Ferreto – capítulo 21 (últimos capítulos)

Ferreto

Série inspirada e baseada no núcleo Ferreto da novela A Próxima Vítima, escrita

por Silvio de Abreu com colaboração de Alcides Nogueira e Maria Adelaide

Amaral, exibida pela Rede Globo em 1995. A minha intenção ao escrever a série

é homenagear os 20 anos da novela, contando o passado das personagens

Ferreto, a criação do roteiro e parte do enredo é de minha autoria, coisas ditas

na novela pelas personagens formam a composição do enredo. Deixo claro que a

Rede Globo, os autores Silvio de Abreu, Alcides Nogueira e Maria Adelaide

Amaral, não tem vinculo algum com a série faço por conta própria.

 Débora Costa

f6cd271b-38f6-4a3a-90e4-2e707934a674 

Capítulo 21

Cena 1

Mansão Ferreto – Piscina

 

FILOMENA: (assustada olhando Marcelo) O que você está fazendo

aqui?

MARCELO: (olhando Filomena) Estava de saída porque vim ver Cesca.

FILOMENA: (olhando Marcelo) Não conte nada a ninguém sobre o que

você viu, vou te pagar muito bem pelo seu silêncio, e peço que esqueça

isso…

MARCELO: (sorri) Não precisa se preocupar Filomena, não vou contar

nada, fica sendo nosso segredo.

FILOMENA: Ótimo… Mesmo assim será recompensado pelo seu

silêncio e se for leal a mim também.

MARCELO: Conte comigo… Agora me fale onde fica a saída, por favor,

estou perdido aqui.

FILOMENA: Vá reto e vire à esquerda.

MARCELO: Grazie. (sai).

FILOMENA: (fica séria, entra).

 

Cena 2

Dia Seguinte – Mansão Ferreto – Sala

 

FILOMENA: (está descendo as escadas).

GIGIO: (entra, a olha) É com você mesma que eu quero falar.

FILOMENA: Como você entrou aqui!

GIGIO: Por favor, Filomena vamos conversar.

FRANCESCA: (desce as escadas, observa).

FILOMENA: Não tenho nada o que falar com você! E fora da minha

casa.

FRANCESCA: Sorella… Eu acho que você deveria dar uma chance a

Gigio, ouvir o que ele tem para te falar.

FILOMENA: (olhando Francesca, estranha) Não quero ouvir nada dele.

FRANCESCA: (olhando Filomena) Confia em mim… Ouve Gigio.

FILOMENA: Está bem, você tem cinco minutos. (entra no escritório).

GIGIO: Grazie amore.

FRANCESCA: Você foi até a fazenda?

GIGIO: Fui mais voltei, vou falar com Filomena antes que ela se

arrependa de me ouvir. (entra no escritório).

FRANCESCA: O que ele veio fazer aqui?

 

Cena 3

Escritório

 

FILOMENA: (está sentada, olha Gigio) Fale o que tanto quer e depois vá

embora.

GIGIO: Eu pensei muito em tudo que eu fiz… Da maneira que vinha

agindo… E quero que me desculpe.

FILOMENA: (sorri se levanta) Achei que fosse algo sério.

GIGIO: É sério, não estou fingindo, não quero ficar longe de Cesca e

nem me afastar dos negócios, quando Salvatore te deixou no comando de

tudo me desesperei, fiquei com medo de perder o meu lugar, porque eu

reconheço, você é melhor do que muitos homens que administram suas

empresas… Daí fiz o que fiz, esqueci da família que somos.

FILOMENA: Você demorou quanto tempo para decorar essa cena?…

GIGIO: Mas que droga Filomena! Estou sendo sincero, estou aqui para

admitir meus erros, me desculpar e poder ao menos voltar pra cá que

sempre foi a minha casa.

FRANCESCA: (entra) Com licença, foi inevitável não ouvir a conversa…

Filó… Perdoe Gigio, acho que voltar a ter paz aqui será muito bom.

