Ferreto – capítulo 16

 

 Ferreto

Série inspirada e baseada no núcleo Ferreto da novela A Próxima Vítima, escrita por Silvio de Abreu com colaboração de Alcides Nogueira e Maria Adelaide Amaral, exibida pela Rede Globo em 1995. A minha intenção ao escrever a série é homenagear os 20 anos da novela, contando o passado das personagens Ferreto, a criação do roteiro e parte do enredo é de minha autoria, coisas ditas na novela pelas personagens formam a composição do enredo. Deixo claro que a Rede Globo, os autores Silvio de Abreu, Alcides Nogueira e Maria Adelaide Amaral, não tem vinculo algum com a série faço por conta própria.

Débora Costa

f6cd271b-38f6-4a3a-90e4-2e707934a674

 

Capítulo 16

Cena 1

Mansão Ferreto – Escritório

 

FRANCESCA: (olha Marcelo) Me deixa falar com Adalberto a sós.

MARCELO: (faz que sim com a cabeça, olha Adalberto) Estarei na sala. (sai).

ADALBERTO: (com raiva, segura Francesca pelos braços, a chacoalha) Foi por causa dele que você me deixou!

FRANCESCA: Fala baixo e tira as mãos de mim! (se solta, empurra Adalberto, o olha muito) Nosso tempo já foi Adalberto, entenda isso de uma vez por todas.

ADALBERTO: Não! Você sabe que eu te amo, e que nós sempre nos demos bem, sabe que eu só me casei com Carmela para estar perto de você que se casou com esse infeliz do Gigio.

FRANCESCA: Sei de tudo isso mais a vida é minha e eu a vivo como bem entendo, eu estou apaixonada por Marcelo… Aconteceu não planejei nada.

ADALBERTO: (sorri, inconformado) Apaixonada?…

FRANCESCA: Sim, apaixonada como eu nunca estive, espero que você entenda isso, e que seja prudente em guardar esse segredo, caso contrário, se falar algo para Gigio, vou contar tudo o que houve entre nós em detalhes.

ADALBERTO: Eu não acredito no que está acontecendo, é brincadeira não é?

FRANCESCA: Não, é muito sério,e peço que não me procure mais.

ADALBERTO: (olhando Francesca) Sabe o que mais dói? Que Filomena esteve certa esse tempo todo ao me dizer que você só me usava quando convinha pra você e depois… Jogava fora.

FRANCESCA: Não é bem assim.

ADALBERTO: (sorri) Claro que é, mas que fique claro isso não vai ficar assim. (sai).

Cena 2

Hospital – U. T. I.

ELISEO: (nervoso) Eu vou denunciar Gigio! Ele tentou te matar!

FILOMENA: (olha Eliseo) Ainda não… Eu vou agir quando sair daqui.

ELISEO: (olhando Filomena) Você não vai contar que foi ele que fez isso com você?

FILOMENA: Por enquanto não, e nem você.

MÉDICO: (entra, se aproxima, olha Filomena) Que bom vê – La acordada, como se sente?

FILOMENA: Com muita tontura, e minha cabeça está doendo.

MÉDICO: Eu vou fazer alguns exames e testes agora que acordou, e dependendo do resultado vou te transferir para o quarto. (olha Eliseo) Espera lá fora, por favor, quando terminar te chamo.

ELISEO: Claro. (segura a mão de Filomena, a olha) Vai ficar tudo bem e logo você estará em casa. (sorri, sai).

FILOMENA: (pensativa).

 

Cena 3

Frigorífico Ferreto – Sala de Gigio

 

CARLOS: (está nervoso) Eu não vou para a cadeia por sua causa Gigio!

GIGIO: Carlos você assim como eu roubou dinheiro daqui, assuma.

CARLOS: Você me obrigou!

GIGIO: A roubar?

CARLOS: Sim! Disse que era para eu pegar uma parte dos lucros e depositar em uma conta que não fosse minha! Eu tenho família e não vou para a cadeia.

GIGIO: (vai saindo) Eu não sou padre para ficar ouvindo confissões e lamentações Carlos, se vira.

Corredor

CARLOS: (fica na frente de Gigio o encara com raiva) Você não sabe do que eu sou capaz.

GIGIO: Está me ameaçando?

