Ferreto – capítulo 12

 

 Ferreto

Série inspirada e baseada no núcleo Ferreto da novela A Próxima Vítima, escrita por Silvio de Abreu com colaboração de Alcides Nogueira e Maria Adelaide Amaral, exibida pela Rede Globo em 1995. A minha intenção ao escrever a série é homenagear os 20 anos da novela, contando o passado das personagens Ferreto, a criação do roteiro e parte do enredo é de minha autoria, coisas ditas na novela pelas personagens formam a composição do enredo. Deixo claro que a Rede Globo, os autores Silvio de Abreu, Alcides Nogueira e Maria Adelaide Amaral, não tem vinculo algum com a série faço por conta própria.

Débora Costa

f6cd271b-38f6-4a3a-90e4-2e707934a674

 

Capítulo 12

Cena 1

Noite – Campos do Jordão – Rua

 

FRANCESCA: (beijando Marcelo, o olha sorri) Isso pode ser perigoso sabia…

MARCELO: (sorri) É bom correr riscos de vez em quando.

FRANCESCA: (percebe uma movimentação) O que será que aconteceu ali?

MARCELO: (observa) Não sei… Parece que tem uma pessoa caída no chão.

FRANCESCA: (observa, olha o sapato do homem caído, fica preocupada) Eu quero ver quem é o homem que está caído no chão.

MARCELO: Mas por quê? Vamos voltar ao hotel.

FRANCESCA: (nervosa) Não, eu acho que é babbo que está ali. (vai correndo até onde está o homem caído, pede licença ás pessoas que estão o cercando, olha Salvatore desacordado, fica desesperada, se ajoelha ao lado dele) Babbo! Fala comigo. (segura a mão de Salvatore).

MARCELO: (se aproxima, olha Salvatore caído) Meu Deus, o que será que aconteceu?

FRANCESCA: (chorando) Não sei, vai chamar uma ambulância! Babbo tem problema de coração, ele está gelado.

MARCELO: Não demoro. (corre para achar um telefone).

FRANCESCA: (nervosa, olha as pessoas em volta) Eu quero todo mundo fora daqui! Saiam de perto do meu babbo, isso não é atração turística! Fora daqui todo mundo! (olha Salvatore desacordado, chora, acaricia o rosto dele) Vai ficar tudo bem…

 

Cena 2

Hotel – Suíte de Gigio e Francesca

 

ROMANA: (entra) Gigio você sabe me dizer onde está Marcelo?

GIGIO: Ele foi procurar Francesca e até agora não voltou.

ROMANA: Eu não acredito que você o mandou atrás dela, você é o marido, você deveria ter saído da sua zona de conforto e ido atrás dela e não mandar Marcelo.

GIGIO: Fica tranquila Romana, eu pedi á ele que conversasse com Cesca, que explicasse que me exaltei e me arrependi, daqui a pouco eles chegam.

ROMANA: Daqui a pouco? Tem horas que estou esperando.

GIGIO: Para de reclamar, e me deixa em paz.

ROMANA: Nossa… O que será que minha sorella fez para te deixar assim. (sorri). A renovação dos votos não valeu de nada?

GIGIO: (olha sério para Romana) Você já viu que Marcelo não está aqui, portanto, retire – se porque não estou com o humor para ouvir suas gracinhas.

ROMANA: (olhando Gigio) É… Pelo jeito ela fez uma festinha particular. (da risada, sai).

GIGIO: (fica com raiva, pega um objeto, joga na parede) Inferno!

 

Cena 3

Fazenda – Sala de Jantar

 

ELISEO: (está jantando) Nós poderíamos levar essa cozinheira conosco amore. (sorri).

FILOMENA: (está pensativa, preocupada).

ELISEO: (a olha) Filó…

FILOMENA: (olha Eliseo) O que você disse?

ELISEO: (segura a mão dela a olha) O que você tem?

FILOMENA: Não sei… Estou assim desde quando falei com babbo… Uma sensação ruim, muito ruim.

ELISEO: Você ficou impressionada com o modo como ele falou com você, mas está tudo bem amore, não fica assim.

