Ferreto – capítulo 7

TELEGLOBO

APRESENTA

 

b75e75f3-7633-4d2b-b2ab-12878c3a1ff3

Série inspirada e baseada no núcleo Ferreto da novela A Próxima Vítima, escrita por Silvio de Abreu com colaboração de Alcides Nogueira e Maria Adelaide Amaral, exibida pela Rede Globo em 1995. A minha intenção ao escrever a série é homenagear os 20 anos da novela, contando o passado das personagens Ferreto, a criação do roteiro e parte do enredo é de minha autoria, coisas ditas na novela pelas personagens formam a composição do enredo. Deixo claro que a Rede Globo, os autores Silvio de Abreu, Alcides Nogueira e Maria Adelaide Amaral, não tem vinculo algum com a série faço por conta própria.

Débora Costa

f6cd271b-38f6-4a3a-90e4-2e707934a674

Capítulo 7

Cena 1

Frigorífico Ferreto – Sala de Gigio

 

GIGIO: (olhando Francesca) Filomena encheu a sua cabeça contra mim e você foi mexer nas minhas coisas não é?

FRANCESCA: Gigio poupe sua conversa furada, eu nunca soube da existência dessa conta, e aqui tem muito dinheiro.

GIGIO: (se aproxima de Francesca, a olha nos olhos) Eu nunca roubei um centavo daqui, essa conta eu abri para uma emergência.

FRANCESCA: É mesmo, e porque nunca me contou?

GIGIO: Não tinha porque contar amore, é um fundo de emergência, usaria quando fosse preciso.

MARCELO: (entra) Com licença… Carlos pediu para te chamar Gigio.

GIGIO: Ótimo, não poderia ser em hora melhor, faço questão que você fique Cesca, assim que Filomena chegar vou provar a vocês que sou inocente, já volto. (sai).

FRANCESCA: (olha Marcelo) Então não era uma brincadeira de Gigio, ele realmente te contratou.

MARCELO: (sorri) Por que isso te incomoda tanto?

FRANCESCA: (sorri) Não me incomoda.

MARCELO: (olhando Francesca) É bom saber disso.

FILOMENA: (entra, olha Francesca) Você aqui?

FRANCESCA: Eu vim falar com Gigio sobre algo que eu descobri.

FILOMENA: (olha Marcelo) Isso é um assunto de família, pode sair.

MARCELO: (olha Filomena) Você vai me desculpar, mas Gigio pediu que eu ficasse.

FILOMENA: (séria) Não desculpo e se você não sair imediatamente dessa sala, vou chamar a segurança e quero ver quem será capaz de te trazer de volta!

MARCELO: (sorri um pouco, olha Filomena, sai).

FRANCESCA: Por que você odeio o Marcelo?

FILOMENA: Não o odeio, mas me irrita só de lembrar o que aconteceu ontem por causa dele.

GIGIO: (entra com Carlos, olha Filomena) Você exagerou hein, Marcelo é meu secretário.

FILOMENA: É um assunto de família. (olha Carlos) Então, vocês vão confessar que estão nos roubando?

GIGIO: (olhando Filomena, sério).

 

Cena 2

Mansão Ferreto – Sala

 

ROMANA: (está olhando uma agenda).

SALVATORE: (se aproxima) O que está fazendo filha?

ROMANA: (sorri) Pegando o telefone de alguns amigos que Gigio pediu para chamar.

SALVATORE: Eu estou torcendo para que esse casamento volte a ser o que era.

ROMANA: Acho difícil babbo… Você conhece Cesca tão bem quanto eu e ela não suporta mais os ataques de Gigio, e nem como ele a deixa de lado.

SALVATORE: Talvez se… Cesca tivesse filhos…

ROMANA: Seria mil vezes pior babbo, há males que vem para o bem, você já parou para pensar como uma criança se sentiria no meio dessa guerra? Sim porque Cesca jamais deixaria de ser ela só porque teve um filho, e eu então? O senhor me imagina como mãe?

SALVATORE: (sorri) É difícil…

ROMANA: Então, apenas Carmela teve uma filha, ela sim tem jeito para ser mãe.

SALVATORE: Filomena ainda não sabe se pode ou não.

ROMANA: (olha Salvatore) Ela sabe sim babbo, e é por isso que não quer ter certeza absoluta indo ao médico, mas ela assim como Cesca e eu, não pode ter filhos, posso apostar com o senhor.

SALVATORE: (pensativo, chateado).

 

Cena 3

Frigorífico Ferreto – Sala de Gigio

 

CARLOS: Eu trouxe os livros que Eliseo viu e disse que estava faltando parte dos lucros.

FILOMENA: Eu também vi.

ELISEO: (entra) Com licença.

GIGIO: Pronto, agora sim eu vou falar, não há erros nesses livros.