CARLOS: Não, estou te avisando que isso não vai ficar assim, eu vou acabar com a sua vida seu desgraçado! (da um soco em Gigio).

GIGIO: (coloca a mão na boca, olha Carlos com raiva) Você perdeu o juízo?

CARLOS: Está avisado Gigio, eu sou capaz de te matar se insistir que tenho culpa nesse desfalque. (sai).

GIGIO: (com a mão na boca, olha em volta, vê as pessoas olhando, fica sem graça, entra em seu escritório).

 

Cena 4

Mais Tarde – Clube – Restaurante

 

MARCELO: (olha Romana) Você foi ver Filomena?

ROMANA: Ainda não, eu vou depois, ou então vou esperar ela voltar para a casa.

MARCELO: Você não se preocupa?

ROMANA: Ela está bem, até já foi transferida para o quarto, não tenho com o que me preocupar.

MARCELO: (olhando Romana, com o pensamento distante).

ROMANA: (olha Marcelo) Marcelo, não foi para falar de Filomena que você me chamou aqui… Finalmente decidiu me contar o porquê ficou tão distante de mim esses dias?

MARCELO: Isso… O que eu tenho para te falar não é fácil porque tenho medo de te magoar.

ROMANA: (sorri um pouco, ascende um cigarro, fuma, olha Marcelo) Vá direto ao ponto.

MARCELO: (olhando Romana) Romana eu estava me sentindo perdido por estar namorando você que é uma mulher rica, de um mundo muito diferente do meu, e por mais que me doa, eu acho melhor nós terminarmos nosso relacionamento agora que não há brigas entre nós.

ROMANA: (olhando Marcelo, chateada, disfarça) Você nunca se importou com a minha classe social Marcelo, de verdade essa não colou, porque você não fala de uma vez que está gostando de outra mulher.

MARCELO: Porque não estou gostando de ninguém, é como eu falei, as vezes não me sinto bem com seus amigos me olhando como se eu fosse um nada.

ROMANA: (apaga o cigarro, está nervosa) Eu não sou burra, seu comportamento mudou comigo de um tempo para cá, só pode ser outra mulher, e não vem com essa história que não quer me magoar, você sabe o quanto eu gosto de você.

MARCELO: Não tenho outra mulher, é como eu falei, sinto muito, você é uma mulher incrível, estar com você é muito bom, mas não me sinto bem com certas pessoas e lugares que você gosta.

ROMANA: (se levanta, pega a bolsa olha Marcelo) Isso se resolveria mudando os ambientes que frequentamos, você não está sendo homem o suficiente para assumir que existe outra mulher nisso tudo.

MARCELO: Romana vamos conversar.

ROMANA: Não sou mulher de ficar com alguém que não me quer, você está sendo claro e direto.

MARCELO: Cada momento ao seu lado foi incrível, gostaria muito de ser seu amigo.

ROMANA: (sorri, está triste disfarça, coloca os óculos de sol) Nunca aceitei migalhas e não é agora que vou aceitar. (sai).

MARCELO: (pensativo).

Cena 5

Hospital – Quarto de Filomena

 

FILOMENA: (está sentada na cama, usando um colar cervical, pensativa).

FRANCESCA: (entra, se senta ao lado de Filomena, sorri) É tão bom te ver assim sorella, fiquei com medo de perder você também.

FILOMENA: (olha Francesca) Não tem nada de bom na minha situação… Estou presa á essa maldita cama, usando essa porcaria no pescoço.

FRANCESCA: Em breve você vai se recuperar, até já saiu da U. T. I.

FILOMENA: (fecha os olhos).

FRANCESCA: (segura a mão de Filomena) Filó… A leitura do testamento do babbo já foi feita, ele dividiu as ações do frigorífico igualmente para cada uma de nós, e te deixou na administração dos negócios.

FILOMENA: (abre os olhos, olha Francesca) Eu sonhei com o babbo… (fica emocionada) Eu daria tudo para te – lo ao meu lado agora.

FRANCESCA: Não fica assim, você não está sozinha, estou aqui e também tem Eliseo que não saiu desse hospital enquanto você não acordou, ele te ama muito.

FILOMENA: (olha para frente, pensativa) Eu decidi uma coisa muito importante Cesca, não vai ser fácil mas eu quero assim.

FRANCESCA: O que?