FILOMENA: (olha Eliseo, sorri um pouco) Pode ser isso mesmo.

ELISEO: Você nem tocou na comida, não sabe o que está perdendo. (sorri).

FILOMENA: Sei sim, a cozinheira daqui só não está na minha casa porque ela se recusa a sair da fazenda. (sorri, suspira) Mas estou sem fome, realmente estou sentindo uma coisa muito estranha…

 

Cena 4

Dia Seguinte – Manhã – Hospital – Sala de Espera

 

FRANCESCA: (está sentada pensativa, triste).

ROMANA: Estão demorando demais.

FRANCESCA: Gigio foi falar com o médico.

MARCELO: (se aproxima com dois copos de suco, entrega um para Francesca, outro para Romana).

ROMANA: Não quero Marcelo, grazie.

MARCELO: Toma, vai te fazer bem.

GIGIO: (se aproxima).

FRANCESCA: (se levanta, olha muito Gigio) E ai? Como babbo está?

GIGIO: (olha Francesca) Cesca… O estado de saúde do Salvatore é muito delicado.

ROMANA: (olhando Gigio) Ele corre algum risco de… morrer?

GIGIO: (olha Romana) Sim… Infelizmente sim.

ROMANA: (fecha os olhos, abraça Marcelo).

FRANCESCA: (chora) Gigio não podemos fazer nada?

GIGIO: Fica calma Cesca, eu já pedi para transferirem ele á São Paulo, aqui não tem muitos recursos para o caso dele.

FRANCESCA: (se senta chorando).

GIGIO: (se senta ao lado de Francesca, a olha) Vai ficar tudo bem você vai ver.

FRANCESCA: (abraça Gigio, chora).

ROMANA: (enxuga ás lágrimas) Alguém já avisou Filomena e Carmela?

MARCELO: Eu liguei para as duas agora pouco, com Carmela consegui falar diretamente, mas Filomena não estava e deixei recado.

 

Cena 5

Fazenda – Sala

 

ELISEO: (entra).

EMPREGADA: (se aproxima aflita) Seu Eliseo que bom que chegou, aconteceu uma desgraça.

ELISEO: (preocupado) O que foi?

EMPREGADA: O seu Salvatore está entre a vida e a morte no hospital.

ELISEO: (olhando a empregada sem acreditar) Quem disse isso? O que aconteceu?

EMPREGADA: Eu não sei o que aconteceu direito porque o rapaz queria falar com dona Filomena, ele se chama Marcelo.

ELISEO: (fecha os olhos) Dio… Como vou falar isso para a Filó…

EMPREGADA: Ele deixou o telefone do hospital. (entrega o papel com o número anotado á Eliseo, vai para a cozinha).

FILOMENA: (entra, sorri) Caminhar aqui logo cedo é muito bom não é, você gostou?

ELISEO: (olha Filomena, sorri um pouco, está chateado) Gostei muito.

FILOMENA: (olhando Eliseo) Não parece, está com uma cara…

ELISEO: (se aproxima de Filomena, se senta com ela no sofá, segura a mão dela a olha) Eu tenho que te contar uma coisa.

FILOMENA: (olhando Eliseo) O que?

ELISEO: (suspira a olha) Salvatore está internado no hospital, a empregada não soube falar o que aconteceu direito, Marcelo ligou avisando.

FILOMENA: (olha muito Eliseo, se levanta) Nós temos que ir para lá agora!

ELISEO: (se levanta) Calma, eu vou ligar para o hospital e pedir informação.

FILOMENA: (aflita, com vontade de chorar) Então liga logo! E pede para falar com Cesca.

ELISEO: (se senta ao lado do telefone, liga para o hospital) Bom dia, eu quero falar com Francesca Ferreto… Obrigado. (tampa o telefone olha Filomena) Vão chamar.

GIGIO: Alô.

ELISEO: Gigio.

FILOMENA: Mas é um intrometido mesmo! Queria falar com a Cesca! (pega o telefone de Eliseo) Gigio, como está o babbo?

GIGIO: A situação é bem delicada.

FILOMENA: (as lagrimas escorrem) O que ele tem?

