Ferreto – capítulo 20 (últimos capítulos)

Ferreto

Série inspirada e baseada no núcleo Ferreto da novela A Próxima Vítima, escrita por Silvio de Abreu com colaboração de Alcides Nogueira e Maria Adelaide Amaral, exibida pela Rede Globo em 1995. A minha intenção ao escrever a série é homenagear os 20 anos da novela, contando o passado das personagens Ferreto, a criação do roteiro e parte do enredo é de minha autoria, coisas ditas na novela pelas personagens formam a composição do enredo. Deixo claro que a Rede Globo, os autores Silvio de Abreu, Alcides Nogueira e Maria Adelaide Amaral, não tem vinculo algum com a série faço por conta própria.

Débora Costa

 

f6cd271b-38f6-4a3a-90e4-2e707934a674

 

 

Capítulo 20

Cena 1

Mansão – Mansão Ferreto – Suíte de Francesca e Gigio

GIGIO: (está sentado na poltrona, pensativo).

FRANCESCA: (se aproxima, o olha) Posso falar com você?

GIGIO: (sério, a olha) O que quer falar? O que acha que ainda pode falar comigo?

FRANCESCA: (se abaixa perto de Gigio o olha sincera) Eu queria que você descobrisse o que estava acontecendo entre Marcelo e eu.

GIGIO: (sorri) Não é possível… Cesca você deveria entrar em um curso de teatro, esse dom de atuar deve ser aproveitado.

FRANCESCA: (acaricia a mão de Gigio) Estou falando sério… Você disse que iríamos recomeçar e nada mudou então eu vi Marcelo, percebi que o que havia entre ele e Romana não era nada demais e que vocês eram amigos e o usei, mas você nunca percebeu nada, queria chamar a sua atenção.

GIGIO: E tudo aquilo que você me disse? Que estava apaixonada por esse moleque, também foi para chamar a minha atenção?

FRANCESCA: (se senta no colo de Gigio o abraça) Foi… Queria ver qual seria sua reação amore… Às vezes acho que você não me ama mais e quis testar isso.

GIGIO: (olhando Francesca nos olhos) Cesca… Se isso for verdade você fez a pior besteira da sua vida.

FRANCESCA: (acaricia o rosto de Gigio o olhando nos olhos) Eu sei, mas tinha que fazer a última jogada amoré, e com isso percebi que ainda temos chance de salvar nosso casamento.

GIGIO: E Marcelo?

FRANCESCA: (sorri) O que queria dele já consegui, ele foi uma peça do meu jogo… Você acredita em mim Gigio?

GIGIO: (olhando Francesca) Vindo de você não tem como não acreditar, as coisas que você faz são surpreendentes.

FRANCESCA: Então vamos nos dar mais uma chance?

GIGIO: (sorri) Vamos, eu te amo, e você não precisa fazer esse tipo de coisa para testar o meu amor, nunca mais entre nesse tipo de aventura porque não terá perdão.

FRANCESCA: (beija Gigio, o olha muito sorri) Pode deixar. (abraça Gigio, sorri vitoriosa).

Cena 2

Escritório

FILOMENA: (está lendo um documento).

ROMANA: (entra) Preciso falar com você.

FILOMENA: (não olha Romana, continua lendo) Antes de entrar deve – se bater na porta, e estou ocupada agora.

ROMANA: Eu vou embora dessa maldita casa.

FILOMENA: (olha Romana) O que?

ROMANA: Eu estou indo embora daqui, dessa casa, do país… Decidi ir para a Itália… Não tenho o que fazer aqui.

FILOMENA: (olhando Romana) Não devemos fugir dos nossos problemas.

ROMANA: Quem fala você terminou seu noivado porque não pode ter filhos, isso é o que? Ficar e enfrentar? E eu não vim te pedir conselhos vim te avisar que hoje vou embora.

FILOMENA: Pelo que vi você está decidida mesmo.

ROMANA: Estou e vim te falar que o período que estiver fora, você vai cuidar do que babbo me deixou, veja bem, cuidar, não estou te dando nada.

FILOMENA: (olhando Romana) Nunca pensei que você me deixaria cuidando das suas coisas, muito menos ações.

ROMANA: Nem eu, mas no memento não tenho tempo para procurar outra pessoa, estarei sempre entrando em contato.

FILOMENA: Está bem.

ROMANA: Vou terminar de arrumar as minhas coisas. (sai).

FILOMENA: (pensativa).

Cena 3

Mais Tarde – Frigorífico Ferreto – Escritório de Filomena

LEONTINA: (está guardando umas pastas).

MARCELO: (entra) E Filomena?

LEONTINA: Está chegando, por quê?

MARCELO: (sorri) Porque consegui uma coisa que ela queria, e com isso vou ter o que quero.

