Ferreto – capítulo 03

TELEGLOBO

APRESENTA

 

b75e75f3-7633-4d2b-b2ab-12878c3a1ff3

Série inspirada e baseada no núcleo Ferreto da novela A Próxima Vítima, escrita por Silvio de Abreu com colaboração de Alcides Nogueira e Maria Adelaide Amaral, exibida pela Rede Globo em 1995. A minha intenção ao escrever a série é homenagear os 20 anos da novela, contando o passado das personagens Ferreto, a criação do roteiro e parte do enredo é de minha autoria, coisas ditas na novela pelas personagens formam a composição do enredo. Deixo claro que a Rede Globo, os autores Silvio de Abreu, Alcides Nogueira e Maria Adelaide Amaral, não tem vinculo algum com a série faço por conta própria.

Débora Costa

f6cd271b-38f6-4a3a-90e4-2e707934a674

Capítulo 3

Cena 1

Noite – Clube

 

ROMANA: (está sentada ao lado de Marcelo, tomando champanhe, o olha) Interessante seus objetivos Marcelo, você é bem diferente das pessoas que conheço.

MARCELO: (sorri) Por que diz isso, você não tem objetivos?

ROMANA: (sorri, olha Marcelo) Sinceramente? Profissionalmente falando?… Não, eu adoro viajar, me divertir, não me vejo o dia todo enfiada em um escritório, não combina comigo.

MARCELO: Comigo sim, estou estudando muito para isso, quero ter algo meu.

ROMANA: (sorri) Está vendo, as pessoas com quem convivo já tem coisas delas, e quer saber? Não se importam, tenho amigos que recebem dinheiro para a faculdade e gastam com farra.

MARCELO: Você fazia isso?

ROMANA: (da risada, toma champanhe, olha Marcelo) No (Não)…

MARCELO: Duvido. (sorri).

ROMANA: Algumas vezes… (sorri) Mas a minha sorella Filomena insuportável descobriu e contou tudo a mamma… Que ficou uma fera, dai não fiz mais.

MARCELO: Vocês se dão bem?

ROMANA: Minhas sorellas e eu?… Nem sempre, não aguentamos ficar uma perto da outra muito tempo, somos completamente diferentes, a única que me dou bem mesmo é Carmela, já Filomena se dá bem com Francesca.

MARCELO: A esposa de Gigio.

ROMANA: É. (se levanta, olha Marcelo) Me cansei de falar dessas coisas, vamos dar uma volta.

MARCELO: (se levanta) Vamos, eu gostaria de conhecer o clube todo, sempre tive vontade de vir aqui.

ROMANA: Você vai gostar, e não se intimide com olhares esnobes, aqui tem muita gente assim.

MARCELO: Não está escrito pobre na minha testa Romana, e mesmo se tivesse, não me abato tão fácil.

ROMANA: (sorri olhando Marcelo) Gosto muito do seu jeito Marcelo.

MARCELO: (sorri) E eu do seu, você é diferente dos burgueses que conheço.

ROMANA: (segura no braço de Marcelo) Vamos ao tour pelo clube. (sorri, sai com Marcelo).

 

Cena 2

Mansão Ferreto – Sala

 

GIGIO: (está sentado no sofá).

FRANCESCA: (entra).

GIGIO: (se levanta) Podemos conversar agora?

FRANCESCA: (olhando Gigio) Sobre o que?

GIGIO: Podemos ou não?

FRANCESCA: Podemos se você não for agressivo.

GIGIO: Não vou ser.

FRANCESCA: Vamos subir então, aqui as paredes tem ouvidos.

 

Cena 3

Suíte de Gigio e Francesca

 

FRANCESCA: (entra com Gigio).

GIGIO: (olhando Francesca) Há um tempo quando te vi aos beijos com Adalberto, você me disse que estava arrependida, que não faria mais, eu acreditei em você, por que fez de novo?

FRANCESCA: (olhando Gigio) Você quer a verdade, terá, não suporto ficar sozinha, quero um marido presente e não um marido para dizer que tenho, fico entediada ao seu lado, quando você não está trabalhando está com seus amigos.

GIGIO: Você nunca quer sair comigo!

FRANCESCA: Por que você me deixa de lado! (se senta).

GIGIO: (olhando Francesca, se senta ao lado dela) Eu te amo… Não teria me casado se não estivesse muito apaixonado, e é por isso que eu te dei uma chance.

FRANCESCA: Você não me ama, você me tem como um troféu que exibe para os amigos.

GIGIO: Amo sim e de verdade. (segura a mão de Francesca a olha muito) Amanhã faremos treze anos de casamento… Quero tentar recomeçar.