GIGIO: Salvatore teve outro infarto, eu pedi que o transferissem para São Paulo.

FILOMENA: E… Ele corre risco de… Morrer?

GIGIO: Sim…

FILOMENA: (desliga o telefone, se senta, está em choque).

ELISEO: (preocupado) O que ele falou?…

FILOMENA: (olha Eliseo) Babbo não pode me deixar assim… Eu sabia que não deveria ter deixado ele sozinho… Ele precisava de mim, e eu não estava lá…

ELISEO: (a olha) Nós vamos voltar agora para São Paulo e você vai dizer isso a ele.

FILOMENA: (fecha os olhos, chora).

ELISEO: (a abraça).

FILOMENA: (chorando) Ele é tudo pra mim… Não pode me deixar.

 

Cena 6

Mais Tarde – São Paulo – Hotel – Suíte de Desiré

 

LEONEL: (entra) Seja lá o que tem para me dizer seja breve, tenho que ir ao hospital ver Salvatore.

DESIRÉ: É ele que você quer ver?

LEONEL: O que você quer?

DESIRÉ: Que você volte para a casa, seus filhos precisam de você.

LEONEL: Não precisam, já são grandinhos, e se precisarem vou ajudar.

DESIRÉ: (se aproxima de Leonel) Eu preciso de você.

LEONEL: (sorri) Não, você precisa do meu dinheiro, se me der o divórcio posso te dar uma boa quantia.

DESIRÉ: Não vou te dar isso nunca Léo… Você está preso a mim.

LEONEL: Então não tenho nada o que fazer aqui.

DESIRÉ: Eu te amo Leonel! Volta comigo, por favor.

LEONEL: (olha nos olhos de Desiré) Eu nunca te amei, entenda isso.

DESIRÉ: Não fala assim…

LEONEL: Mas é verdade! Só me casei com você porque me convinha, eu não amava ninguém e como você estava disponível, me casei com você.

DESIRÉ: (olhando Leonel, está com raiva) Vou fazer da sua vida um inferno!

LEONEL: Não perca o seu tempo, nada do que você fizer vai me afetar.

DESIRÉ: (sorri) Mas vai afetar a sua amiguinha, pode ter certeza! Se você não vier comigo, vou me vingar.

LEONEL: (sério) E se não for embora daqui vou tirar meus filhos de você! (sai).

DESIRÉ: (está com raiva, grita) Você vai voltar comigo Leonel, querendo ou não.

 

Cena 7

Hospital – Sala de espera

 

FRANCESCA: (está sentada com a cabeça encostada na parede, triste).

MARCELO: (se aproxima com um copo de água) Pra você…

FRANCESCA: (pega o copo) Obrigada. (toma um pouco de água, olha Marcelo) E se ele nos viu? E se foi por isso que babbo passou mal?

MARCELO: Não pense assim, não se culpe, infelizmente aconteceu o que teria de acontecer, sem motivos.

FRANCESCA: (fecha os olhos, está mal) Não quero que o babbo se vá.

MARCELO: (se senta ao lado de Francesca a abraça) Vai ficar tudo bem.

ROMANA: (se aproxima, olha Marcelo abraçando Francesca, fica séria) Atrapalho?

MARCELO: (se levanta, olha Romana) Não… Eu estava consolando sua sorella.

ROMANA: (olhando Marcelo) Isso eu vi.

FRANCESCA: (se levanta) Não briguem atoa, e você fique tranquila Romana, jamais me envolveria com um Zé ninguém.

GIGIO: (se aproxima) Salvatore acordou, Carmela está com ele agora, só pode entrar um de cada vez.

FRANCESCA: Depois dela eu entro então.

 

Cena 8

Unidade de Terapia Intensiva

 

CARMELA: (está segurando a mão de Salvatore, o olha sorri) Babbo que bom te ver acordado, você nos deu um susto.

SALVATORE: (está com aparelhos ligados em seu corpo, está fraco, a olha) É bom te ver também querida, e suas sorellas?

CARMELA: Estão ai fora esperando a vez para entrar.

SALVATORE: Eu quero ver as quatro agora.