LEONTINA: Marcelo… Só te peço para fazer as coisas honestamente.

MARCELO: Não se preocupe, sei exatamente o que faço.

FILOMENA: (entra, olha Marcelo) O que faz aqui?

MARCELO: (sorri) Boa tarde.

LEONTINA: Eu já guardei os documentos que me pediu nas pastas, com licença. (sai).

FILOMENA: (se senta, olha Marcelo) Você conseguiu convencer o empresário?

MARCELO: Consegui. (coloca uma pasta em cima da mesa) Ai estão os documentos assinados por ele, você tem o seu sócio de volta.

FILOMENA: (pega a pasta, abre, olha os documentos, olha Marcelo) Muito bem… Como disse agora você ocupará o lugar de Gigio, mas vou ficar atenta a cada passo que você der durante um mês.

MARCELO: (olhando Filomena) Garanto que não irei decepcionar.

FILOMENA: Se falhar irá decepcionar a si mesmo e não a mim, já pode ir para a sua sala.

MARCELO: (sorri) Com licença. (sai).

FILOMENA: (olhando os documentos) É… Até que esse rapaz não é o inútil que pensei que fosse.

Cena 4

Mansão Ferreto – Suíte de Romana

CARMELA: (entra, olha Romana) É verdade que você vai embora?

ROMANA: Como as notícias correm.

CARMELA: Não vai Romana, ou então passe alguns dias fora e volte.

ROMANA: Não Carmela, não tenho mais nada para fazer aqui, nada mais me prende a esse lugar.

CARMELA: Você ficou muito chateada com toda essa história da Cesca com o Marcelo não foi?

ROMANA: Fiquei mais do que chateada, estou enojada com as coisas que as pessoas são capazes de fazer, pessoas próximas a nós, que amamos, essas são as que mais ferem.

CARMELA: Sinto muito… Mesmo assim queria você perto de mim.

ROMANA: Larga esse fracassado do Adalberto e venha comigo.

CARMELA: (sorri) Não posso, tenho Isabela e não quero deixar ela longe da família, e principalmente de Filó, agora que ela descobriu que não pode ter filhos…

ROMANA: É um bom motivo para você pegar sua filha e deixar bem longe dela, ou então você perderá a menina para Filomena.

CARMELA: Não exagere Romana.

ROMANA: Não é exagero, conheço Filomena, se você deixar ela brincar de mamãe com sua boneca, ela não vai mais te devolver, fique atenta, e agora já chega de falar dela, quero me despedir de você bem longe dessa maldita casa, vamos para o clube e de lá vou para o aeroporto.

CARMELA: (chateada) Você tem certeza que quer ir mesmo?

ROMANA: Tenho… Cansei daqui.

Cena 5

Mais Tarde – Mansão Ferreto – Sala

FILOMENA: (entra).

GIGIO: (se aproxima, está com raiva) Que história é essa de você dar o meu lugar no frigorífico para o Marcelo!

FILOMENA: (olhando Gigio) As notícias correm não é eu não lhe devo satisfação do que faço no frigorífico, você não trabalha mais lá esqueceu?

GIGIO: (segura o braço de Filomena, a encara) Eu já perdi a cabeça por muito menos Filomena, você colocou o amante da Cesca no meu lugar! Isso não vou admitir!

FILOMENA: (encara Gigio, altiva) Pelo jeito o rapaz é melhor do que você em tudo… Tira a mão de mim.

GIGIO: (não solta Filomena) Eu exijo meu emprego de volta! Se seu pai te deixava brincar de mandar, eu não vou permitir!

FILOMENA: (fica com raiva se solta) E quem é você para exigir algo? Coloca na sua cabeça, aqui quem manda sou eu!

FRANCESCA: (entra) O que está acontecendo?

GIGIO: (olhando Francesca) Sua irmãzinha te fez um favor, colocou Marcelo na gerencia do frigorífico.

FRANCESCA: Eu já te falei sobre isso, Marcelo não foi nada para mim.

FILOMENA: Eu tenho mais o que fazer do que ficar aqui perdendo o meu tempo, e você Gigio, se colocar a mão em mim novamente vai se arrepender.

GIGIO: (olha Filomena, sorri) Deus sabe mesmo o que faz… Alguém como Cesca, como você realmente não merece ser mãe.

FILOMENA: (dá um tapa no rosto de Gigio, está com raiva) Eu quero você fora da minha casa! E quero que saia agora!

GIGIO: (com a mão no rosto) Não saio.

FILOMENA: Então eu vou chamar os seguranças! A polícia! Mas aqui você não fica!

FRANCESCA: Vamos manter a calma…

FILOMENA: Não! Gigio já passou de todos os limites e se você quiser vá com ele!

GIGIO: Está assim porque falei a verdade não é… (sorri).