FILOMENA: (olhando Francesca) Gigio tentou me matar! E você quer

que eu o perdoe? O que está acontecendo com você Cesca?

FRANCESCA: Acontece que já cansei de viver feito cão e gato aqui,

chega dessas brigas Filó, e o mesmo digo ao Gigio que pelo menos está

se mostrando arrependido.

FILOMENA: Quer saber de uma coisa, eu não tenho tempo para ficar

aqui jogando conversa fora, Gigio pode voltar a morar aqui, mas eu não o

perdoo por tudo que me fez e que fique claro que se fizer qualquer coisa

contra mim pagará caro. (sai).

GIGIO: (abraça Francesca) Grazie amore.

FRANCESCA: (olha Gigio) Você não disse tudo isso só para voltar a

morar aqui não é?

GIGIO: Não, realmente quero fazer as coisas de outro modo.

FRANCESCA: (olhando Gigio, sorri) Que bom ouvir isso meu amor,

mais ainda é ver a sinceridade em seus olhos, agora sim seria o momento

perfeito para fazermos uma segunda lua de mel.

GIGIO: (sorri) Verdade, onde você gostaria?

FRANCESCA: (sorri) Tem que ser um lugar diferente de todos onde já

fomos.

GIGIO: O que você acha da China?

FRANCESCA: (da risada, olha Gigio) Exótico, gostei, vamos para a

China amore. (beija Gigio).

 

Cena 4

Sala

 

FILOMENA: (está de saída).

LEONEL: (entra, a olha sorri) É bom começar o dia te vendo.

FILOMENA: Léo não tenho tempo para você.

LEONEL: Eu vim me despedir de você… Resolvi voltar para o meu país.

FILOMENA: (olhando Leonel) Boa decisão Léo.

LEONEL: Podemos ir tomar um café?

FILOMENA: Vou perder a minha manhã, mas vamos.

LEONEL: (sorri) Fico feliz.

FILOMENA: (sai).

LEONEL: (vai com ela).

 

Cena 5

Mansão Vasconcellos – Sala de Jantar

 

CARMELA: (está tomando café, chateada).

ADALBERTO: (entra, se senta) Bom dia Cacá.

CARMELA: (desanimada) Bom dia…

ADALBERTO: Por que você está assim?

CARMELA: Ah Adalberto estou muito chateada com a ida de Romana

para a Itália e ainda mais sabendo o motivo que a levou a tomar essa

decisão… Ela é a irmã que mais tenho afinidade, vou sentir muito a falta

dela.

ADALBERTO: Romana sabe o que faz Cacá, se ela achou que se afastar

daqui definitivamente faria bem a ela você deveria torcer para que ela se

sair bem por lá.

CARMELA: Eu sei… Mas vou sentir falta dela… Bem, vou arrumar

Isabela, quero fazer uma surpresa á Filomena.

ADALBERTO: (olha Carmela) Por que Surpresa?

CARMELA: (sorri) Vou deixar Isabela com ela… Filó ficou muito

chateada quando soube que não pode ter filhos, quero que ela saiba que

Isabela é nossa, minha, dela, de Cesca e Romana.

ADALBERTO: Cuidado ou nossa filha será de Filomena.

CARMELA: Romana me disse a mesma coisa e eu acho que vocês tem

uma visão muito errada de Filó. (se levanta, beija Adalberto, sorri) Vou

arrumar nosso anjinho. (sai).

ADALBERTO: Não seja tão inocente Cacá…

 

Cena 6

Café

 

LEONEL: Amo demais os meus filhos e vou voltar por eles.

FILOMENA: Faz muito bem Léo, aqui você não tem nada.

LEONEL: (olhando Filomena) Eu passaria a vida aqui se você ficasse

comigo, mas eu sei que será tempo perdido.

FILOMENA: (sorri) Demorou mas você acordou Léo…

LEONEL: (da risada a olha) Sabia que você diria isso, nunca vou me

esquecer de você.