CARMELA: O médico disse que só pode uma por vez babbo.

SALVATORE: Diga ao médico que o paciente quer que as quatro filhas dele fiquem por perto e não uma de cada vez, por favor querida, chame suas sorellas.

CARMELA: (sorri) Está bem, não demoro. (sai).

SALVATORE: (olha para cima) Preciso de mais uns minutos… (as lagrimas escorrem).

 

Cena 9

Recepção

 

FILOMENA: (está acompanhada de Eliseo, entra, está triste).

ELISEO: Vou perguntar onde está o seu Salvatore. (vai falar com a recepcionista).

LEONEL: (entra, se aproxima) Oi…

FILOMENA: (olha Leonel) Léo, você estava junto quando babbo passou mal?

LEONEL: Não, eu estava no hotel, soube quando o internaram por lá.

ELISEO: (se aproxima, não gosta de ver Leonel, olha Filomena) Ele está no terceiro andar.

FILOMENA: Vamos até lá então. (entra no elevador).

ELISEO: (olha Leonel) Você não é da família, não precisa ficar aqui. (entra no elevador com Filomena).

 

Cena 10

Unidade de Terapia Intensiva

 

Romana, Carmela e Francesca estão ao lado da cama de Salvatore

SALVATORE: (olhando as três sorri) Agora sim… E Filomena?

FRANCESCA: Ainda não chegou, mas já está vindo babbo.

SALVATORE: (olhando Francesca, segura a mão dela) Filha… Há muito tempo você perdeu o brilho que tinha no olhar… Desejo que recupere, que seja feliz… Mas só tome cuidado para não magoar as pessoas em volta… Que te amam de verdade.

FRANCESCA: (segurando a mão de Salvatore, chora em silêncio, o olha) Pode deixar.

SALVATORE: (olha Romana sorri, segura a mão dela) Minha rebelde…

ROMANA: (sorri se segurando para não chorar) Faço o que tenho vontade…

SALVATORE: (sorri) Continue assim… Gosto de como você faz as coisas, mas brigue menos.

ROMANA: (beija a mão de Salvatore, sorri entre as lágrimas) Vou tentar, mas não prometer.

SALVATORE: (sorri) Imaginava essa resposta. (olha Carmela).

CARMELA: (chora).

SALVATORE: (segura a mão de Carmela) Continue assim… Doce, gentil, mas preste mais atenção nas atitudes das pessoas, nem todos são como você meu anjo.

CARMELA: Eu te amo babbo.

SALVATORE: (sorri) Também te amo, amo todas vocês.

FILOMENA: (entra, fica parada perto da porta, olha Salvatore) Eu fico longe de você um dia e olha onde te encontro…

SALVATORE: (olha Filomena, se senti aliviado) Que bom que você chegou a tempo…

FILOMENA: (se aproximando da cama) Vamos ter muito tempo…

SALVATORE: (estende a mão para Filomena).

FILOMENA: (segura a mão de Salvatore, se senta ao lado da cama, se contendo para não chorar o olha) Aposto que não tomou seu remédio direito.

SALVATORE: (sorri) Eu quero saber o que tem para me dizer.

FILOMENA: (abaixa a cabeça, chora, disfarça, olha Salvatore) Em casa eu te conto.

SALVATORE: (a olhando nos olhos) Conta agora…

FILOMENA: (suspira, olha Salvatore) Eu resolvi fazer o exame para saber se posso ou não ter filhos… E assim poder marcar de uma vez por todas a data do meu casamento.

SALVATORE: Independente do que der, case – se e seja feliz, eu sou feliz por ter você. (olha em volta) Vocês são minhas alegrias.

FILOMENA: (segurando a mão de Salvatore, o olha) Agora é melhor você descansar, em casa te dou o puxão de orelha que merece pelo susto que nos deu.

SALVATORE: (olha Filomena nos olhos) Cuide de tudo…

FILOMENA: Não fala assim… Você não pode me deixar, eu preciso tanto de você. (chora).

SALVATORE: (olha Filomena, Romana, Carmela e Francesca, as vê criança, sorri) É bom vê – lãs juntas… Nunca se esqueçam que eu amo vocês. (fecha os olhos).