FRANCESCA: (se levanta) Recomeçar o que? Um casamento fracassado?

GIGIO: (se levanta se aproxima de Francesca a olha) Não, vamos tentar recuperar nosso casamento quando éramos felizes.

FRANCESCA: (olhando Gigio) Isso já foi há muito tempo…

GIGIO: Eu vou tentar mudar, ficar mais ao seu lado.

FRANCESCA: (sorri) Impossível mudar, mas eu aceito a sua proposta Gigio, vamos tentar.

GIGIO: (beija Francesca a olha nos olhos) Ótimo, e se eu souber de mais um encontro seu com Adalberto, vou contar tudo para Carmela e depois mando acabar com a vida dele.

FRANCESCA: Você não disse que iria mudar?

GIGIO: (sorri) A partir de amanhã.

 

Cena 4

Dia seguinte – Manhã – Mansão Ferreto – Sala de Jantar

 

SALVATORE: (está tomando café).

FILOMENA: (entra, se senta) Bom dia babbo.

SALVATORE: Bom dia querida, acordou cedo.

FILOMENA: É eu vou até o frigorífico. (olha Salvatore) Você está se sentindo bem?

SALVATORE: (sorri) Estou querida, grazie, e eu também vou ao frigorífico, mas vou depois de visitar Carmela, estou com saudades dela e da minha neta. (sorri).

FILOMENA: (olha Salvatore) Se elas morassem aqui como sugeri não teríamos que ficar indo até lá toda hora.

SALVATORE: Você esqueceu que junto com elas viria aquele infeliz do Adalberto, não suporto ele.

FILOMENA: Eu também não.

GIGIO: (entra, se senta) Bom dia. (sorri).

FILOMENA: (não responde).

SALVATORE: Bom dia Gigio, está melhor?

GIGIO: Ótimo, Cesca e eu fizemos as pazes e hoje á noite vamos fazer um jantar especial aqui mesmo pelo nosso aniversário de casamento. (olha Filomena) Convide seu noivo.

FILOMENA: (se levanta) Já vou indo babbo.

SALVATORE: Mas você nem tomou café amore.

FILOMENA: Pois é, a presença de algumas pessoas me dão enjôo. (beija o rosto de Salvatore, sai).

GIGIO: (sorri).

 

Cena 5

Sala

 

FRANCESCA: (olha Filomena) Bom dia sorella.

FILOMENA: O dia ficaria bom se não começasse olhando para Gigio.

FRANCESCA: Bem vinda ao meu mundo.

FILOMENA: Ele disse que vocês se reconciliaram, porque você fez isso?

FRANCESCA: Para que ele me deixe em paz, não acredito na mudança dele, Gigio está cada dia pior, insuportável.

ROMANA: (descendo as escadas).

FILOMENA: Gigio teve a cara de pau de me dizer que tudo que eu faço para o babbo é de caso pensando, para ele me deixar no lugar dele.

ROMANA: E está certíssimo. (sorri).

FILOMENA: Não está não!

ROMANA: Você só falta dar comida na boca do babbo, faz de tudo para que ele te veja como uma substituta.

FILOMENA: (olhando Romana) Eu não acredito no que estou ouvindo, eu faço sim tudo pelo babbo, mas porque o amo, não tenho culpa se você não faz nada, e eu não quero substituir ninguém, quero o babbo ao meu lado, com vida, é incabível pensarem essas coisas de mim. (sai).

FRANCESCA: Romana você pensa antes de falar?

ROMANA: (sorri) Sou direta, não preciso de frases feitas.

 

Cena 6

Frigorífico Ferreto – Administração

 

LEONTINA: (está organizando alguns documentos).

MARCELO: (se aproxima) Você quer falar comigo?

LEONTINA: Quero sim, duas coisas, a primeira é para você levar esses documentos no cartório. (entrega á Marcelo uma pasta, o olha) E a outra é sobre você ter saído com Romana ontem.

MARCELO: (pega a pasta, olha Leontina) O que tem eu ter saído com ela?

LEONTINA: Marcelo… Eu não quero me meter na sua vida, mas você sabe que é como um filho para mim, não quero que nada te prejudique, ou te machuque.

MARCELO: (sorri) Não vai, não se preocupe. (sai).

LEONTINA: (pensativa).

ELISEO: (se aproxima) Bom dia Leontina, a Filomena já chegou?

LEONTINA: Ainda não… Aconteceu alguma coisa? Você está tenso.

ELISEO: Ainda não aconteceu nada, mas vai…

 

Cena 7

Mansão Vasconcellos – Sala

 

CARMELA: (está com Isabela no colo).

ADALBERTO: (se aproxima) Cacá eu vou ver a minha mãe, não demoro.