FILOMENA: (encara Gigio, sai).

FRANCESCA: Gigio você quer calar essa boca! Para de provocar Filomena, você não pode fazer uma guerra aqui.

GIGIO: Vou atormenta – la tanto que ela não vai agüentar e fazer tudo que eu quiser.

FILOMENA: (entra com os seguranças) Quero Gigio fora daqui, podem leva – lo.

GIGIO: Você enlouqueceu?

FRANCESCA: Você dizia Gigio…

FILOMENA: Quero que o tire daqui e não o deixe mais entrar, fui clara?

SEGURANÇA: Sim. (se aproxima de Gigio).

GIGIO: Não… Eu vou sozinho, só vou pegar as minhas coisas.

FILOMENA: Depois Cesca te leva às coisas, no momento só quero que você saia!

GIGIO: (olha Francesca) Você vem comigo?

FRANCESCA: Não… Essa é a minha casa.

GIGIO: E você é casada comigo.

FILOMENA: Conversem lá fora!

GIGIO: (olha Filomena, sorri, sai, os seguranças o acompanha).

FILOMENA: (se senta) Odeio Gigio…

FRANCESCA: (sorri) Eu vou dar uma de boa esposa e vou ver meu marido na sarjeta, já volto. (sai).

ELISEO: (entra, olha Filomena) Eu preciso falar com você.

FILOMENA: (se levanta) Agora não posso graças a Gigio minha cabeça está doendo, depois nos falamos.

ELISEO: Depois não dá, estou indo para a Itália.

FILOMENA: (olha Eliseo) Por quê?

ELISEO: Porque acabei de receber uma ligação de lá e minha mãe não está bem, vou vê – la.

FILOMENA:… E quanto tempo você vai ficar lá?

ELISEO: Eu achei que você queria se livrar de mim.

FILOMENA: Realmente se não quiser voltar mais é um problema seu. (vai subindo as escadas).

ELISEO: (vai atrás a segura devagar, a olha) Eu vou voltar, só vim te falar que nesse tempo que estiver fora que você pense e reconsidere sobre o fim do nosso compromisso, que pra mim não acabou…

FILOMENA: (olhando Eliseo) Já pensei antes de decidir.

ELISEO: Pense novamente, mas esqueça a razão que, aliás, nesse caso você não tem… Pense com o coração…

FILOMENA: Nunca fiz isso…

ELISEO: Para tudo existe uma primeira vez… Ao menos posso te dar um abraço de despedida?

FILOMENA: Você não disse que vai voltar?

ELISEO: (sorri) Eu vou voltar despedida que digo é agora e não para sempre.

FILOMENA: (abraça Eliseo).

ELISEO: (fecha os olhos) Pense bem… Por favor, eu te amo.

FILOMENA: (o olha) Boa viagem. (sobe as escadas).

Cena 6

Rua

GIGIO: (está em seu carro com Francesca) A sua irmã passou de todos os limites.

FRANCESCA: Amore… Você também passou, ficou assim porque Marcelo foi contratado no seu lugar.

GIGIO: (olha Francesca) Ele é um moleque de recado. Não entende nada de administração, eu sim!

FRANCESCA: Eu sei amoré, Filomena e você estão travando uma guerra, essa foi à arma dela para te atingir, fica calmo, ao primeiro erro Filó demite Marcelo.

GIGIO: Agora vou ter que ir para meu apartamento, vem comigo Cesca.

FRANCESCA: Gigio por que você não vai para a fazenda hoje? Daí eu fico aqui hoje e acalmo Filomena, e amanhã vou até a fazenda, será bom passarmos uns dias lá.

GIGIO: Nada irá acalmar Filomena…

FRANCESCA: Esqueceu que eu sou irmã dela, a convenço a te deixar voltar para a casa hoje ou não me chamo Francesca. (sorri).

GIGIO: (sorri) Não duvido… Está bem Cesca, eu vou para a fazenda hoje e você acalma a fera.

FRANCESCA: (beija Gigio, o olha sorri) Conte com isso querido.

Cena 7

Á noite – Clube

ADALBERTO: (está andando pelo clube, pensativo, preocupado).

FILOMENA: (o olha) Por que será que não me espanto ao te ver aqui.

ADALBERTO: Já eu sim, o que faz aqui e sozinha?

FILOMENA: Eu vim jantar aqui, já você aposto que veio jogar e pela sua cara perdeu…

ADALBERTO: Você não disse que iria jantar… (continua andando).

FILOMENA: (sorri).

Cena 8

Mansão Ferreto – Sala

MARCELO: (entra, olha Francesca sorri) Quando você me ligou e pediu que eu viesse aqui fiquei curioso.

FRANCESCA: (beija Marcelo, o olha sorri) Temos a casa só para nós algumas horas.