ELISEO: Claro que há Gigio, está faltando metade dos lucros, os números das vendas não batem com os números dos lucros.

CARLOS: (entrega cópia dos livros para todos) Podem conferir, nada está faltando, você se equivocou nas contas.

ELISEO: (olhando os livros) Não é possível… Até ontem esses números não batiam, você viu Filomena.

FILOMENA: (olhando Gigio) Vou mandar abrir uma investigação.

FRANCESCA: Ótima idéia tem meu apoio.

CARLOS: Não é necessário, nada está faltando aqui como todos viram.

GIGIO: Concordo com a Filomena… Agora estou curioso para saber se há roubo ou não.

CARLOS: (olha Gigio).

FILOMENA: (observa) Algum problema Carlos?

CARLOS: Nenhum…

FILOMENA: Então nos vemos em breve e a partir de agora quem cuida disso é Eliseo.

GIGIO: Filomena…

FILOMENA: (interrompendo Gigio) Já decidi. (sai).

FRANCESCA: (sorri) Até mais tarde querido. (sai).

ELISEO: (pega os livros olha Gigio) Eu tenho certeza do que descobri… Cedo ou tarde tudo vai para cima do telhado. (sai).

CARLOS: (nervoso) Por que você deixou elas abrirem a investigação! Elas vão descobrir que estamos tirando dinheiro daqui!

GIGIO: (olhando Carlos) Depois eu resolvo isso, pode sair.

CARLOS: Olha lá o que você vai fazer Gigio… (sai).

GIGIO: (se senta) Elas vão descobrir que você está roubando Carlos… Você. (sorri).

 

Cena 4

Corredor

 

FRANCESCA: (alcança Filomena) Espera Filó, quero te mostrar uma coisa que descobri.

FILOMENA: O que é?

FRANCESCA: Melhor entrarmos na sua sala.

FILOMENA: Va bene. (se vira para voltar).

LEONEL: (esbarra em Filomena sem querer) Desculpa. (a olha sorri) Olha só… A pessoa que queria encontrar, como vai Filomena?

FILOMENA: (olhando Leonel) O que você está fazendo aqui?

LEONEL: Eu te fiz uma pergunta primeiro. (sorri).

FILOMENA: Sai da minha frente. (entra em sua sala).

FRANCESCA: (sorri olha Leonel) Acho melhor você não fazer isso.

LEONEL: (da risada, olha Francesca) Fazer o que Cesca?

FRANCESCA: Você veio atrás dela numa péssima hora.

LEONEL: (sorri) Eu não vim atrás dela, vim para oferecer uma sociedade á Salvatore.

FRANCESCA: Sei… Cuidado Leonel, não apronte das suas. (entra na sala de Filomena).

LEONEL: (sorri).

 

Cena 5

Mansão Vasconcellos – Sala

 

ARTHUR: (nervoso, olha Adalberto) Eu não vou te dar mais um centavo! Você está acabando com tudo que temos, eu já me prejudiquei muito para quitar suas dividas!

ADALBERTO: Papai só dessa vez, se eu não pagar essa divida eles vão me cobrar em breve e você sabe como eles agem.

ARTHUR: Problema seu! Pede dinheiro para sua italianinha.

ADALBERTO: O pai dela a proibiu de dar dinheiro para mim.

ARTHUR: Se vira! Não vou te dar mais nada!

ADALBERTO: (olha Arthur com raiva) Sou seu único filho e quando te peço ajuda você nega.

ARTHUR: É a primeira vez que te nego, e espero que você nunca mais jogue, quando vai aprender que você é um péssimo jogador.

ADALBERTO: Como você disse isso é um problema meu… Vou dar um jeito você vai ver.

 

Cena 6

Noite – Restaurante

 

ROMANA: Eu gosto muito desse lugar, tem gente conhecida, boa música, é muito bom você vai gostar.

MARCELO: (sorri, olha Romana) Você sempre está de bom humor, e tem uma energia inesgotável.

ROMANA: (da risada, olha Marcelo) E por que eu haveria de viver esbravejando por ai? Não Marcelo a vida foi feita para se divertir.

MARCELO: Carmela disse que você não se prende a compromissos, fiquei curioso, porque estamos juntos e quero saber até onde as coisas vão. (sorri).

ROMANA: (beija Marcelo, o olha sorri) Não pense no futuro, viva o presente Marcelo.

MARCELO: (sorri) Não me deixa sem resposta Romana.

ROMANA: (toma um pouco de champanhe, olha Marcelo) Tudo bem eu falo, nunca fiquei muito tempo com uma pessoa porque nunca senti que deveria ficar… Diferente de você que é diferente dos homens com quem me relacionei.

MARCELO: Diferente você quer dizer pobre.