FILOMENA: Esqueça, será mais saudável á você.

LEONEL: Tem certeza que não me quer?

FILOMENA: (sorri) Tenho, você é um grande amigo, mas não tenho

nenhum sentimento nobre por você.

LEONEL: Gostei disse de sentimento nobre. (sorri).

FILOMENA: Eu tenho que ir Léo… Te desejo toda a sorte do mundo. (se

levanta).

LEONEL: (se levanta, a olha) Não quero um aperto de mão ou um

tapinha nas costas de adeus, eu quero um beijo, mas não um beijo no

rosto… (sorri).

FILOMENA: (sorri) Desce da nuvem Léo, estamos em um local público,

as pessoas podem comentar.

LEONEL: Que eu saiba você deu um tempo no seu noivado o que te

torna solteira, livre.

FILOMENA: Não vou te beijar aqui.

LEONEL: Nós nunca mais vamos nos ver… Só um beijo de despedida.

FILOMENA: (olha Leonel) Não!

LEONEL: (beija Filomena).

FILOMENA: (beija Leonel).

LEONEL: (olha Filomena sorri) Sabe que podemos nos despedir

melhor…

FILOMENA: Adeus Léo. (sai).

LEONEL: (da risada, sorri) Adeus…

 

Cena 7

Mais Tarde – Hotel – Suíte de Francesca e Marcelo

 

MARCELO: (nervoso) Você vai sair em lua de mel com o Gigio e me

pede calma? Eu não entendo isso.

FRANCESCA: (acaricia o rosto de Marcelo, o olha muito) Meu amor eu

preciso que você confie em mim, tudo que estou fazendo é para o nosso

bem, para ficarmos juntos.

MARCELO: Cesca me explica onde é que entra nós em você e Gigio

saírem em lua de mel.

FRANCESCA: (olhando Marcelo) Não posso te falar, mas tenha certeza

meu amor que em breve nós estaremos juntos. (beija Marcelo).

MARCELO: (beija Francesca a olha) Você está me enrolando?

FRANCESCA: (sorri) Nunca, apenas tenha um pouco de paciência que

logo Gigio não irá mais nos atrapalhar.

 

Cena 8

Mansão Ferreto – Sala

 

CARMELA: (está sentada com Isabela).

FILOMENA: (entra, olha Carmela) Sorella… Como vai?

CARMELA: (se levanta, sorri) Bem Filó, olha quem eu trouxe para te

visitar. (mostra Isabela).

FILOMENA: (olha Isabela, olha Carmela) Não preciso da sua pena…

(vai subindo as escadas).

CARMELA: Nada disso Filó… Não posso trazer Isabela aqui é isso?

FILOMENA: (volta, olha Carmela) Claro que pode, mas eu sei por que

está fazendo isso.

CARMELA: (da Isabela para Filomena segurar) Que bom que você sabe,

já estou atrasada para fazer as unhas, as coisas dela estão naquela bolsa

em cima do sofá. (vai saindo).

FILOMENA: Você não pode largar a menina aqui assim, volta aqui.

CARMELA: (sai).

FILOMENA: Carmela volta aqui! (olha Isabela) Sua mãe é uma inútil te

largou aqui e tenho um monte de coisa para fazer… (se senta, olha Isabela

sorri) Você é tão linda bambina… Uma princesa… Queria que Eliseo

estivesse aqui, assim nós poderíamos dar um passeio.

GIGIO: (entra, se aproxima, sorri) É a filha de Carmela?

FILOMENA: É, se você não sabe ela se chama Isabela.

GIGIO: Filó… Sobre aquilo que eu disse sobre você não poder ter

filhos…

FILOMENA: (interrompendo Gigio) Deixa pra lá.

GIGIO: Está bem, vou arrumar minhas coisas, fui comprar passagens

para Cesca e eu irmos para a China ainda hoje.

FILOMENA: (olha Gigio) O que vocês vão fazer na China?