FILOMENA: (olha Francesca) Não vou mais me casar com Eliseo.

FRANCESCA: (olha muito Filomena) Mas eu não vejo motivos para você fazer isso, você ouviu o que eu te falei? Ele te ama.

FILOMENA: Eu sei, mas já estou decidida, a vida é minha e eu a sigo como quiser.

FRANCESCA: Mas não se esqueça que essa decisão ai envolve outra pessoa, que eu tenho certeza que vai ficar arrasado, e querer saber o por que.

FILOMENA: Ele não vai saber, nem por mim e nem por ninguém, fui clara?

FRANCESCA: Foi… Mas eu ainda acho que além de uma atitude errada, é egoísta da sua parte.

GIGIO: (entra, olha Filomena).

FILOMENA: (olha séria para Gigio) Cesca, você pode pegar um pouco de água para mim?

FRANCESCA: (se levanta) Claro, já volto. (olha Gigio) E você comporte – se aqui não é lugar para falar de negócios e nem brigar por eles. (sai).

GIGIO: (se aproxima de Filomena a olha) Como você está?

FILOMENA: (olhando Gigio nos olhos, está com raiva) Gigio você não sabe o que te espera.

GIGIO: (se senta, olha Filomena) Eu estava bêbado, nervoso, perdi a cabeça e peço desculpas por isso.

FILOMENA: (sorri) Não seja hipócrita que não lhe cai bem, a sua intenção foi mais do que clara, você queria se livrar de mim e não perdeu tempo, mas para o seu azar, eu estou viva, e no poder de tudo.

GIGIO: (olhando Filomena) Já te contaram… Mas isso não vai mudar nada.

FILOMENA: Vai mudar sim, porque a primeira coisa que fizer quando sair daqui será te despedir e depois te denunciar pelo desfalque.

FRANCESCA: (vem entrando, percebe que estão discutindo, fica atrás da porta).

GIGIO: Você não pode fazer isso! Eu não roubei nada, foi o Carlos! E aquele frigorífico vai falir sem mim!

FILOMENA: Com isso você não tem que se preocupar e sim eu, há tempos que queria alguém mais capacitado que você na gerencia, mas babbo por consideração te deixava lá, agora tudo será diferente.

GIGIO: (com raiva) Maldita… Você sempre quis puxar o meu tapete.

FILOMENA: Essa será uma das coisas Gigio, o que te espera não se compara nem ao inferno, você vai se arrepender de ter me jogado daquela sacada.

FRANCESCA: (entra, inconformada, olha muito para Gigio) Foi você Gigio… (nervosa, grita) Você foi capaz de tentar matar a minha irmã!

GIGIO: (se levanta, olhando Francesca).

 

Cena 6

Mansão Ferreto – Sala

 

ELISEO: (entra).

LEONEL: (se aproxima) Como Filomena está?

ELISEO: Você é o homem mais cara de pau que eu conheço, não tenho que te dar esse tipo de informação.

LEONEL: Eu só estou preocupado.

ELISEO: Problema seu, eu não entendo o que você ainda está fazendo nessa casa.

LEONEL: (olha Eliseo) Para você ficar sabendo, estou indo nesse momento para um hotel, não quero causar problemas á Filomena quando ela voltar.

ELISEO: Ótimo, essa pode ser a sua primeira atitude sensata, agora me dá licença porque vou pegar umas coisas para ela. (sobe as escadas).

LEONEL: Se ninguém me conta… Eu vou até lá falar com ela. (sorri).

ROMANA: (entra, está triste).

LEONEL: (olha Romana) Romana o que aconteceu?

ROMANA: (olha Leonel, está com vontade de chorar, sorri) Aconteceu um clichê, me apaixonei Léo, e fui dispensada.

LEONEL: (abraça Romana) Não fica assim, aquele babaca não merece você, que nem no seu nível está.

ROMANA: (se afasta) Agradeço, mas não preciso ser consolada Leo, mas você tem um pouco de razão, Marcelo é um babaca. (sobe as escadas).

 

Cena 7

Suíte de Filomena

 

ELISEO: (está separando algumas roupas e colocando na mala).

DIVA: (entra) Oi seu Eliseo, como está Filomena?

ELISEO: Melhor Diva, felizmente ela já saiu da U. T. I. e foi para o quarto.