ROMANA: (da risada) Não, eu me refiro a conversa, modo de ver as coisas, por exemplo, agora, estamos tendo essa conversa mais séria, se fosse um dos que estou acostumada estaríamos enchendo a cara e jogando conversa fora.

MARCELO: Você não é de jogar conversa fora.

ROMANA: (sorri) Para conquistar alguém você tem que entrar no mundo da pessoa, e se ela gosta de jogar conversa fora… (sorri).

MARCELO: (sorri) Você é inteligente, gosto disso, e família? Você já se viu casada, com filhos…

ROMANA: (da risada, bebe champanhe) Marcelo que conversa mais chata.

MARCELO: Eu tenho vontade de ter uma família, acho que porque perdi meus pais muito cedo… Quero me casar e ter muitos filhos. (sorri).

ROMANA: (olhando Marcelo nos olhos) É… Estou vendo… Mas eu não quero nada disso.

MARCELO: (olhando Romana) Por que não?

ROMANA: (termina o champanhe, se levanta, puxa Marcelo pela mão o olha sorri) Vamos dançar Marcelo, vamos nos divertir no lugar de ficar aqui e conversar sobre coisas cansativas. (beija Marcelo, o leva para a pista de dança).

 

Cena 7

Mansão Ferreto – Suíte de Filomena

 

FILOMENA: (está arrumando as malas).

ELISEO: (entra a olha) Posso falar com você agora?

FILOMENA: Não, babbo não vai gostar de te ver aqui.

ELISEO: (se aproxima a olha) Ele deixou eu vir aqui falar com você, acabou seus pretextos.

FILOMENA: Não é pretexto, é falta de paciência para ouvir a mesma coisa.

ELISEO: Filó… Eu vi, você e aquele infeliz quase se beijando.

FILOMENA: (olha Eliseo) Foi impressão sua, alias como sempre, você vê coisas onde não tem.

ELISEO: (a olhando) Você gosta dele?

FILOMENA: (séria) Me faz um favor? Quando você sair fecha a porta. (volta a arrumar as malas).

ELISEO: (fecha a mala, segura a mão dela a olha) Responde…

FILOMENA: (solta a mão de Eliseo, se afasta, nervosa) Essa sua pergunta é a mesma que você faz nesse tempo todo que estamos juntos, você já sabe a resposta, e se me perguntar mais uma vez você nunca mais fala comigo!

ELISEO: (fica chateado) Tudo bem… (vai saindo).

FILOMENA: (o olha saindo, se acalma) Espera…

ELISEO: (a olha).

FILOMENA: Desculpa, não queria falar assim com você, estou com alguns problemas e acabei descontando em você.

ELISEO: (se aproxima dela a olha) Eu sei o que vi.

FILOMENA: Você não viu nada, porque se não saberia que estávamos discutindo, e como ele não sabe argumentar perdeu o controle.

ELISEO: Não gosto de te ver perto dele, por mim ele iria morar em outro país.

FILOMENA: Para com esse ciúme, não tem sentido, eu não o suporto, ele é rude, baixo, me dá repulsa.

ELISEO: De jeito ou de outro ele mexe com você.

FILOMENA: Eliseo per Dio para com isso, eu preciso terminar de fazer as minhas malas, descobrir que Gigio tem uma conta na Suíça, babbo não estava se sentindo bem, a última coisa que preciso agora é ouvir esse disco riscado.

ELISEO: Você vai viajar?

FILOMENA: Vou para a fazenda no fim de semana, babbo disse que tem um assunto para resolver lá. (o olha) E deixou você ir comigo.

ELISEO: (sorri) É sério? Vamos ficar o fim de semana na fazenda?

FILOMENA: Não, eu estou fazendo as malas porque adoro perder tempo.

ELISEO: (a olha sorri) Hoje você está com a corda toda.

FILOMENA: Não se anima muito não, você só vai comigo se parar com essas perguntas inúteis.

ELISEO: (coloca a mão no rosto dela, a olha) Eu tenho medo de perder você.

FILOMENA: (segura a mão dele o olha) Não vai, eu amo você.

ELISEO: (sorri) Também te amo. (a beija).

SALVATORE: (entra) Essa era a conversa que você queria ter?

ELISEO: (olha Salvatore sorri) Não, já falei com ela.

SALVATORE: (sorri) Filha eu vim chamar vocês para jantar.

FILOMENA: Já vou babbo.

SALVATORE: Temos uma visita, meu amigo Leonel está aqui.

FILOMENA: (olhando Salvatore) Ele vai jantar conosco?

SALVATORE: Sim, e vai passar uns dias aqui.

FILOMENA: (espantada) Por quê?

SALVATORE: Ele quer me mostrar uns projetos que tem, veio de longe amore, não poderia deixar ele em qualquer hotel.