CARMELA: Não Adalberto, espera um pouco, o babbo está vindo aqui.

ADALBERTO: É por isso que vou sair você sabe que ele e eu não nos damos bem.

CARMELA: Já está na hora de vocês se acertarem.

ADALBERTO: (se aproxima, olha Isabela, beija a testa dela, beija Carmela a olha) É impossível, é como se a minha mãe se acertasse com você ou suas irmãs.

CARMELA: (da risada) Isso é verdade… Mas o meu babbo não chega a ser como a sua mãe, ela nos olha como se fossemos nada.

ADALBERTO: Me olham assim também Cacá.

SALVATORE: (entra, olha Carmela sorri) Bom dia minha querida.

ADALBERTO: (fica sério).

CARMELA: (sorri, abraça Salvatore) Babbo, bom dia.

SALVATORE: (pega Isabela) Eu vim matar a saudades de vocês duas.

ADALBERTO: Como vai seu Salvatore?

SALVATORE: (olha sério para Adalberto) Bene… Precisamos conversar.

ADALBERTO: Agora não dá, estava de saída, com licença. (sai).

CARMELA: (olha Salvatore) O que você quer falar com ele babbo?

SALVATORE: (sorri para Carmela) Nada demais querida. (se senta).

CARMELA: (se senta ao lado de Salvatore, sorri) Viu como a minha filha está linda.

SALVATORE: (sorri) Sim, uma verdadeira princesa… Carmela, eu vou te perguntar uma coisa e quero que seja sincera.

CARMELA: Pode perguntar.

SALVATORE: (olha Carmela) Você está dando dinheiro a Adalberto?

CARMELA: (nervosa, disfarça) Babbo… Depende do que você está se referindo.

SALVATORE: De modo geral minha filha, está dando dinheiro a ele ou não?

CARMELA: Bem… Sim, mas foi só uma vez esse mês.

SALVATORE: Não quero que você sustente os vícios e nem que pague as dividas que ele faz por ai, ele não merece isso, está falindo a família dele e vai falir a nossa se você continuar a banca – lo.

CARMELA: Não é para tanto babbo.

SALVATORE: É sim, o dinheiro que você tem é para você e sua filha, se eu souber que está gastando com ele, tiro tudo de você e pelo seu bem.

CARMELA: Pode deixar babbo, não vou mais dar dinheiro para Adalberto.

SALVATORE: (acaricia o rosto de Carmela) Bom muito bom querida. (sorri).

 

Cena 8

Frigorífico Ferreto – Escritório de Filomena

 

FILOMENA: (entra com Eliseo) Você me deixou curiosa quando me pediu para vir as pressas, o que está acontecendo? (se senta).

ELISEO: (se senta, coloca uma pasta na mesa, olha Filomena) Eu prefiro contar á você primeiro, eu estava fazendo o relatório que seu babbo meu pediu, quando percebi que as contas não batem.

FILOMENA: (olhando Eliseo) Como assim não batem?

ELISEO: (olhando Filomena) Esse mês as vendas foram ótimas, porem os lucros não batem de acordo com essas vendas, ou seja, vendemos muito e recebemos pouco, dai eu comecei a fazer relatórios de outros meses passados, e descobri que aconteceu a mesma coisa.

FILOMENA: (olhando Eliseo) Como isso aconteceu sem que ninguém percebesse.

ELISEO: Não tinha como não perceber, alguém está pegando o que falta, porque eu tenho certeza do que estou falando.

FILOMENA: (séria, pensativa) Somente duas pessoas podem estar por trás desse roubo, o contador e Gigio.

ELISEO: Você vai contar ao Salvatore?

FILOMENA: Ainda não, tenho medo que babbo fique nervoso e passe mal, eu mesma vou resolver isso.

ELISEO: (sorri) É admirável como você cuida dele.

FILOMENA: (olhando Eliseo) Pelo menos uma pessoa está vendo como realmente é, e não achar que faço de caso pensado.

ELISEO: Quem fala isso é porque não te conhece como eu te conheço. (sorri).

FILOMENA: (sorri) Para com isso, porque agora não é hora… (séria) Agora tenho que falar com Gigio Di Angelis.

 

Cena 9

Mais Tarde – Frigorífico Ferreto – Sala de Gigio

 

GIGIO: (entra com Romana) Eu até estranhei quando você me pediu para vir comigo Romana.

ROMANA: (sorri) Eu quero te apresentar uma pessoa, acho que vocês vão se dar bem.

GIGIO: (se senta) É mesmo? Do que se trata?

ROMANA: Ele se chama Marcelo, e trabalha aqui de Office boy, eu ontem sai com ele e conversamos muito, o achei determinado e inteligente, foi ai que me lembrei que você estava procurando alguém para te ajudar aqui.