DIVA: Que bom, olha eu arrumei o quarto, algumas coisas quebraram, mas o que estava no chão eu guardei, e o exame que estava amassado coloquei na gaveta da penteadeira.

ELISEO: Exame?

DIVA: Sim, eu não olhei sobre o que era afinal é particular.

ELISEO: Está certo Diva, obrigado.

DIVA: (sai).

ELISEO: (pensativo, preocupado, abre a gaveta, pega o exame).

 

Cena 8

Hospital – Quarto de Filomena

 

GIGIO: Cesca foi um acidente.

FRANCESCA: (olha Filomena) É verdade?

FILOMENA: Não, Gigio fez por que quis.

FRANCESCA: (grita) Estou farta de você Gigio! E se Filomena não te denunciar eu mesma faço!

MÉDICO: (entra) Mas o que está acontecendo aqui? Que gritaria é essa? Vocês estão num hospital.

FRANCESCA: Desculpa… (olha Filomena) Eu volto quando me acalmar. (sai).

GIGIO: (vai atrás de Francesca).

MÉDICO: (olha Filomena) Está tudo bem?

FILOMENA: Comigo mais ou menos, mas com Gigio as coisas estão ficando bem complicadas. (sorri um pouco).

 

Cena 9

Rua

 

FRANCESCA: (está caminhando, nerosa).

GIGIO: (segura o braço de Francesca) Me espera!

FRANCESCA: Tira a mão de mim!

GIGIO: Para de escândalo, estamos na rua! Vamos para a casa.

FRANCESCA: Eu não vou á lugar algum com você! Como você foi capaz de fazer uma coisa assim com Filomena?

GIGIO: (olhando Francesca) Você me conhece, sabe que eu sou capaz de qualquer coisa.

FRANCESCA: Sim, mas de matar alguém? E pior da própria família?

GIGIO: Ela é da sua família e estava me tirando do sério, agora ela disse que vai me despedir e depois me denunciar por roubo.

FRANCESCA: Concordo com ela plenamente, e nós precisamos conversar sobre nosso casamento.

GIGIO: (sorri, coloca os óculos de sol) Não temos não, estou com problemas sim, mas que não tem nada com nosso casamento amore, então nem adianta vir falar de separação, agora entra no carro.

FRANCESCA: Eu vim e vou voltar de taxi, mas eu não vou para a casa, preciso buscar um vestido. (se afasta).

GIGIO: (pensativo, sério) Hoje mesmo Desiré terá que fazer uma visitinha para Filomena. (entra no carro).

 

Cena 10

Mansão Ferreto – Suíte de Filomena

 

ELISEO: (está lendo o exame).

ROMANA: (entra) Vai me dizer que a saudade é tanta que você veio passar um tempo aqui?

ELISEO: Nada disso, eu estou o tempo todo com Filó no hospital, eu só vim buscar umas coisas para ela.

ROMANA: O que é isso?

ELISEO: (olha Romana) Não entendi direito.

ROMANA: Se Filomena souber que você está bisbilhotando as coisas dela vai ficar louca da vida.

ELISEO: Não é bem assim, eu só fiquei preocupado, a Diva disse que é um exame.

ROMANA: (pega o papel da mão de Eliseo, lê, o olha) Estava errada, se ela souber que você leu isso vai te matar.

ELISEO: Do que isso se trata isso de trompa de falópio? É grave?

ROMANA: Você vai ter que perguntar para ela, não quero me meter.

ELISEO: Por favor, fala pra mim.

ROMANA: Mas você não leu?

ELISEO: Li, mas não entendi muito bem.

ROMANA: Por que é burro, está bem claro aqui.

ELISEO: Não precisa ofender também.

ROMANA: Ai Dio, eu vou te contar mas não ouse falar o meu nome para Filomena, se ela perguntar você fala que leu e entendeu tudinho, é capaz dela se espantar mas é a solução.

ELISEO: Deixa as ironias de lado e me fala o que significa isso.

ROMANA: Eu vou resumir pra você que fica menos cansativo para mim, você já percebeu que nessa casa não tem criança?

ELISEO: Já, claro, mas imagino que Cesca não queria ter filhos ainda.

ROMANA: Nem que ela quisesse, ela não pode ter filhos, eu também não, mas isso pra mim não é problema algum, não tenho vocação para ser mãe.