FILOMENA: Babbo…

SALVATORE: (suspira, o aparelho faz barulho).

FRANCESCA: Eu vou chamar o médico. (sai desesperada).

FILOMENA: (olhando Salvatore, acaricia o rosto dele, chora, o abraça).

ROMANA: (se senta, chora).

CARMELA: (olhando Salvatore sem acreditar que ele morreu, chora).

FRANCESCA: (entra com o médico) Pronto…

FILOMENA: (olha Francesca).

FRANCESCA: (olhando Filomena, chora) Não adianta mais não é…

FILOMENA: (faz que não com a cabeça, olha a mão de Salvatore segurando a sua, tira aos pouco, chora).

 

Cena 11

Uma Semana Depois – Mansão Ferreto – Sala

 

FRANCESCA: (está olhando uma foto de Salvatore).

GIGIO: (entra acompanhado de Marcelo, olha Francesca) Cesca, você sabe se Filomena está?

FRANCESCA: Está no quarto dela e não quer ver ninguém.

GIGIO: Mas eu tenho que falar com ela. (sobe as escadas).

MARCELO: Como você está?

FRANCESCA: (olha Marcelo) Sentindo falta do babbo…

MARCELO: Eu imagino como deve estar sendo difícil, Romana não quis ir em três festas que teve essa semana.

FRANCESCA: (olhando Marcelo) Você ama Romana?

MARCELO: Por que quer saber?

FRANCESCA: Curiosidade.

ROMANA: (desce as escadas) A amizade de vocês cresce a cada dia, vira e mexe os encontro assim, conversando.

MARCELO: Não é amizade, é convivência, não se esqueça que eu trabalho para Gigio.

ROMANA: (se aproxima de Marcelo o olha sorri) Estavam falando sobre o que?

FRANCESCA: Seu namoradinho estava me importunando, eu vou lá saber dos negócios de Gigio, eu hein. (sai).

Cena 12

Suíte de Filomena

 

FILOMENA: (está olhando pela janela, triste).

GIGIO: (entra) Filomena preciso falar com você.

FILOMENA: Sai daqui, eu quero ficar sozinha.

GIGIO: Vou ser breve, o resultado da investigação que você mandou fazer saiu hoje. (coloca um envelope em cima da mesa).

FILOMENA: Não quero saber disso agora… Depois eu olho com calma.

GIGIO: (olhando Filomena) Você ainda está nesse teatrinho de chorar pela morte do papai.

FILOMENA: (olha Gigio com raiva) Eu não dou a mínima para o que você pensa de mim, portanto guarde suas opiniões.

GIGIO: (olhando Filomena) O testamento de Salvatore vai ser lido amanhã, pode ter certeza que você vai ser a maior beneficiada cunhadinha.

FILOMENA: Por mim o babbo estaria aqui! Pouco me importa o que vai acontecer amanhã.

GIGIO: (sorri) Duvido…

FILOMENA: Sai daqui!

GIGIO: Só uma coisa… Espero que você seja sensata e me deixe na presidência do frigorífico, afinal você é mulher e muitos acionistas não vão te querer lá.

FILOMENA: (encara Gigio) Quem não estiver de acordo que saia, se babbo confiar a mim que fique a frente dos negócios, ficarei, e você irá ficar onde sempre esteve, isso se você se portar bem, se não, estará fora.

GIGIO: (olha Filomena) Você está me dizendo que vai me demitir?

FILOMENA: Se for preciso sim, agora saia daqui e me deixe em paz.

GIGIO: (fica com raiva, sai).

FILOMENA: (se senta, pensativa) Babbo… Que saudade.

 

Cena 13

Sala

 

GIGIO: (desce as escadas, está bravo).

MARCELO: (olha Gigio) O que aconteceu?

GIGIO: (olha Marcelo, está com raiva) Ainda não aconteceu, mas se Salvatore deixou tudo nas mãos de Filomena vai acontecer, e é isso que tenho que impedir.

MARCELO: (observa Gigio, pensativo).

 

Fim do Capítulo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s