Pelas Trilhas das Novelas: Além do Arco Íris – Luisa Possi (Chocolate com Pimenta – 6ª edição)

Música: Além do Arco Íris
Cantor (a): Luisa Possi
Novela: Chocolate com Pimenta (2003)
Tema de: Ana Francisca, Aninha (Mariana Ximenes)

Letra: 

Além do arco-íris
Pode ser
Que alguém
Veja em meus olhos
O que eu não posso ver

Além do arco-íris
Só eu sei
Que o amor
Poderá me dar tudo que eu sonhei

Um dia a estrela vai brilhar
E o sonho vai virar realidade
E leve o tempo que levar
Eu sei que eu encontrarei a felicidade

Além do arco-íris
Um lugar
Que eu guardo em segredo
Que só eu sei chegar

Um dia a estrela vai brilhar
E o sonho vai virar realidade
E leve o tempo que levar
Eu sei que eu encontrarei a felicidade

A luz do arco-íris
Me fez ver
Que o amor
Dos meus sonhos
Tinha que ser você….


Pelas Trilhas das Novelas: Imagine – Paulo Ricardo (Estrela Guia, 2001 – 4ª edição)

Música: Imagine (original de John Lennon)
Cantor (a): Paulo Ricardo
Novela: Estrela Guia (2001)
Tema de: Abertura

Ouça também a magnifica versão desse clássico na voz do saudoso John Lennon, que completaria 75 anos hoje! 
Letra: 

Imagine there’s no heaven
It’s easy if you try
No hell below us
Above us only sky
Imagine all the people
Living for today

Imagine there’s no countries
It isn’t hard to do
Nothing to kill or die for
And no religion too
Imagine all the people
Living life in peace

You may say
I’m a dreamer
But I’m not the only one
I hope some day
You’ll join us
And the world will be as one

Imagine no possessions
I wonder if you can
No need for greed or hunger
A brotherhood of man
Imagine all the people
Sharing all the world

You may say
I’m a dreamer
But I’m not the only one
I hope some day
You’ll join us
And the world will live as one


Pelas Trilhas das Novelas: Jeito de Mato – Paula Fernandes (Paraíso, 2009 – 3ª edição)

Música: Jeito de Mato
Cantor (a): Paula Fernandes
Novela: Paraíso (2009)
Tema de: Maria Rita, a Santinha (Nathalia Dill)

Letra

De onde é que vem esses olhos tão tristes ?
Vem da campina onde o Sol se deita
Do regalo de terra que o teu dorso ajeita
E dorme sereno, no sereno sonha

De onde é que salta essa voz tão risonha ?
Da chuva que teima, mas o céu rejeita
Do mato, do medo, da perda tristonha
Mas que o Sol resgata, arde e deleita

Há uma estrada de pedra que passa na fazenda
É teu destino, é tua senda, onde nascem tuas canções
As tempestades do tempo que marcam tua história
Fogo que queima na memória e acende os corações

Sim, dos teus pés na terra nascem flores
A tua voz macia aplaca as dores
E espalha cores vivas pelo ar
Ah..Ah…Ah
Sim, dos teus olhos saem cachoeiras
Sete lagoas, mel e brincadeiras
Espumas ondas, águas do teu mar
Ah..Ah…Ah
Êeh laiá