ELISEO: Mas Carmela tem uma filha.

ROMANA: Sim e se ela não tiver mais filhos, Isabela será a única herdeira dos Ferreto. (olhando Eliseo) Porque Carmela é a única de nós que pode ter filhos, já entendeu ou quer que eu desenhe?

ELISEO: (se senta, pensativo) Então foi por isso que Filomena ficou daquele jeito…

ROMANA: Eliseo guarda esse exame, e finge que não sabe de nada, até ela decidir te contar, isso se contar.

ELISEO: Mas ela tem que me contar, eu quero poder falar que estou com ela em tudo porque a amo.

ROMANA: (olhando Eliseo) Só estamos nós aqui, me fala você ainda vai querer se casar com ela sabendo disso, que estando com ela não poderá ter filhos.

ELISEO: (se levanta, olha Romana) Você sabe o quanto eu lutei para conseguir me aproximar dela, todo mundo aqui sabe e não é por um detalhe desses que vou deixa – la, amo Filomena e vou me casar com ela. (pega a mala com as coisas de Filomena, sai).

ROMANA: (pensativa).

 

Cena 11

Clube – Quadra de tênis

 

FRANCESCA: (está em um lugar distante e sem movimento).

MARCELO: (se aproxima sorri) Gostei de ser intimado por você. (beija Francesca).

FRANCESCA: (beijando Marcelo, o olha sorri) Fiquei curiosa para saber o que você tinha para me dizer.

MARCELO: Eu terminei tudo com Romana.

FRANCESCA: (sorri, feliz,abraça Marcelo) Que bom! (o olha muito, está feliz) Agora temos que nos livrar de Gigio, e vamos poder ficar juntos.

MARCELO: (sorri) Você acha que vai ser fácil?

FRANCESCA: Não, mas não será impossível, você acredita que foi Gigio quem empurrou Filomena da sacada.

MARCELO: (sorri um pouco) Acredito, eu já tinha percebido isso.

FRANCESCA: Com esse tipo de atitude vai ser fácil arrumar um motivo para me separar dele.

MARCELO: (olhando Francesca) E quando ele te der o divórcio você vai se casar comigo?

FRANCESCA: (sorri) É um pedido?

MARCELO: (sorri) Praticamente.

FRANCESCA: Então praticamente eu aceito. (da risada, beija Marcelo).

HÉLIO: (de longe, vê Francesca beijando Marcelo, mas não consegue identifica – lo).

 

Cena 12

Hospital – Quarto de Filomena

 

LEONEL: (entra, sorri) Oi.

FILOMENA: (sorri um pouco) Leo… Você não desiste nunca não é?

LEONEL: (se aproxima da cama, sorri) Nunca, eu vim ver como você está, e te dizer que já sai da sua casa, estou em um hotel.

FILOMENA: Que bom, eu estou melhor, apesar de ter que ficar com essa coisa no pescoço, é incomodo mas o médico disse que vou ter que usar uns dias porque ameniza a dor e ajuda a não me movimentar muito e me machucar mais ainda.

LEONEL: Eu gostei, deu um charme a mais.

FILOMENA: (sorri) Mentiroso, deve estar horrível.

LEONEL: (a olhando) Não está não, me conta como foi esse acidente.

FILOMENA: Não quero falar sobre isso.

LEONEL: Está bem. (segura a mão de Filomena) O importante é que você está aqui.

FILOMENA: Leo… Eu preciso da sua ajuda em algo que estive pensando.

LEONEL: Pode falar.

FILOMENA: Eu preciso que Eliseo se decepcione comigo e não queria mais se casar comigo.

LEONEL: (sorri) Faço isso com o maior prazer.

FILOMENA: Não fique feliz, eu não vou ficar com você, só quero que ele me deixe.

LEONEL: Posso saber por que?

FILOMENA: Não, você vai me ajudar?

LEONEL: Vou, com uma condição.

FILOMENA: Qual?

LEONEL: Que você me de um beijo. (sorri).

FILOMENA: (séria) Vou ignorar isso.

LEONEL: (sorrindo) Não vai não. (a beija).

ELISEO: (entra, olha Leonel beijando Filomena, fica bravo) Mas o que significa isso?

 

Fim do Capítulo

Não Perca os últimos capítulos de Ferreto.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s