MARCELO: Não tem ninguém?

FRANCESCA: Não, Filomena foi jantar no clube, Romana foi para Itália hoje a tarde, Gigio foi para a fazenda, portanto não temos ninguém para nos atrapalhar.

MARCELO: (sorri) Gosto da sua ousadia.

FRANCESCA: (olhando Marcelo nos olhos) Eu quero ser sua na cama de Gigio. (sorri).

MARCELO: (sorri, beija Francesca, a olha) Isso é muito bom… (beija Francesca com vontade).

Cena 9

Clube – Restaurante

FILOMENA: (está saindo do restaurante).

ADALBERTO: (se aproxima) Eu preciso falar com você.

FILOMENA: Nós não temos nada para conversar.

ADALBERTO: Eu preciso de dinheiro…

FILOMENA: (sorri) E daí?

ADALBERTO: Eu não tenho mais nada e estou devendo muito, pense, se me ajudar estará ajudando sua irmã e sua sobrinha também.

FILOMENA: Eu irei ajuda – las quando te tirar de perto delas, agora eu preciso ir.

ADALBERTO: Não… Por favor, eu faço tudo o que você quiser se me ajudar.

FILOMENA: (pensativa) Você estaria disposto a fazer qualquer coisa se eu te dar a quantia que você precisa?

ADALBERTO: Qualquer coisa.

FILOMENA: Até mesmo me vender às ações que babbo deixou para Carmela?

ADALBERTO: (olhando Filomena) Como vou fazer isso?

FILOMENA: Apenas responda, você venderia ou não as ações para mim se eu pagar sua divida?

ADALBERTO: Sim…

FILOMENA: (sorri) Então venha comigo, em casa vamos fazer um acordo, preciso de garantias que você realmente irá cumprir sua palavra.

ADALBERTO: (vai com Filomena).

Cena 10

Mansão Ferreto – Suite de Gigio e Francesca

FRANCESCA: (está deitada com Marcelo, o beija, sorri) Finalmente eu tive um momento inesquecível nessa cama. (da risada).

MARCELO: (sorri) Eu quero estar sempre assim com você.

FRANCESCA: E eu com você amoré, mas tenho que dar um jeito e me livrar de Gigio que a cada dia que passa se torna mais insuportável…

MARCELO: Ele é um homem perigoso, o pouco que convivi com ele descobri as coisas que ele é capaz.

FRANCESCA: Não vamos perder nosso momento falando de Gigio. (beija Marcelo, o olha muito sorri) Eu te amo.

MARCELO: Eu também te amo. (beija Francesca).

Cena 11

Jardim

FILOMENA: (entra com Adalberto) Como você é capaz de perder tanto dinheiro assim? Se não sabe jogar não aposta, é um inútil mesmo.

ADALBERTO: Você veio o caminho todo me atormentando, quando vai parar?

FILOMENA: Quando eu quiser, mas só disse a verdade, você é fracassado mesmo.

ADALBERTO: (encosta Filomena na parede) Um fracassado que você sempre quis.

FILOMENA: Fracassado e convencido… Eu nunca te quis, nunca gostei de lixo.

ADALBERTO: Odeio quando você me chama assim.

FILOMENA: É o que você é agora me solta!

ADALBERTO: Você não quer que eu te solte… (beija Filomena).

FILOMENA: (dá um tapa no rosto de Adalberto).

ADALBERTO: (beija Filomena novamente).

FILOMENA: (beija Adalberto).

Cena 12

Mais Tarde – Mansão Ferreto – Sala

FRANCESCA: Marcelo é melhor você sair pelos fundos.

MARCELO: Eu entrei pela porta da frente e tenho que sair igual á um bandido por que?

FRANCESCA: (sorri) Para evitar problemas amoré.

MARCELO: Dessa vez passa hein… (sorri, beija Francesca) Até logo.

FRANCESCA: (sorri) Até amoré.

MARCELO: (sai).

Cena 13

Piscina

MARCELO: (está saindo) Onde é a saída? (olha em volta, vê a luz acesa na sauna, se aproxima, ouve um barulho na porta se esconde).

ADALBERTO: (sai da sauna).

MARCELO: (observa).

FILOMENA: (sai da sauna, olha Adalberto) Não deixa ninguém te ver, ao menos uma vez faça algo certo.

ADALBERTO: (sorri) Nada te deixa de bom humor não é?

FILOMENA: (olha Adalberto) Não quando estou com um inútil como você, agora vai.

ADALBERTO: (sorri) Amanha eu volto. (sai).

FILOMENA: (sorri, se vira).

MARCELO: (se aproxima, a olha) Será que Adalberto pode me mostrar onde fica a saída por aqui?

FILOMENA: (assustada, olhando Marcelo).

Fim do Capítulo

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s