FILOMENA: Ele tem dinheiro para pagar o melhor hotel dessa cidade, não gosto dele…

SALVATORE: Já fiz o convite e ele já aceitou filha, vou descer ele está me esperando. (sai).

ELISEO: (olha Filomena) Quem é esse Leonel?

FILOMENA: (nervosa) É uma praga! É isso que ele é.

 

Cena 8

Clube – Bar

 

GIGIO: (está dançando com Francesca).

FRANCESCA: (olha Gigio sorri) Tinha esquecido desse seu lado… Adoro dançar com você.

GIGIO: (beija Francesca, a olha sorri) Te amo tanto Cesca, tanto.

FRANCESCA: As vezes não acredito nesse amor.

GIGIO: Acredite porque é de verdade. (sorri, fala no ouvido dela) Que tal irmos para um hotel.

FRANCESCA: (sorri, beija Gigio) Eu vou adorar querido.

HÉLIO: (se aproxima sorri) Desculpa interromper.

GIGIO: (cumprimenta Hélio, sorri) Hélio! Que bom te ver aqui.

HÉLIO: Como vai Cesca? (a olha nos olhos sorri).

FRANCESCA: (sorri) Bem.

HÉLIO: Gigio você se lembra dos nossos colegas do quinto ano?

GIGIO: Claro que me lembro, foi uma turma inesquecível, aprontávamos muito. (da risada).

HÉLIO: E como, então três deles estão aqui, vamos lá falar com eles?

FRANCESCA: (olha Gigio).

GIGIO: (olha Francesca) Amore vamos até lá cumprimentar os rapazes e saímos.

FRANCESCA: (olhando Gigio, sorri) Eu vou para a casa.

GIGIO: Não, espera aqui, prometo que não demoro.

HÉLIO: Cinco minutinhos Cesca.

FRANCESCA: Se for assim eu espero aqui.

GIGIO: (sorri, beija Francesca) Não demoro. (sai com Hélio).

FRANCESCA: (se senta, está com raiva) Se não voltar daqui cinco minutos vai se arrepender.

 

Cena 9

Mansão de Adalberto e Carmela – Suíte

 

CARMELA: (está dormindo).

ADALBERTO: (deitado ao lado de Carmela, pensativo, preocupado, se levanta, pega a bolsa de Carmela, sai).

 

Cena 10

Sala

 

ADALBERTO: (se senta no sofá, abre a bolsa de Carmela, começa a vasculhar, encontra um cheque assinado por Salvatore, pega uma folha, copia a assinatura, guarda o cheque na bolsa, esconde o papel com a assinatura falsa de Salvatore, sobe as escadas).

 

Cena 11

Suíte

ADALBERTO: (coloca a bolsa no mesmo lugar em que estava se deita, pensativo).

 

Cena 12

Mansão Ferreto – Sala

 

ROMANA: (entra).

ELISEO: (a olha sorri) Oi Romana.

ROMANA: (sorri) Oi, sua noivinha te abandonou aqui?

ELISEO: Não, ela foi se arrumar, não quer jantar aqui.

ROMANA: O que foi agora?

ELISEO: Seu pai convidou um amigo dele para passar uns dias aqui e Filó não gosta dele, disse que o tal Leonel e ela não se dão bem.

ROMANA: Leonel Boaventura está aqui?

ELISEO: Está.

ROMANA: (da risada) E Filomena teve a cara de pau de falar que não se dá bem com ele?

ELISEO: (olhando Romana) Como assim…

ROMANA: (olha Eliseo) Se minha sorella fosse uma pessoa melhor eu até não te contaria, mas ela depois de tudo que fez merece.

ELISEO: Então conta logo.

ROMANA: (olhando Eliseo) Se Leonel está nessa casa, é por causa dela.

FILOMENA: (descendo as escadas).

ROMANA: (olha Filomena sorri) Chegou na hora sorella.

FILOMENA: É?… Para que?

ROMANA: Eu estava contando ao Eliseo sobre Leonel, e bem na hora que eu iria contar do caso que tiverem você chegou. (sorri).

FILOMENA: (olha Romana com raiva).

Cena 13

Clube – Bar

 

FRANCESCA: (está sentada, nervosa, olha o horário, se levanta, vai até onde tem um telefone, disca uns números) Alô… Sim sou eu, presta atenção, preciso que você chame Adalberto para mim, diga a ele que estarei esperando por ele no apartamento, obrigada. (desliga, sai).

 

Cena 14

Mais Tarde – Apartamento de Adalberto

 

ADALBERTO: (entra, olha Francesca sorri) Quando recebi o seu recado não acreditei.

FRANCESCA: (se aproxima de Adalberto, sorri) Eu senti a sua falta meu querido. (beija Adalberto com vontade).

 

Fim do Capítulo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s