GIGIO: Ainda estou, não consegui achar alguém capaz de resolver as coisas que preciso.

MARCELO: (entra) Com licença.

ROMANA: (sorri) Acabou de encontrar Gigio, esse é Marcelo Rossi, a pessoa de quem estava falando.

GIGIO: (olhando Marcelo) Eu o conheço, só não sabia das qualidades que Romana me descreveu ao seu respeito.

MARCELO: Foi é?… O que estou perdendo? (sorri).

LEONTINA: (entra) Com licença seu Gigio, a dona Filomena quer falar com o senhor, disse que é urgente.

GIGIO: Diga a ela que estou ocupado, nos falamos depois.

LEONTINA: Sim senhor, com licença. (sai).

GIGIO: (olha Marcelo) Estou precisando de um secretário, até agora não achei ninguém capaz de me ajudar, você acha que consegue resolver coisas dentro e fora do frigorífico?

MARCELO: (olha Gigio) Não acho, tenho certeza que consigo.

GIGIO: (sorri) Já é um bom começo.

FILOMENA: (entra, está brava) Eu quero falar com você agora! Não me mande esperar porque aqui o empregado é você! (encara Gigio).

 

Cena 10

Apartamento de Adalberto – Sala

 

FRANCESCA: (entra).

ADALBERTO: Eu fiquei muito feliz com a sua ligação. (se aproxima de Francesca).

FRANCESCA: (olhando Adalberto) Não vim aqui para namorar… Vim por um motivo diferente, preciso que você compreenda.

ADALBERTO: O que foi?

FRANCESCA: Não vamos poder nos ver um tempo.

ADALBERTO: Eu não aceito isso e você sabe, já basta tudo que passei para poder ficar ao seu lado.

FRANCESCA: Entenda querido… Gigio está em cima de mim, ele é perigoso, me ameaçou ontem, não quero que Carmela saiba de nós, ela jamais irá me perdoar.

ADALBERTO: (chateado, a olha muito) Você gosta de mim?

FRANCESCA: (olhando Adalberto) Você sabe que sim querido, por gostar de você que estou fazendo isso, vamos ficar um tempo afastados, assim Gigio pensa que realmente não temos mais nada.

ADALBERTO: (beija Francesca a olha) Porque não fugimos?

FRANCESCA: (da risada) Pra onde Adalberto? Vamos viver como dois hippies perambulando por ai? Não querido, não sou mulher de fugir, mas sim de ficar e encarar os fatos.

ADALBERTO: Quanto tempo vamos ficar afastados?

FRANCESCA: (beija Adalberto o olha nos olhos) Quando for a hora do tempo acabar eu te chamo. (sorri, o beija de novo) Mas agora tenho que ir, hoje á noite Gigio quer todos em casa para comemorar o aniversario do nosso casamento.

ADALBERTO: Eu não vou participar dessa palhaçada.

FRANCESCA: Eu mesma não gostaria, mas ele quer e eu estou entrando no joguinho dele, você terá que ir por causa da Carmela, ela não pode suspeitar de nada e Gigio concorda, mesmo querendo te matar.

ADALBERTO: Vou dar um jeito para não ir…

FRANCESCA: (olhando Adalberto, acaricia o rosto dele) Sei que é difícil querido, mas vá para manter as aparências, se você não for ele vai desconfiar.

ADALBERTO: Tudo bem… Vou por você.

FRANCESCA: (sorri) Grazie. (beija Adalberto).

 

Cena 11

Frigorífico Ferreto – Sala de Gigio

 

GIGIO: (se levanta, olha Filomena com raiva) Você não tem o direito de entrar aqui assim.

ROMANA: A coisa vai ficar feia Marcelo, briga de feras, vamos sair, depois voltamos. (sai com Marcelo).

FILOMENA: (olhando Gigio) Eu entro a hora que quiser e como eu quiser, essa empresa é minha.

GIGIO: O que você quer?

FILOMENA: (encara Gigio, joga a pasta que Eliseo deu a ela em Gigio) Falar sobre esses relatórios feitos por Eliseo.

GIGIO: (segura a pasta, abre) O que tem isso?

FILOMENA: Consta ai que vendemos mais do que recebemos.

GIGIO: (olhando os relatórios, disfarça, fecha a pasta, joga em cima da mesa) Manda seu noivinho refazer essas contas, não há nada de errado nos livros, eu mesmo cuido dessa parte.

FILOMENA: Eu sei, e confio plenamente no que Eliseo me disse, e tenho certeza que é você que está pegando o dinheiro daqui.

GIGIO: (com raiva encara Filomena).

 

Fim do Capítulo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s