GIGIO: (sorri) Uma segunda lua de mel.

FILOMENA: E por que na China?

GIGIO: (sorri) Achamos exótico.

FILOMENA: Vindo de vocês é comum.

GIGIO: Vou fazer as malas. (sobe as escadas).

FILOMENA: (olha Isabela) Eu queria saber o que sua tia Cesca pretende.

 

Cena 9

Mais Tarde – Mansão Ferreto – Sala

 

GIGIO: (desce as escadas, está com algumas malas nas mãos).

FRANCESCA: (desce as escadas) Tudo pronto amore?

GIGIO: Sim, é bom irmos agora.

FRANCESCA: Só vou me despedir de Filó.

GIGIO: Está bem. (sai).

FILOMENA: (se aproxima).

FRANCESCA: Você sumiu, onde estava?

FILOMENA: Lá em cima com Isabela, ela dormiu agora.

FRANCESCA: Eu já estou indo viajar.

FILOMENA: Não vai me contar o que pretende com tudo isso?

FRANCESCA: (abraça Filomena) Me livrar de Gigio para sempre. (olha

Filomena sorri, sai).

FILOMENA: (sorri) Eu sabia… Estava bozinha demais.

 

Cena 10

Bar

 

MARCELO: (está sentado, pensativo).

ZÉ BOLACHA: (se aproxima, dá um tapa nas costas de Marcelo) Como

vai Marcelo?

MARCELO: (sorri) Pai, senta ai.

ZÉ BOLACHA: (se senta, olha Marcelo) Está preocupado com alguma

coisa?

MARCELO: Estou… Estava aqui pensando no meu relacionamento…

ZÉ BOLACHA: Pode me falar abertamente Marcelo porque Leontina já

me contou tudo.

MARCELO: (sorri) Francesca saiu numa segunda lua de mel com Gigio

e me disse que está fazendo isso por nós… Tenho medo deles se

acertarem e eu perder ela pai… A amo muito.

ZÉ BOLACHA: (sério) Seria bom se você se afastasse dela Marcelo,

deveria ter continuado com Romana.

MARCELO: Não teve jeito pai… Cesca me ganhou.

 

Cena 11

Á Noite – Mansão Ferreto – Sala

 

ADALBERTO: (entra) Vim buscar minha filha.

FILOMENA: Está la em cima dormindo no meu quarto.

ADALBERTO: (sorri, se aproxima de Filomena) Sabia que eu fiquei

pensando o dia todo no que aconteceu ontem.

FILOMENA: Não deveria… Eu já nem sei mais do que se trata.

ADALBERTO: (segura Filomena pelos braços, a olha muito) Duvido…

FILOMENA: (se afasta) Já pensou sobre minha proposta? Pago sua

divida se tiver as ações de Carmela.

ADALBERTO: (sorri) Eu quero minha divida paga e mais o valor dela á

parte.

FILOMENA: (sorri) Eu sabia… Va bene, se esse é o preço que você está

colocando nas ações, terá.

ADALBERTO: (puxa Filomena, a olha muito) Por que você não fica

comigo?

FILOMENA: (olhando Adalberto nos olhos) Porque você não significa

nada para mim.

ADALBERTO: Não foi o que me pareceu ontem… Você estava gostando.

FILOMENA: (olhando Adalberto) Sabe por que fiquei com você

ontem?… Porque eu descobri que na vida apenas uma coisa que quero

não posso ter, mas o resto… Posso, e não vou medir esforços para

conseguir, você foi uma das coisas que tive vontade de experimentar e

tive, agora a vontade passou. (sorri).

ADALBERTO: (a olhando) Mentira… (faz que vai beijar Filomena).

FILOMENA: (olhando Adalberto).

ELISEO: (entra, sério) Atrapalho?

FILOMENA: (se assusta ao ouvir a voz de Eliseo).

ADALBERTO: (disfarça, se afasta de Filomena) Não, aliás você chegou

em boa hora, sua noivinha me tira do sério, vou buscar minha filha. (sobe

as escadas).

