.

EMÍLIA – Meu Deus, a nossa galinha dos ovos de ouro vai escapar desse jeito!

CECÍLIA – O L.F tratou de contar a situação, mas não da mais pra nós vivermos em segredo.

EMÍLIA – Isso quer dizer…

CECÍLIA – Que nós vamos oficializar nossa união!

       PRIMEIRO INTERVALO COMERCIAL

   CENA 11/DELEGACIA/ANTE SALA/INT/DIA.

Manuela a esperar. Nicolas entra com o policial.

POLICIAL – Taí seu filho.

MANUELA – Bora Nicolas!

   CENA 12/CARRO DE MANUELA/INT/DIA.

Manuela a dirigir, Nicolas no banco do carona.

NICOLAS – O que é que você vai fazer comigo?

MANUELA – Logo voce vai saber.

CORTA PARA:

CENA 13/CASA DE MANUELA/JARDIM/INT/DIA.

Já vemos os paramédicos reunidos, bem como a ambulância estacionada. Joel tristonho.
Manuela chega com o carro, CORTA PRA DENTRO.

NICOLAS – Quem são esses caras?

MANUELA – (ríspida) Desce do carro.

Manuela desce, (t) Nicolas faz o mesmo.

JOEL – Manuela, você tem certeza que precisa disso?

MANUELA – Sem “choro”, foi ele  que procurou isso!

Assustado, Nicolas tenta reagir, mas os paramédicos o dopam e o transportam pra maca.
Posteriormente, Nicolas é levado pra ambulância. Joel chora Manuela altiva.

CENA 14/GABINETE/SALA DE MANUELA/INT/DIA.

Manuela a teclar em seu computador, L. Fernando entra com uma pasta.

MANUELA – O que houve Senador?

Fernando joga uma pasta sob a mesa.

FERNANDO – Você é bem “ladrinha” hein. (t) Você super faturou os contratos do governo com a receita federal…

Manuela observa a papelada da pasta e fica tensa.

FERNANDO – É de gente bandida assim que eu gosto!

Manuela tensa.

  CONGELA 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s