FILOMENA: (olha muito Eliseo) Você veio logo…

ELISEO: (se aproxima de Filomena, a olha) Alguma coisa me dizia para

voltar… Vi minha mãe, e voltei, ela está bem.

FILOMENA: Que bom.

ADALBERTO: (desce as escadas com Isabela no colo, olha Filomena)

Da próxima vez vou pedir para Cacá vir buscar nossa filha só para não

ter que olhar na sua cara. (sai).

FILOMENA: É um imbecil…

ELISEO: O teatrinho já pode parar, eu vi Filomena, vocês estavam

juntinhos ai quase se beijando.

FILOMENA: Não diga bobagens, Adalberto e eu estávamos discutindo.

ELISEO: Odeio quando você tenta me fazer de idiota!

FILOMENA: Va bene… Vou te contar o que estava acontecendo,

Adalberto tem uma divida de jogo para pagar e me pediu ajuda e eu disse

que só ajudo se em troca ele me der as ações de Carmela, e ele acaba de

me cobrar o valor da divida em dobro, eu disse que aceito e também

disse umas verdades e ele não gostou.

ELISEO: Como é? Você vai roubar as ações da sua sorella?

FILOMENA: Eu não vou roubar nada, as ações de Carmela estarão mais

seguras comigo, ela é uma inútil.

ELISEO: Não concordo com esse tipo de coisa.

FILOMENA: (olha Eliseo) Pois trate de se acostumar com meu modo de

agir, afinal vamos nos casar e não quero ter que viver discutindo com

você.

ELISEO: É errado isso Carmela vai ficar sem nada e… (olha Filomena)

Você disse que vai se casar comigo?

FILOMENA: (olhando Eliseo) Sim… Senti muito a sua falta, e se antes já

tinha a certeza do meu amor por você, agora tenho muito mais.

ELISEO: (sorri) É sério isso?

FILOMENA: (sorri) Sim…

ELISEO: (a olha muito) Você não sabe o quanto temi voltar e ouvir você

me dizer que nossa separação seria definitiva, eu te amo. (beija

Filomena).

FILOMENA: (beija Eliseo).

 

Cena 12

1 Mês Depois

 

Frigorífico Ferreto – Sala de Marcelo

MARCELO: (ao telefone) Eu agradeço a oportunidade, você não vai se

arrepender, grazie. (desliga, sorri) Isso Marcelo, você está cada vez

melhor. (se levanta).

FRANCESCA: (entra, olha Marcelo sorri) Eu quase morri de saudades!

(beija Marcelo com vontade).

MARCELO: (retribui).

 

Cena 13

Mansão Ferreto – Escritório

 

FILOMENA: (está sentada, lendo uns documentos).

ADALBERTO: (entra, coloca uma pasta sobre a mesa) Ai está… As ações

de Carmela agora são suas.

FILOMENA: (pega a pasta, olha Adalberto, sorri vitoriosa). Olha só…

Até que você serve para alguma coisa.

ADALBERTO: Eu quero o dinheiro que me prometeu.

FILOMENA: (pega a bolsa, tira um talão de cheques, começa a

preencher, tira uma folha, entrega á Adalberto) Ai está.

ADALBERTO: (pega o cheque, sorri) Foi um prazer fazer negócios com

você.

FILOMENA: (sorri).

 

Cena 14

Frigorífico Ferreto – Sala de Marcelo

 

MARCELO: (feliz olhando Francesca) Eu achei que você iria desistir de

mim.

FRANCESCA: Nunca, eu já disse que te amo e muito mais do que você

imagina.

MARCELO: (sorri) Eu também te amo Cesca. (beija Francesca).

GIGIO: (entra, vê o beijo de Francesca e Marcelo, fica furioso) É assim

que você diz me amar sua ordinária?

FRANCESCA: (assustada olhando Marcelo).

 

Fim do Capítulo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s